Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Formas Elementares da Vida Religiosa: Apontamentos de Uma Abordagem Durkheimiana para Compreensão da Atualidade do Fenômeno Neopentecostal no Brasil

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1078/er.v26n42ep63-82

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/ER/index 

downloadpdf

Ricardo Bitun1 & João C. Souza Neto2

 

Resumo: Este texto procura relacionar o pensamento de Durkheim, exposto em As formas elementares da vida religiosa – que ora completa cem anos – e a mudança do mapa religioso, marcado pelo contínuo crescimento do neopentecostalismo no Brasil. Durkheim entende a religião como fato social que opera como fonte de coesão e integração social na lógica da relação entre sagrado e profano; uma forma de despertar a esperança e fortalecer a solidariedade. Com o processo de modernização social, novas linguagens e metodologias no campo da religião conseguem capturar e afetar as formas de ser, de pensar e de agir da sociedade brasileira. O neopentecostalismo no Brasil apresenta- -se com o intuito de levar a mensagem do evangelho a uma sociedade abalada pelas decepções e fracassos dos sistemas econômicos e políticos. Para isso, emprega gestos, símbolos e linguagem persuasiva voltada à subjetividade e à emotividade que transitam entre o profano e o sagrado. Ao escrever As formas elementares da vida religiosa, Durkheim, de alguma maneira, resgata a relevância do estudo das religiões como um importante fenômeno social. Contrário às tendências dos clássicos da sociologia, ele aposta na crença e no pensamento religioso.

Palavras-chave: religião; neopentecostalismo; profano e sagrado.

 

Abstract: This text seeks to relate Durkheim’s thought, exposed in The elementary forms of religious life – that now completes one hundred years –, and the change in the religious map, marked by the continuous growth of neo-Pentecostalism in Brazil. Durkheim understands religion as a social fact that operates as a source of social cohesion and integration in the logic of the sacred-profane relation; a way of awakening hope and strengthening solidarity. With the process of social modernization, new languages and methodologies in the field of religion can capture and affect the ways of being, thinking, and acting of Brazilian society. Neo-Pentecostalism in Brazil aims at taking the Gospel message to a society shaken by the disappointments and failures of economic and political systems. To do so, it employs gestures, symbols, and persuasive words directed to the subjectivity and emotions that move between the profane and the sacred. In writing The elementary forms of religious life, Durkheim somehow recovers the relevance of the study of religion as an important social phenomenon. Contrary to the trends of sociology’s classics, he bets on the religious belief and thought.

Key words: religion; Neo-Pentecostalism; sacred and profane.

 

1 Doutor em Sociologia pela PUC-SP, Coordenador de Teologia do Centro de Educação, Filosofia e Teologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie (Cefit) e professor no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Presbiteriana Mackenzie em São Paulo. E-mail: rbitun@mackenzie.com.br
2 Programa de mestrado em Psicologia Educacional do Centro Universitário FIEO. Professor do curso de Pedagogia da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Consultor da Prattein. Membro do Instituto Catequético Secular São José e da Associação Civil “Gaudium et Spes” (Ages). E-mail: joao.souza@mackenzie.br

 

Literatura Citada

ARON, R. As etapas do pensamento sociológico. São Paulo: Martins Fontes/UnB, 1982.

ANDERSON, Robert Mapes. Vision of the disinherited: the making of americam pentecostalism. Nova Iorque, Oxford University Press, 1979

BAUMAN, Z. O mal-estar na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

BIZELLI, E. A. Considerações sobre As Formas Elementares da Vida Religiosa, de Émile Durkheim: contribuições e polêmicas. Disponível em: http://www.pucsp.br/nures/revista4/nures4_edimilson.pdf . Acesso em: 12 ago. 2012

CAMPOS, L. S. Teatro, templo e mercado: organização e marketing de um empreendimento neopentecostal. Petrópolis/São Paulo: Vozes/Simpósio/Umesp, 1997.

COHN, G. (Org.). Sociologia: para ler os clássicos. 2. ed. Rio de Janeiro: Azougue, 2007.

CNBB-REGIONAL SUL 1. PAMP – Projeto de ação missionária permanente. São Paulo: CNBB, 2003.

DOUGLAS, J. D. O novo dicionário da Bíblia. São Paulo: Vida Nova, 1986. v. III.

DURKHEIM, E. As formas elementares da vida religiosa: o sistema totêmico na Austrália. São Paulo: Paulinas, 1989.

DURKHEIM, E. As regras do método sociológico. 4. ed. Lisboa: Presença, 1991.

DURKHEIM, E. As formas elementares da vida religiosa. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

CAMARGO, C. P. F. Católicos, protestantes, espíritas. Petrópolis: Vozes, 1973.

CAMPOS, L. S., GUTIERREZ, B. Na Força do Espírito. São Bernardo do Campo: Pendão Real/ Ciências das religiões, 1996

FRESTON, P. Protestantes e política no Brasil: da Constituinte ao impeachment. Tese (Doutorado) — Unicamp, Campinas, 1993.

GIANNOTI, J. A. Coletânea. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983. (Coleção: Os Pensadores).

GIANNOTI, J. A. Sociologia e filosofia. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1970.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1978.

HOBSBAWM, E. A era dos extremos. São Paulo: Cia. das Letras, 1997.

HOLLENWEGER, W.; HOLLENWEGER JR., W. El Pentecostalismo: historia y doctrinas. Buenos Aires: La Aurora. 1976.

HERVIEU-LÉGER, D; WILLAIME , Jean-Paul. Sociologia e religião: abordagens clássicas. Aparecida, SP: Idéias & Letras, 2009.

LUKES, S. Bases para a interpretação de Durkheim. In: COHN, G. (Org.). Sociologia: para ler os clássicos. 2. ed. Rio de Janeiro: Azougue, 2007.

MARIZ, Cecilia e MACHADO, Maria das Dores Campos. Mudanças recentes no campo religioso brasileiro, (mimeo). Rio de Janeiro, 1998

MENDONÇA, A. G. Um panorama do protestantismo atual. In: LANDIM, L. (Org.). Sinais dos tempos: tradições religiosas no Brasil. Cadernos do ISER, Rio de Janeiro: Instituto Estudos da Religião, n. 22, p. 37-86, 1989.

ORTIZ, R. Do sincretismo à síntese. ORTIZ, R. In: A consciência fragmentada: ensaios de cultura popular e religião. São Paulo: Paz e Terra, 1980.

PARSONS, T. A estrutura da ação social: um estudo de Teoria Social com especial referência a um grupo de autores europeus recentes – Weber. Petrópolis: Vozes, 2010. v. II.

PIERUCCI, A. F. Bye bye, Brasil: o declínio das religiões tradicionais no censo 2000. Estudos Avançados – Dossiê Religiões no Brasil, v. 18, n. 52, p. 17-28, 2004.

RANAGHAN, K. e Dorothy. Católicos pentecostais. Pindamonhangaba: O. S. Boyer, 1972

RODRIGUES, J. A. (Org.). Émile Durkheim: sociologia. São Paulo: Ática, 1978. (Coleção: Grandes Cientistas Sociais, 1).

ROLIM, F. C. Pentecostais no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1985.

SIEPIERSKI, C. T. De bem com a vida: O sagrado num mundo em transformação. Um estudo sobre a Igreja Renascer em Cristo e a presença evangélica na sociedade brasileira contemporânea (tese de doutorado em Antropologia Social) São Paulo, USP, 2001

SANCHIS, P. A contribuição de Émile Durkheim. In: TEIXEIRA, F. (Org.). Sociologia da Religião: enfoques teóricos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

TEIXEIRA, F. (Org.). Sociologia da Religião: enfoques teóricos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

WEBER, M. Economia e sociedade. Brasília: UNB, 1991.

WILLAIME, J.-P. Sociologia das religiões. São Paulo: Unesp, 2012.