Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Saúde da Família Adotiva

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v17n2p73-78

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MUD/index 

downloadpdf

Edilene F. Queiroz1

 

Resumo: Em todos os tempos e culturas, sempre existiram e sempre existirão mulheres que, por inúmeras razões, abandonam ou entregam suas crias para outros criarem. Vários são os dispositivos criados no sentido de proteger tais crianças, desde a institucionalização à prática da adoção. Na sociedade brasileira, ainda persiste a crença de que o filho autêntico e verdadeiro é aquele que mantém laços de consanguinidade; já o adotivo aparece como segunda alternativa, quando as tentativas de procriação falham. Nesse contexto, a adoção está carregada de mitos, falsas impressões, medos e distorções do real sentido e significado desse ato de filiação, contribuindo para que muitas famílias potencialmente capazes de concretizá-lo se recusem a isto. Repensar a questão do abandono e da adoção significa dar passos no sentido de re-significar valores, desmitificar crenças limitantes e considerar, acima de tudo, o bem-estar da criança e do adolescente e a saúde da família. Esse tem sido o propósito do Serviço de Orientação à Filiação Adotiva (SOFIA) criado na Clínica de Psicologia da Universidade Católica de Pernambuco que se dispõe a fazer acompanhamento psicológico de candidatos e de pais adotivos.

Palavras-chave: Adoção (Crianças). Afiliação (Motivação). Comportamento de apego. Atitudes, Vínculos, Mitos.

 

Abstract: Throughout all times and in all cultures there existed and will always exist women that for many reasons abandon their children or give them away to be raised by others. Several have been the social arrangements created to protect them, from institutionalization to adoption. In Brazilian society still persists the belief that the authentic child is the one with consanguinity bonds. The adopted child appears as a second alternative, when the procreation attempts fail. Because of this, adoption is laden with myths, false impressions, fears and distortions of the real sense and meaning of this affiliation act. In this way they contribute to lead many families who are potentially able of adopting children to refuse doing it. To reconsider the abandonment and the adoption alternatives means to take steps in order to give values a new meaning, “demythologize” limiting beliefs and to consider above all the child’s and the adolescent’s welfare and the family health. This has been the objective of the Orientation Service on Adoptive Affiliation (SOFIA, Portuguese acronym) organized in Psychological Clinic of the Pernambuco Catholic University, readied to offer psychological accompaniment to candidates and adoptive parents.

Key words: Adoption (children). Affiliation (motivation). Attachment behavior. Attitudes, Bonding, Myths.

 

1 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil. E.mail: equeiroz@unicap.br ; edilenequeiroz@uol.com.br

 

Literatura Citada

Campos, N. M. V. (2001) A família nos estudos psicossociais de adoção: uma experiência na Vara da Infância e Juventude do Distrito Federal. Dissertação de Mestrado. Instituto de Psicologia. Universidade de Brasília.

Chaves, A. (1983) Adoção Simples e Adoção Plena. São Paulo: Editora revista dos Tribunais.

Couto, I. A. P & Melo, V. G. (1998) Reconstruindo a história do atendimento à infância no Brasil. Em L. C. Basílio, M. de L. SáEarp & P. N. Noronha (Orgs) Infância tuletada e educação: história, política e legislação. (pp.20-28) Rio de Janeiro: Ravil,

Estatuto da Criança e do Adolescente (2001). Lei 8.069 de 13.07.1990. Recife: Governo do Estado de Pernambuco.

Ferreira e Carvalho (2002). Adoção. Disponível em: http://www.ibraddic.com.br/temas/familia/adocao/index.htm Acesso em 25/04/2007

Hamad, N. (2001) L’enfant Adoptif er sés familles. Paris: Denoël.

Marcílio, M. L. (1998) História social da criança abandonada. São Paulo: Hucitec Silva, R. (1997) Os filhos do governo: a formação da identidade criminosa em crianças órfãs e abandonadas. São Paulo: Ática.

Weber, L. N. D. (2003) Laços de Ternura: pesquisas e histórias de adoção. (Vol. 1, 3a. ed). Curitiba: Juruá.