Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Gêneros e Gêneros: Apontamentos Teóricos Sobre os Conceitos e sua Atribuição ao Jornalismo Feminino

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v30n51p177-200

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO 

downloadpdf

Ana C. R. P. Temer1

 

Resumo: Este artigo é parte de um Projeto de Pesquisa que trabalha a questão da representação de gênero e das etnias no âmbito do gênero Televisivo Telejornalismo. Uma vez que o trabalho usa duas diferentes formas de se entender o conceito de gênero, fez-se necessária uma reflexão sobre os diferentes tipos de uso do conceito de gênero por pesquisadores de Comunicação. Nesse sentido, foi feita uma análise das origens do termo, de seus usos atuais nos estudos sobre jornalismo – gêneros jornalísticos - analisando igualmente o ponto de encontro entre os dois conceitos, a partir da indagação se o jornalismo feminino é em si mesmo um gênero jornalístico.

Palavras-chave: Gênero; televisão; jornalismo; gêneros jornalísticos

 

Abstract: This paper is part of a research project focusing on the issue of representation of gender and ethnicities in the field of television newscasting. Since the work makes use of two different kinds of understanding of the concept of gender, it was necessary to deliberate about the use communication researchers make of them. Thus, we studied the origins of the term, its present use in the studies of journalism – journalistic genres – analyzing the point of intersection between them by questioning: Is female journalism a journalistic genre in itself?

Key words: Gender; Television; Journalism; Journalistic genres

 

1 Professora da Faculdade de Comunicação e Biblioteconomia (FACOMB), da Universidade Federal de Goiás, doutora e mestre em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo

 

Literatura Citada

A REVISTA no Brasil. São Paulo: Abril, 2000.

BEZERRA, R. J. Jornalismo e produção de moda. 1. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1991. v. 01. 148 p.

BORELLI, S.H; PRIOLLI, G. (Orgs.) A deusa ferida – Porque aRede Globo não é mais campeã de audiência. São Paulo: Summus, 2000.

BUITONI, D. S. Imprensa feminina. Série Princípios. São Paulo:Ática, 1986.

CORRÊA, T. S. A segmentação do mercado de revista e a atuação da Editora Abril. Cadernos de Jornalismo e Editoração. vol. 7, caderno 18. São Paulo, 1986.

DIEZHANDINO, M. P. Periodismo de servicio - La utilidad como complemento informativo. In: Time, Newsweek U.S. News na Wold report y unos apontes del caso español. Colección Bosh Comunicación, Icaria Editorial, 1994.

FEUER, J. Genre study and television. In: ALLEN, Robert C. Channels of discourse – TV and contemporary criticism. North Caolina: University of North Carolina Press, 1987.

FISKE, J.. Introduction to communication studies. 2a. ed. New York/London: Routledge, 1990.

GARGUREVICH, J. Géneros periodísticos. Quito: Equador Editorial, 1982.

JACKS, N.; ESCOSTEGUY, A. C. Comunicação e recepção. SãoPaulo: Harker, 2005.

JOST, F. Seis lições sobre televisão. Porto Alegre: Sulina, 2004.

MARCONDES FILHO, C. O capital da notícia – Jornalismo como produção social dasegunda natureza. São Paulo: Ática, 1989.

MARQUES DE MELO, J. A opinião no jornalismo brasileiro. Petrópolis :Vozes, 1985.

MARTÍN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Riode Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

REZENDE, G. J. 1998. Perfil editorial do telejornalismo brasileiro. Tese de doutorado. SãoBernardo do Campo: Umesp, 1998.

TODOROV, T. A origem dos gêneros. In: TODOROV, T. Os gêneros do discurso. São Paulo: Martins Fontes, 1980.

SAFFIOTI, H. A mulher na sociedade de classes: mito e realidade. Petrópolis: Vozes, 1976.

WOLF. M. G. Massi Media. In: BARLOZZETTI, G. Il Palinsesto. Milão: Franco Angeli, 1986.