Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Canção Experimental de Walter Franco

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v32n54p191-210

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO 

downloadpdf

Herom Vargas1

 

Resumo: Este artigo analisa as características de experimentação e criatividade em composições de Walter Franco, nos discos Ou não (1973) e Revolver (1975). Quatro aspectos serão observados: a letra, os elementos musicais (instrumentação e arranjos), as relações entre letra, arranjo e performance, e o design das capas dos discos em diálogo com a natureza conceitual das canções.

Palavras-chave: Walter Franco; Experimentalismo; Criatividade; MPB

 

Abstract: This paper analyses characteristics of experimentation and creativity in compositions by Walter Franco from his albums Ou não (1973) and Revolver (1975). Four topics will be addressed here: lyrics, musical elements (instrumentation and arrangements), the relationship between lyrics, musical arrangement, and performance, and the connections between the album’s cover designs and the conceptual nature of the songs.

Key words: Walter Franco; Experimentalism; Creativity; Brazilian Pop music

 

1 Doutor em Comunicação e Semiótica (PUC-SP), professor do Programa de Mestrado em Comunicação da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) e do curso de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), líder do grupo de pesquisa Música, Cultura e Linguagens da Mídia (CNPq). E-mail: heromvargas@terra.com.br CV Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4791948A1

 

Literatura Citada

BAHIANA, A. M. Nada será como antes: MPB nos anos 70. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

CAMPOS, H. Poesia concreta – linguagem – comunicação. In: CAMPOS, A.; PIGNATARI, D.; CAMPOS, H. Teoria da poesia concreta: textos críticos e manifestos – 1950-1960. São Paulo: Brasiliense, 1987. p. 74-88.

CASTRO, R. O homem que inventou a capa do disco. O Estadode S. Paulo. São Paulo, 06 dez. 2003. Caderno 2, p. D-14. 

ECO, U. La definición del arte. Barcelona: Martínez Roca, 1970.

IDART. Disco em São Paulo. Damiano Cozzella (Coord.). São Paulo: Secretaria Municipal de Cultura/Centro de Pesquisa de Arte Brasileira, 1980.

MELLO, Z. H. A era dos festivais: uma parábola. São Paulo: Editora 34, 2003.

MORELLI, R. C. L. Indústria fonográfica: um estudo antropológico. 2. ed. Campinas: Unicamp, 2009. [1. ed. 1991].

NAPOLITANO, M. A música popular brasileira (MPB) dos anos 70: resistência política e consumo cultural. In: CONGRESSO DA SEÇÃO LATINO-AMERICANA DA INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR THE STUDY OF POPULAR MUSIC (IASPM-AL), 4., 2002, México (DF).

PAIANO, E. O berimbau e o som universal: lutas culturais e indústria fonográfica nos anos 60. 1994. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.

STESSUK, S. O silêncio em espirais: Walter Franco. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DAASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LITERATURA COMPARADA (Abralic), 11., 2008, São Paulo.

TATIT, L. A canção moderna. In: VV.AA. Anos 70: trajetórias. São Paulo: Iluminuras/Itaú Cultural, 2005. p. 119-124.

VARGAS, H. Condições e contexto midiático do experimentalismo na MPB dos anos 1970. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO (Intercom), 32., 2009, Curitiba (PR).

VICENTE, E. Música e disco no Brasil: a trajetória da indústria nas décadas de 80 e 90. 2002. Tese (Doutorado em Comunicação). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

WALTER FRANCO. Muito Tudo. Dir. Bel Bechara e Sandro Serpa. 16 mm/Beta, 25 minutos, 2000.

WALTER FRANCO. Revolver / Ou Não. CD. Brasil: Warner Music (1975 / 1973), 2000. (edição de dois LPs juntos em um CD na série Dois Momentos, v. 2)