Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Comunicação e Reconversão Cultural em Comunidades Quilombolas

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v32n55p105-129

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO 

downloadpdf

Alfredo S. A. Rodrigues1 & Maria S. T. Santos2

 

Resumo: As comunidades de contextos populares buscam sair da invisibilidade histórica adaptando espontânea ou intencionalmente suas culturas por meio da cultura massiva hegemônica. A partir dessa assertiva, o objetivo deste estudo é analisar o processo de reconversão cultural, vivenciado pela Comunidade Negra Rural Quilombola (CNRQ) de Leitão/Umbuzeiro, ao longo de sua trajetória no processo de hibridação com a cultura massiva hegemônica. A pesquisa centra-se em compreender as reconversões culturais que a população quilombola procede em seu trabalho e em sua vida, face às propostas das políticas públicas para a construção do desenvolvimento na Comunidade.

Palavras-chaveComunicação; hibridização cultural; reconversão cultural; Quilombolas; Sertão de Pernambuco

 

Abstract: Communities from popular backgrounds seek to escape their historical invisibility by spontaneously or intentionally adapting their cultures through the hegemonic mass culture. Through this affirmation, the objective of the present study is to analyze the process of cultural reconversion experienced by the Black Rural Maroon Community from Leitão/Umbuzeiro throughout its trajectory in the process of hybridization with a hegemonic mass culture. The research seeks to understand the cultural reconversions the Maroon people undergo in their work and life in face of the public policies for the community’s development.

Key words: Communication; Cultural hybridization; Cultural Reconversion; Maroons; Backwoods of Pernambuco

 

1 Relações Públicas, mestre em Extensão Rural e Desenvolvimento Local (POSMEX) pela Universidade Federal Rural de Pernambuco. Professor da Universidade Católica de Pernambuco. Brasil. E-mail: alfredosotero1@gmail.com.
2 Jornalista, doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo. Professora associada II da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Coordenadora do Programa de Pós- Graduação em Extensão Rural e Desenvolvimento Local da UFRPE. Brasil. E-mail: mstauk@terra.com.br.

 

Literatura Citada

BARROS, Edir Pina de. Quilombo, resistência e movimentos negros, 2007. Disponível em: <http://www.Ippuerj.net/olped/documentos/ppcor/0210.pdp> ou <http://static.recantodasletras.com.br/arquivos/1300029.pdf>. Acesso em: 23 set. 2009

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Relatório do planejamento da cajucultura nos territórios do Sertão do Apodi-RN, Sertão do Cariri-PB e Sertão do Pajeú-PE, 2006. Disponível em: <http://www.projetodomhelder.gov.br/notitia/files/71.PDF>. Acesso em: 30 dez. 2008.

BRASIL. Relatório do planejamento da cajucultura nos territórios do Sertão do Apodi-RN, Sertão do Cariri-PB e Sertão do Pajeú-PE, 2006. Disponível em: <http://www.projetodomhelder.gov.br/notitia/files/71.PDF>. Acesso em: 30 dez. 2008. BURKE, Peter. Hibridismo cultural. São Leopoldo: Unisinos, 2003.

CANCLINI, Nestor García.Culturas hibridas y estrategias comunicacionales. Seminário Fronteiras Culturales; Identidad y Comunicación en America Latina. Universidad de Stirling, out. 1996.

CANCLINI. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Edusp, 2003.

CANCLINI. As culturas híbridas em tempos de globalização: introdução à edição de 2001. In: Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. 2. ed. São Paulo: Edusp, 2002.

CENTRO DE CULTURA LUIZ FREIRE. Princípios da educação quilombola. [Olinda: Centro de Cultura Luiz Freire], 2008.

ESCOSTEGUY, Ana Carolina D. Estudos sobre culturas: uma alternativa latino-americana aos cultural studies. Revista Famecos, Porto Alegre, n. 30, p. 7-15, ago. 2006. Disponível em: <http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/famecos/article/view/486/410>. Acesso em: 4 ago. 2009. Entrevista com Néstor García-Canclini.

ESCOSTEGUY, Ana Carolina D. Os estudos culturais. Cartografias. [200-]. Disponível em: <http://www.pucrs.br/famecos/pos/cartografias/estudos_culturais_08_06.php>. Acesso em: 18 ago. 2009.

ESCOSTEGUY, Ana Carolina D. Cartografias dos estudos culturais: uma versão latinoamericana. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

FIABANI, Adelmir. O quilombo antigo e o quilombo contemporâneo: verdades e construções, 2007. Disponível em: <http://snh2007.anpuh.org/resources/content/anais/Adelmir%20Fiabani.pdf>. Acesso em: 23 set. 2009.

GOMES, Itania Maria Mota. The uses of literacy: Hoggart e a cultura como expressão dos processos sociais In: GOMES, Itania Maria Mota; MIELNICZUK, Luciana; SÁ, Augusto S. de; SANTOS Suzy dos (orgs.). Temas em comunicação e cultura contemporânea. Salvador: FACOM/UFBA, 2000, 73-99.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 10. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

JARA, Carlos Julio. As dimensões intangíveis do desenvolvimento sustentável. Brasília: Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura, 2001.

KAUFMANN, Roberta Fragoso Menezes. Ações afirmativas à brasileira: necessidade ou mito? A implementação para negros como mecanismo concretizador de direitos fundamentais. Uma análise histórico-jurídico-comparativa do negro nos Estados Unidos da América e no Brasil, 2007. Disponível em: <http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=10070>. Acesso em: 3 ago. 2009.

LAVILE, Christian. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Belo Horizonte: UFMG, 1999.

LEITE, Ilka Boaventura. Os quilombos no Brasil: questões conceituais e normativas. Etnográfica. v. IV, n. 2, p. 333-354, 2000.

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL. Produtos Mãos Crioulas. Afogados da Ingazeira/PE, 2008.

MATTELART, Armand. Introdução aos estudos culturais. São Paulo: Parabólica, 2004. ORTIZ, Renato. Estudos culturais. Tempo social, v.16, n.1, jun. 2004. Disponível em: <http://anabeatrizgomes.pro.br/moodle/file.php/1/Estudos_Culturais/EcRenatoOrtiz.pdf>. Acesso em: 20 ago. 2009.

PROJETO PARCEIROS DA TERRA. Diagnóstico rápido participativo das Comunidades de Leitão e Umbuzeiro – Afogados da Ingazeira – PE, 2001.

QUILOMBOS HOJE. Recife: Centro de Cultura Luiz Freire e do Instituto Sumaúma, ano 1, n. 1, p. 7, mar. 2008. Disponível em: <http://www.ombudspe.org.br/brasilquilombola>. Acesso em: 22 mar. 2008.

SILVA, Sebastião José da. Detalhamentos e confirmações sobr o cotidiano em Leitão/Umbuzeiro: depoimento fev. 2010.Entrevistador: Alfredo Sotero Alves Rodrigues. Sítio Leitão, Afogados da Ingazeira, 2010. Entrevista gravada em formato MP3.

SILVA, Valdélio Santos. Rio das Rãs à luz da noção de quilombo,2000. Disponível em: <http://www.Ipp-uerj.net/olped/documentos/ppcor/0210.pdf> ou <http://www.mulheresnegras.org/doc/valdelio.doc>. Acesso em: 7 out. 2009.

TAUKSANTOS, Maria Sallet. Receptores imaginados: os sentidos do popular. In: ENCONTRO DA COMPÓS, 17., 2008, São Paulo. Trabalho apresentado ao Grupo de Trabalho “Recepção, usos e consumo midiáticos”.

TAUKSANTOS, Maria Sallet. O consumo de bens culturais nas culturas populares: identidade reconvertida ou diversidade refuncionalizada? In: PERUZZO, Cecília Maria Krohling, PINHO, José Benedito (Orgs.). Comunicação e multiculturalismo. São Paulo/Manaus: Intercom/ Universidade do Amazonas, 2001.

TAUKSANTOS, Maria Sallet. Comunicação rural- velho objeto, nova abordagem: mediação, reconversão cultural, desenvolvimento local. In: Comunicação e informação: identidades e fronteiras. M. Immacolata V. de Lopes. Divina Frau Meigs, M. Salett Tauk Santos. (orgs.) - São Paulo: Intercom; Recife: Bagaço, 2000, p. 291-301.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.