Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Jornalistas e Cientistas: A Construção Coletiva do Conhecimento

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v25n41p39-53

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO 

downloadpdf

Graça Caldas1

 

Resumo: O processo de formação de jornalistas e cientistas para a divulgação da ciência tem sido objeto de vários papers. Problemas de precisão na informação, ausência de rigor na linguagem e dificuldades no relacionamento entre jornalistas e cientistas são alguns dos aspectos mais abordados. Não são poucos, porém, os estudos que apontam a necessidade de um trabalho em regime de parceria. Durante a realização da disciplina Oficina de Jornalismo Científico no Programa de Pós-Graduação Lato Sensu em Jornalismo Científico do Labjor/Unicamp, no primeiro semestre de 2002, foi possível verificar, na prática, as dificuldades e vantagens na atuação conjunta desses profissionais. Este trabalho relata a experiência da disciplina, com o grupo formado por vinte jornalistas e vinte cientistas, na concepção e produção de uma revista eletrônica sobre idosos, IdadeAtiva (http://techway.com.br/techway/revista_idoso/index.htm). Mostra que a aventura do conhecimento é possível e tarefa a ser desenvolvida em equipe.

Palavras-chave: Formação – Jornalistas – Cientistas – Divulgação científica – Parceria – Revista eletrônica – Idosos.

 

Abstract: The process of training journalists and scientists for science writing has been examined in many publications. Often-cited problems include misrepresented information, inaccurate wording and difficulties in the report between scientists and journalists. Nonetheless, many studies conclude that joint efforts help to overcome these problems. In 2002 we conducted a Graduate Program in Scientific Journalism offered by the Unicamp Journalism Lab. Both difficulties and advantages of a cooperative undertaking combining professional scientists and journalists were readily ascertained. Here we report this semester-long experience of working with a group of twenty scientists and twenty journalists in conceiving and producing an electronic magazine on the elderly called IdadeAtiva (ActiveAge, http://techway.com.br/techway/revista_idoso/index.htm). We assert that knowledge as an adventure is best undertaken by cross-disciplinary teams.

Key words: Practical training – Journalists – Scientific teamwork – Electronic magazine – Elderly.

 

1 Doutora em Ciências da Comunicação pela ECA-USP, Maria das Graças Conde Caldas, mais conhecida como Graça Caldas, é jornalista desde 1969. Trabalhou em diferentes veículos de comunicação, entre eles Diário de Notícias e TV Globo (Rio de Janeiro), Folha de S. Paulo e Jornal do Brasil (São Paulo). Tem experiência em assessorias de imprensa (Prefeitura de Campinas - SP e Unicamp). É especialista lato sensu em Comunicação Integrada, pela PUC-MG e pela Fundação D. Cabral. Foi coordenadora do Curso de Jornalismo e diretora da Faculdade de Jornalismo e Relações Públicas da Universidade Metodista de São Paulo. Integra, atualmente, o corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Faculdade de Comunicação Multimídia da Umesp Participa, também, como professora convidada, dos cursos de Jornalismo Científico da Puccamp e do Labjor da Unicamp. E-mail: gcaldas@unicamp.br.

 

Literatura Citada

ALMEIDA, Carla. Cientistas devem divulgar o que foi descoberto e o que ficou sem resposta. Jornal da Ciência Hoje, p. 12, 21 nov. 2003.

BUENO, Wilson. O sigilo ameaça a informação científica: como comunicar o que não se pode saber? [Internet]. 2002. Disponível em http://www.jornalismocientífico.com.br. Acessado em 2002.

CALDAS, Graça. Jornalistas e cientistas devem atuar em conjunto. In Imprensa e pantanal. Campo Grande (MS): UFMS / Fundação Konrad Adenauer, 1997. p. 23-28.

CALDAS, Graça. Comunicação, educação e cidadania: o papel do jornalismo científico. In GUIMARÃES, Eduardo (org.). Produção e circulação do conhecimento. Vol. II (Política, ciência e tecnologia). Campinas: Pontes Editores, 2003. p. 73-80.

CALDAS, Graça. Jornalistas e cientistas: uma relação de parceria. In DUARTE, Jorge e BARROS, Antônio Teixeira (orgs.). Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2003. p. 217-230.

CALDAS, Graça. IdadeAtiva: jornalistas e cientistas na construção coletiva do conhecimento. ComCiência. Revista eletrônica do Labjor-Unicamp. Disponível em http://www.comciencia.br. Campinas, set. 2002.

CAVALCANTI, Fabiane Gonçalves. Jornalistas e cientistas: os entraves de um diálogo. Recife, 1993. Monografia (Conclusão de Curso) – Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Pernambuco.

CHAPARRO, Carlos. De como a ciência pode ajudar a notícia. Cortes & Recortes. 1999. Disponível em http://www.reescrita.jor.br.

CORACINI, Maria José. Um fazer persuasivo: o discurso subjetivo da ciência. Campinas: Educ / Pontes, 1991.

LATOUR, Bruno e WOOLGAR, Steve. A vida em laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Ed. Relume Dumará, 1997.

LAGE, Nilson e LIMA, Lara. Possibilidades de aplicação do jornalismo de precisão no jornalismo científico. Sala de Prensa, n. 22, ago. 2000. Disponível em http://www.saladeprensa.org.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Portugal: Europa-América Ltda, 1990.

NASCIMENTO, Mariana Cunha Mesquita do. A ciência descoberta: uma proposta metodológica para a entrevista aplicada ao jornalismo científico. Signo. João Pessoa, a. III, n. 5, p: 61-76, 1998.

RUSSEL, Bertrand. O impacto da ciência na sociedade.Rio de Janeiro: Zahar Ed., 1976.

SAGAN, Carl. O mundo assombrado pelo demônio: a ciência vista como uma vela no escuro. São Paulo: Cia das Letras, 1996.