Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Envelhecimento e Finitude: Uma Questão Religiosa?

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1078/er.v24n38p155-169

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/ER/index 

downloadpdf

Sávio C. D. Scopinho1

  

Resumo: Este artigo pretende refletir sobre a relação existente entre envelhecimento, finitude e religião. A ideia de envelhecimento remete a diversas possibilidades de compreensão, desde a biológica, passando pela psicológica e sociológica, sempre tendo presente a perspectiva antropológica. Depois de uma rápida definição das referidas abordagens, será apresentada uma visão de religião, entendida como utopia e esperança. Só assim, tornar-se-á possível estabelecer a relação entre finitude, envelhecimento e religião. Mais do que uma simples articulação entre os conceitos, a proposta é defender que a vida, associada à utopia e à esperança, são os grandes vetores na compreensão do processo de envelhecimento.

Palavras-chave: Envelhecimento; Finitude; Religião; Ser humano

 

Abstract: The aim of this article is to reflect over the relationship among aging, finitude and religion. The idea of aging refers to various possibilities of comprehension, from biological, passing through psychological and sociological, always referring to the anthropological comprehension. After a brief definition of the approaches referred above, a religious view will be presented, which is understood as utopia and hope. This is the only way to establish a relationship among finitude, aging and religion. More than a simple articulation between these concepts, the aim is to present the idea that life, associated with utopia and hope, are great vectors in the comprehension of the aging process.

Keywords: Aging. Finitude. Religion. Human being.

 

1 Diretor acadêmico das Faculdades Integradas Claretianas de Rio Claro, onde atua também como professor, ministrando a disciplina “Ética e Antropologia” e “Antropologia Teológica”. Foi professor no Curso de Teologia da PUC de Campinas (1998-2004) e exerceu por um ano a função de coordenador do mesmo curso; foi professor e assessor de Pesquisa da Vice-Reitoria Acadêmica da Universidade Metodista de São Paulo – UMESP (2000-2004) e professor no curso de Ciências da Religião das Faculdades Integradas Claretianas – Unidade São Paulo (2000-2004). Doutor em Teologia Dogmática pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma (1995-1997). Também é mestre em Filosofia pelo Programa de Mestrado em Filosofia Social, da Pontifícia Universidade Católica de Campinas. E-mails: savio@claretianas.com.br e sabaras@uol.com.br

 

Literatura Citada

ALVES, Rubem. O que é religião. 13. ed. São Paulo: Brasiliense, 1990.

FREI BETTO. A Obra do Artista. Uma visão holística do Universo. 3. ed. São Paulo: Ática, 1997.

GOLDENWEISER, A.A. Totemism, an analytical Study. In Journal of American Folk-lore (1910) XXIII, n. 88. http://dx.doi.org/10.2307/534841

KÜNG, H. Freud und die Zukunft der Religion. München- Zürich, Piper, 1987. Tradução brasileira: Freud e a questão da Religião. Trad. Carlos Almeida Pereira, Campinas – SP: Verus Editora, 2006.

MOURA, João Carlos (org.). Hélio Pellegrino. A-Deus. Petrópolis: Vozes, 1988.

PILLAR GROSSI, Esther & BORDIN, Jussara (orgs.). Construtivismo pós-piagetiano. Um novo paradigma sobre aprendizagem. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1993.

SALGADO, Marcelo Antonio. Velhice, uma nova questão social. São Paulo: SESC, 1982.