Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Contribuições das Formas Elementares de Vida Religiosa de Émile Durkheim para o Estudo do Pentecostalismo Brasileiro

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1078/er.v26n42ep172-185

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/ER/index 

downloadpdf

Maxwell P. Fajardo1

   

Resumo: Neste artigo pretendemos fazer um breve levantamento das principais ideias propostas por Émile Durkheim em sua centenária obra As formas elementares de vida religiosa. A seguir, propomos-nos analisar como o pensamento durkheimiano foi utilizado na academia brasileira como base para os estudos pioneiros sobre o pentecostalismo no País. Por fim, discutimos como algumas das ideias sugeridas por Durkheim, como a noção de representação coletiva, podem oferecer subsídios para novas pesquisas acerca do campo pentecostal brasileiro.

Palavras-chave: Durkheim; pentecostalismo; representações coletivas; anomia social.

 

Abstract: In this paper we bring a short survey of the main ideas proposed by Émile Durkheim in his centennial book The elementary forms of religious life. We analyze how the durkheimian thought was used in the Brazilian academy as the basis for pioneering studies on Pentecostalism in the country. Finally, we discuss how some of Durkheim’s ideas, such as the notion of collective representation, can provide insight to new research on the field of Brazilian Pentecostalism.

Keywords: Durkheim; Pentecostalism; collective representations; social anomie.

 

1 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP/Assis). Doutorando em História pela Universidade Estadual Paulista (UNESP/Assis). Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo. Bacharel e licenciado em História pelo Centro Universitário FIEO.

 

Literatura Citada

ALENCAR, G. F. Construção, desconstrução e reconstrução de heróis missionários: um estudo de caso sobre Daniel Berg e Gunnar Vingren, missionários fundadores da Assembléia de Deus no Brasil. In: CONGRESSO DA ALER - MUNDOS RELIGIOSOS: IDENTIDADES E CONVERGÊNCIAS, 11., 2006, Rudge Ramos. Anais... São Bernardo do Campo: Umesp, 2006.

ALMEIDA, R. A expansão pentecostal: circulação e flexibilidade. In: TEIXEIRA, F.; MENEZES, R. (Orgs.). As religiões no Brasil: continuidades e rupturas. Petrópolis: Vozes, 2006.

ALMEIDA, R. Religião na metrópole paulista. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 19, n. 56, 2004. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69092004000300002

ANTUNES FILHO, E. Religião, corpo e emoção: educação dos sentidos e habitus de classe na Igreja Comunidade da Graça no ABC paulista. Tese (Doutorado em Ciências da Religião) - Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2009.

ARAÚJO, I. Dicionário do movimento pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.

CARDOSO, M.H.C.A.; GOMES, Romeu. Representações sociais e história: referenciais teórico- -metodológicos para o campo da saúde coletiva. Cad. Saúde Pública. Rio de Janeiro, n. 16(2), p. 499-506, abr-jun. 2000.

CAMARGO, C. P. F. Católicos, protestantes, espíritas. Petrópolis: Vozes, 1973.

CHARTIER, R. A aventura do livro: do leitor ao navegador; conversações com Jean Lebrun. São Paulo : Unesp/Imesp, 1999.

CHARTIER, R. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1988.

DANIEL, S. História da convenção geral das Assembleias de Deus no Brasil. Rio de Janeiro: CPAD, 2004.

D’EPINAY, C. L. O refúgio das massas: estudo sociológico do pentecostalismo chileno. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

DURKHEIM, E. As formas elementares de vida religiosa. 3. ed., São Paulo: Paulus, 2008.

DURKHEIM, E. As regras do método sociológico. São Paulo: Editora Nacional, 1978.

DURKHEIM, E. Da divisão do trabalho social. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

DURKHEIM, E. O suicídio. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

FRESTON, P. Breve história do pentecostalismo brasileiro. In: ANTONIAZZI, A. (Org.). Nem anjos nem demônios: interpretações sociológicas do pentecostalismo. Petrópolis: Vozes, 1994.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.

HERMAN, J. História das religiões e religiosidades. In: CARDOSO, C. F.; VAINFAS, R. (Orgs.). Domínios da história: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

JARDILINO, J. R. L. As religiões do espírito. São Paulo: Iser, 1994.

MENDONÇA, A. G. Protestantes, pentecostais & ecumênicos. 2. ed. São Bernardo do Campo: Umes, 2008.

PIERUCCI, A. F. Religião como solvente: uma aula. Novos estudos Cebrap, São Paulo, n. 75, p. 12-23, Jul. 2006.

SOUZA, B. M. A experiência da salvação: pentecostais em São Paulo. São Paulo: Duas Cidades, 1969.

TROELTSCH, E. Igreja e seitas. Trad. Paulo Henriques Britto. Religião e Sociedade. v. 3, n. 14, Rio de Janeiro, 1987.

WEBER, M. A ética protestante e o “espírito” do capitalismo. São. Paulo: Companhia das Letras, 2004a.

WEBER, M. Economia e sociedade. São Paulo: UnB/Imprensa Oficial, 2004b. v. 2.

WILLAIME, J. P. Sociologia da religião. São Paulo: Unesp, 2012.