Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Sobre a Descolonização do Conhecimento – A Invenção de Outras Epistemologias

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1078/er.v26n43p25-35

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/ER/index 

downloadpdf

Suze O. Piza1 & Daniel Pansarelli2

 

Resumo: O acúmulo de pesquisas e publicações acerca da pluralidade epistemológica vem ganhando notoriedade há, pelo menos, uma década. A despeito da identificação de produções significativamente mais antigas sobre o tema, as crises globais – políticas, econômicas, subjetivas – que deram o tom do início do século XXI – possivelmente favoreceram que se jogasse luz nesta questão: a forma de conhecimento consagrada, ao menos desde o Iluminismo, já não era capaz de responder aos desafios históricos da contemporaneidade. Este artigo trata de apresentar, primeiro, e com alguma brevidade, uma hipótese interpretativa da modernidade que favorece a compreensão de sua vinculação com o colonialismo. A esta etapa, fundamentada, sobretudo, na hermenêutica histórica de Enrique Dussel, seguirá um esforço pela reunião de argumentos de outros autores pós-colonialistas, tais como Walter Mignolo e Boaventura de Souza Santos, em favor de uma pluralidade epistemológica e a proposta de criação de epistemologias do sul.

Palavras-chave: modernidade, colonialismo, epistemologias, descolonização.

 

Abstract: The accumulation of research and publications on epistemological pluralism is gaining notoriety for at least a decade. Despite the identification of significantly older productions on the topic, global political, economic, and subjective crises that set the tone for the beginning of the 21st century, have possibly shed some light on this issue: the form of knowledge established at least since Enlightenment was no longer able to meet the historical challenges of our times. This article first and briefly presents an interpreta- tive hypothesis of modernity that promotes the understanding of its relationship with colonialism. This stage, based mainly on the historical hermeneutic of Enrique Dussel, is followed by an effort to join the arguments of other postcolonial authors such as Walter Mignolo and Boaventura de Souza Santos, in favor of a epistemological plurality and a proposal to create Southern epistemologies.

Key words: modernity, colonialism, epistemologies, decolonization

 

1 Filósofa, Mestre e doutoranda pela Unicamp. Professora assistente de Filosofia na Universidade Metodista de São Paulo.
2 Doutor em Filosofia. Professor na Universidade Federal do Grande ABC.

 

Literatura Citada

ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1997.

DUSSEL, E. 1492: el encubrimiento del otro. La Paz: Plural, 1994.

DUSSEL, E. Ética da libertação: na idade da globalização e da exclusão. Petrópolis: Vozes, 2000.

MIGNOLO, W. Os esplendores e as misérias da “ciência”: colonialidade, geopolítica do conhecimento e pluri-versalidade epistêmica. In: SANTOS, B. de S. Conhecimento prudente para uma vida decente. São Paulo: Cortês, 2006.

NUNES, J. A. O resgate da epistemologia. In: SANTOS, B. de S.; MENESES, M. P. Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010.

PANSARELLI, D. Filosofia e práxis na América Latina: contribuições à filosofia contemporânea a partir de E. Dussel. 2010. Tese (Doutorado em Educação) - FEUSP, São Paulo. Disponível: em <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-20042010-143015/pt-br.php>. Acesso em: 29 ago. 2012.

SANTOS, B. de S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In: SANTOS, B. de S.; MENESES, M. P. Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010.