Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Valor do Conhecimento e da Divulgação Científica para a Construção da Cidadania

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v33n56p7-28

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO 

downloadpdf

Graça Caldas1

 

Resumo: Informação é conhecimento? Qual o valor do conhecimento? Quanto vale o investimento em educação científica? De que forma a mídia influencia na formação do imaginário popular? Como a divulgação científica pode contribuir para a elaboração do pensamento crítico, reflexivo? Essas e outras questões são abordadas neste ensaio que discute o papel da mídia e da educação na formação de uma cultura científica inclusiva e cidadã.

Palavras-chave: Comunicação, educação, divulgação científica, cultura científica, conhecimento, cidadania.

 

Abstract: Is information knowledge? What is the value of knowledge? How much is the investment in scientific education worth? In what ways do the media influence the shaping of popular scientific imagery? How can science communication contribute to the development of critical and reflexive thought? These and other questions are treated in this essay on the roles of media and education in producing an inclusive and civil scientific culture.

Key words: Communication, education, science communication, scientific culture, knowledge, citizenship

 

1 Jornalista, doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo, Pós-Doc pelo Departamento de Política Científica (DPCT/IG) da Unicamp, docente do Programa de Pós-Graduação em Divulgação Científica e Cultural do Labjor/IEL/Unicamp. E-mail: gcaldas@unicamp.br. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4194056997420853.

 

Literatura Citada

CALDAS, G. Mídia e memória: a construção coletiva da história e o papel do jornalista como historiador do cotidiano. In: BEZZON, L. C. (Org.). Comunicação, política e sociedade. Campinas, SP: Alínea, 2005. p.137-149.

CALDAS, G. Políticas públicas de CT&I e sociedade: Brasil como novo player internacional. In: FAUSTO NETO, A. (Org.). Mediatização da ciência: cenários e possibilidades. Campina Grande: Eduepb, 2011. p. 55-69.

DEMO, P. Saber pensar. São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire, 2001.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. Petrópolis: Vozes, 1972.

FOUREZ, G. A construção das ciências: introdução à filosofia e à ética das ciências. São Paulo: Unesp, 1995.

GRANGER, Gilles-Gaston. A ciência e as ciências - Tradução Roberto Leal Ferreira São Paulo, Editora Unesp, 1994.

HABERMANS, J. Mudança estrutural da esfera pública. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

INEP. Resultados preliminares do PISA 2009. Disponível em <http://www.inep.gov.br/>. Acessado em: 12 de março de 2010.

LATOUR, L. A vida em laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

LEBRUN, M. O que é poder. São Paulo: Brasiliense, 1984. (Coleção Primeiros passos.)

LOPES, J. L. Ciência e liberdade: escritos sobre ciência eeducação no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ/CBPF/MCT, 1998.

LIVRO AZUL da IV Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimeno Sustentável. MCT/CGEE. Brasília, 2010.

MORIN, E. Ciência com consciência. Trad. Maria GabrielMendonça e Mara da Graça Pinha. Lisboa: Europa-América/LDA, 1990.

ROQUEPLO, P. La partage du savoir. Science, culture, vulgarisaton. Paris: Seuil, 1974.

SALLES, S. Quanto vale o investimento em ciência, tecnologia e inovação? Jornal da Unicamp, ano XXV, n. 507, p. 2, 19-25 set. 2011.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. Porto: Afrontamento, 1987-1996.

WOLTON, D. Pensar a comunicação. Brasília: UNB, 2004.