Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Jovem Adulto que Reside com os Pais: Um Estudo Exploratório

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v20n1-2p51-62

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MUD/index 

downloadpdf

Miguel Bunge1, Natalia R. Galantine1, Amanda M. Hauck1, Ana P. L. Marconi1 & Eliana M. Felice2

 

Resumo: Na atualidade, observam-se muitos filhos em idade adulta morando com os pais. Muitos deles possuem renda mensal que lhes permitiria viver de forma independente, porém fazem a opção por residir com a família de origem. Este trabalho teve como objetivo investigar os fatores psicológicos que contribuem para essa opção. Realizou-se uma pesquisa qualitativa exploratória com quatro adultos do sexo masculino, com idades iguais ou superiores a 30 anos, que residiam com os pais. Como instrumentos da pesquisa, utilizaram-se uma entrevista semiestruturada e três pranchas do Teste de Apercepção Temática (TAT). Os dados coletados revelaram traços de dependência e imaturidade, passividade e insegurança, além de conflitos relacionados ao complexo de Édipo, considerados fatores emocionais que podem contribuir para o prolongamento da permanência na casa dos pais. Esses fatores apareceram encobertos sob um discurso que salientou, como principais causas da situação, dificuldades sociais e econômicas

Palavras-chave: Desenvolvimento do adulto, relações pais-filhos, complexo de Édipo, maturidade emocional, saúde mental

 

Abstract: Nowadays, adult children living with their parents is a phenomenon that can be observed in several families. Although many of them have an income that would allow them to live independently, they choose to stay in their families’ houses. The aim of this paper was to investigate the psychological factors that contribute to this choice. An exploratory qualitative research was carried out with four male adults, of at least 30 years old, who lived with their parents. A semi-structured interview and three boards of the Apperception Thematic Test were used as research instruments. The data collected revealed traits of dependence and immaturity, passivity and insecurity, as well as conflicts related to the Oedipus Complex, all of which can be considered emotional factors that may contribute to the prolonged stay in the parents’ home. These factors appeared hidden behind speeches that emphasized social and economic difficulties as the main reasons for the situation.

Key words: Adult development, parent-child relationship, Oedipus Complex, emotional maturity, mental health

 

1 Alunos de graduação em Psicologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie
2 Professor doutor da Universidade Presbiteriana Mackenzie; e-mail: elianafelice@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

Aberastury, A. (Org.). (1980). Adolescência. Porto Alegre: Artes Médicas. Blos, P. (1996). A adolescência masculina prolongada: formulação de uma síndrome e suas implicações terapêuticas. In: Blos, P. Transição adolescente: questões desenvolvimentais (pp. 28-38). Porto Alegre: Artes Médicas.

Camarano, A. A. (Org.). (2006). Transição para vida adulta ou vida adulta em transição? Rio de Janeiro: Ipea.

Camarano, A. A., Mello, J. L., Pasinato, M. T., & Kanso, S. (2005). Caminhos para a vida adulta: As múltiplas trajetórias dos jovens brasileiros. Última Década, 12(21), 11-50.

Cerveny, C. M. O., & Berthoud, C. M. E. (2002). Visitando a família ao longo do ciclo vital. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Cerveny, C. M. O., et al. (1997). Família e ciclo vital: nossa realidade em pesquisa. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Cobo, B., Saboia, A. L. (2010). A “geração canguru” no Brasil. Anais do XVII Encontro Nacional de Estudos Populacionais, Caxambu, MG, Brasil, Recuperado em 20 de Março, 2011, de http://www.abep.nepo.unicamp.br/encontro2010/docs_pdf/tema_12/abep2010_2645.pdf

Dolto, F. (1990). A causa dos adolescentes. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Freud, S. (1976). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. In Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (trad. Salomão, J.) (v. 7., pp. 123-252). Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1905).

Henriques, C. R., Jablonsky, B. & Feres-Carneiro, T. (2004). A geração canguru: algumas questões sobre o prolongamento da convivência familiar. Revista Psico, São Paulo. Recuperado em 08 de Novembro de 2011, de <http://www.bernardojablonski.com/pdfs/producao/geracao_canguru.pdf>.

Levandowski, D .C., Piccinini, C. A., & Lopes, R. C. S. (2009). O processo de separação-individuação em adolescentes do sexo masculino na transição para a paternidade. Psicologia: Reflexão e Crítica, 22(3), 353-361. https:/doi.org/10.1590/s0102-79722009000300005

Machado, B. G., & Predebon, J. C. (2008). “Geração canguru”: uma nova configuração da família contemporânea. Anais do IX Salão de Iniciação Científica e Trabalhos Acadêmicos, Guaíba, RS, Brasil, Recuperado em 22 de Março de 2011, de http://guaiba.ulbra.tche.br/pesquisa/2008/artigos/psicologia/332.pdf.

Mahler, M. S. (1982). O processo de separação-individuação. Porto Alegre: Artes Médicas.

Pikunas, J. (1981). Desenvolvimento humano: uma ciência emergente. São Paulo: McGraw-Hill.

Silva, M. C. V. M. (1989). TAT: Aplicação e interpretação do Teste de Apercepção Temática. São Paulo: EPU.

Silveira, P. G., & Wagner, A. (2006, outubro - dezembro) Ninho cheio: a permanênciado adulto jovem em sua família de origem. Estudos de Psicologia, 23(4), 441-453. https:/doi.org/10.1590/S0103-166X2006000400012

Turato, E. R. (2005). Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde: definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Revista de Saúde Pública, 39(3), 507-514. https:/doi.org/10.1590/S0034-89102005000300025