Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A ZMRC e o Transporte Urbano de Cargas na Cidade de São Paulo

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2177-7284/regs.v2n1p205-227

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/REGS/index 

downloadpdf

Wilian Gatti Junior1

 

Resumo: Este artigo tem como objetivo apresentar a evolução das medidas de restrição sobre a circulação na cidade de São Paulo e a reação dos diversos agentes envolvidos. A partir deste quadro, são propostas linhas de pesquisa para a continuidade do debate sobre o tema com foco na logística, gerenciamento da cadeia de suprimentos e no mercado de transporte. Para isso, foram entrevistadas empresas (indústrias e transportadoras) em algumas regiões do Estado e entidades de classe. Esperava-se que as soluções compreendessem o desenvolvimento econômico, a eficiência do transporte e a minimização dos impactos adversos, porém, as medidas adotadas buscaram a minimização de parte desses impactos, em especial, o nível de congestionamento da cidade. A iniciativa privada se reuniu em torno de entidades de classe com o objetivo de protestar e propor soluções de responsabilidade do poder público. O estudo não identificou qualquer iniciativa de governança na cadeia de suprimentos para a superação dos problemas operacionais que surgiram.

Palavras-chave: Transporte urbano de cargas; Logística urbana; Restrição a circulação de veículos.

 

Abstract: The mayor of Sao Paulo published a series of decrees increasing time frames and weight restrictions for freight vehicles in the area called Zona de Máxima Restrição a Circulação (ZMRC) to solve traffic congestion problems. This paper, classified as an exploratory study, aims to present the evolution of the vehicle restrictions and time-access regulations in the city and the reaction of the actors involved. From this framework the paper addresses future research focusing on logistics, supply chain management and transportation market. For this, it was interviewed companies (industry and transport) in some regions of the state and entities. It was hoped that solutions to understand economic development, transport efficiency and minimizing adverse impacts, however, the measures adopted have sought to minimize some of these impacts, in particular the congestion level in the city. Private initiative gathered around class organizations in order to protest and to propose solutions for local authorities. The study did not identify any governance initiative in the supply chain to overcome the operational problems that have arisen.

Key words: Urban freight transport; Urban logistics; Vehicles route restriction, São Paulo.

 

1 Doutorando e Mestre em administração pela FEA USP, graduado em administração pela FECAP e-mail: wgatti@usp.br

 

Literatura Citada

ABEPL. Associação Brasileira de Empresas e Profissionais de Logística. Jundiaí, 2008. Disponível em: <http://www.abepl.org.br/>. Acesso em: 25 junho 2008.

ALLEN, J.; ANDERSON, S.; BROWNE, M.; JONES, P. A framework for considering policies to encourage sustainable urban freight traffic and good/service flows – Summary Report, project carried out as part of the EPSRC Sustainable Cities Programme. Transport Studies Group, University of Westminster, 2002.

ANDERSON, S.; ALLEN, J.; BROWNE, M. Urban logistics – how can it meet policy makers sustainability objectives? Journal of Transport Geography, n. 13, p. 71-81, 2005.

ASLOG. Associação Brasileira de Logística. Logística e Abastecimento: impactos da proibição ao tráfego de caminhões em São Paulo. São Paulo, 30/04/2008. Disponível em: <http://www.aslog.org.br>. Acesso em: 02 maio 2008.

CÂMARA, P.; MACEDO, L.V. Restrição veicular e qualidade de vida: o pedágio urbano em Londres e o “rodízio” em São Paulo. Disponível em: <http://www.nossasaopaulo.org.br/>. Acesso em: 20 maio 2008.

CET. Companhia de Engenharia de Tráfego. Cidade Limpa Caminhões: comparação antes e depois. São Paulo, 2009. Disponível em: <http://cetsp1.cetsp.com.br/pdfs/carga/zmrc.pdf>. Acesso em: 23 junho 2009.

CET. Companhia de Engenharia de Tráfego. Mapa ZMRC. São Paulo, 2008. Disponível em: < http://cetsp1.cetsp.com.br/pdfs/carga/mapaZMRC.pdf>. Acesso em: 13 agosto 2009.

CRESPO, S. Trânsito faz perder bilhões de reais, mas cálculos variam muito. UOL - Especial Trânsito, 12/05/08. Disponível em: <http://noticias.uol.com.br/ultnot/especial/2008/transito/2008/05/12/ult5848u24.jhtm>. Acesso em: 10 agosto 2009.

DETRAN. Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo. São Paulo, 2010. Disponível em: <http://www.detran.sp.gov.br/>. Acesso em: 23 julho 2010.

FACCHINI, D.; CYBIS, H.B.B (Orient.). Análise dos gaps de percepção dos atores envolvidos no transporte urbano de carga em Porto Alegre. Porto Alegre, 2006. 135 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2006.

GIL, A.C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GONÇALVES, M.; FLEURY, A.C.C. (Orient.). Contribuição ao estudo dos processos de interdependência organizacional e tecnológica. São Paulo, 1990. 181 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo. São Paulo, 1990.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/>. Acesso em: 29 junho 2008.

IZIDORO, A.; SANGIOVANNI, A. Veto a caminhão mudará rotina de SP. Folha de São Paulo. São Paulo, ano 88, n. 28.942, 29/06/2008. Disponível em: < http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2906200821.htm>. Acesso em: 29 junho 2008.

MACÁRIO, R. Upgrading quality in urban mobility systems. Managing Service Quality, v. 11. 2001.

MACÁRIO, R.; FILIPE, L.N.; REIS, V. Mobilidade urbana sustentável e a distribuição de mercadorias. In: Congresso Luso Brasileiro para o Planejamento, Urbano, Regional, Integrado e Sustentável - Pluris, 2., 2006. Resumos... Braga: Pluris, 2006.

MELO, S.M.B.M.; COSTA, A. (Orient.). Uma logística colaborativa para a cidade. Porto, 2002. 122 f. Dissertação (Mestrado em Planejamento e Projeto do Ambiente Urbano) – Faculdade de Engenharia, Universidade do Porto. Porto, 2002.

MUÑUZURI, J; LARRAÑETA, J; ONIEVA, L; CORTÉS, P. Solutions applicable by local administrations for urban logistics improvement. Cities, v. 22, n.1, 2005.

OGDEN, K.W. Urban Goods Movement: A Guide to Policy and Planning. England: Ashgate, 1992.

PREFEITURA DE SÃO PAULO. São Paulo em movimento. São Paulo, 2009. Disponível em: <http://www9.prefeitura.sp.gov.br/spMovimento/trafurb/princindic.php>. Acesso em: 14 agosto 2009.

QUAK, H.J.; de KOSTER, M.B.M. Delivering goods in urban areas: how to deal with urban policy restrictions and the environment. Transportation Science, p. 1-17, 2008.

QUISPEL, M. Active partnerships: the key to sustainable urban freight transport. In: European Conference on Mobility Management – ECOMM 6., 2002, Gent, Bélgica. European Conference on Mobility Management. Gent: ECOMM, 2002.

REINA, E.; OSCAR, N.; MACHADO, R. Velocidade média dos carros em SP, no pico da manhã, cai 16,6% em 1 ano. O Estado de S.Paulo. Disponível em: < http://www.estadao.com.br/geral/not_ger394746,0.htm >. Acesso em: 29 junho 2009.

SANCHES JUNIOR, P.F.; RUTKOWSKI, E.; LIMA JUNIOR, O.F. Análise Crítica das Políticas Públicas para Carga Urbana nas Metrópoles Brasileiras. In: ENCONTRO

NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO – ENEGEP 28., 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ABEPRO, 2008.

SANTOS, E.C.; AGUIAR, E.M. Transporte de Cargas em Áreas Urbanas. In: CAIXETAFILHO, J.V; MARTINS, R.S. (Org.). Gestão Logística do Transporte de Cargas. São Paulo: Atlas, 2001.

SÃO PAULO. Decreto n° 33.272, de 11 de junho de 1993. Dispõe sobre a Zona de Máxima Restrição de Circulação - ZMRC, e da outras providencias.

SÃO PAULO. Decreto nº 37.085, de 3 de outubro de 1997. Regulamenta a lei nº 12.490, de 3 de outubro de 1997, que autoriza o Executivo a implantar Programa de Restrição ao Trânsito de Veículos Automotores no Município de São Paulo.

SÃO PAULO. Decreto nº 37.185, de 20 de novembro de 1997. Dispõe sobre o trânsito de caminhões nas vias do município de São Paulo e nas Zonas de Máxima Restrição de Circulação - ZMRC, e dá outras providências.

SÃO PAULO. Decreto nº 45.821, de 6 de abril de 2005. Fixa horários para a realização de operações de carga e descarga em estabelecimentos comerciais e de serviços localizados no Município de São Paulo.

SÃO PAULO. Decreto nº 48.338, de 10 de maio de 2007. Estabelece normas para o trânsito de caminhões e para operações de carga e descarga em estabelecimentos situados no Município de São Paulo.

SÃO PAULO. Decreto nº 49.487, de 12 de maio de 2008. Regulamenta o trânsito de caminhões na Zona de Máxima Restrição de Circulação - ZMRC.

SÃO PAULO. Decreto nº 49.636, de 17 de junho de 2008. Dispõe sobre o trânsito dos Veículos Urbanos de Carga - VUC na Zona de Máxima Restrição de Circulação - ZMRC, nos períodos e nos horários que especifica.

SCARINGELLA, R.S. A crise da mobilidade urbana em São Paulo. São Paulo Perspec., São Paulo, v.15, n.1, 2001.

SETCESP. Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região. Manifesto: pela mobilidade urbana e o abastecimento de São Paulo. São Paulo, 16 maio 2008. Disponível em :< http://www.setcesp.org.br/>. Acesso em: 07 abril 2009.

SINAY, M.C.F.; NOVAES, A.G.; CAMPOS, V.B.G.; DEXHEIMER, L. Distribuição de Carga Urbana: Componentes, Restrições e Tendências. In: Rio de Transportes, 2., 2004, Rio de Janeiro. Rio de Transportes II, v.1, 2004.

SPINELLI, E.; IZIDORO, A. Maioria é a favor da ampliação do rodízio. Folha de São Paulo. São Paulo, ano 88, n. 28.859, 7 abr. 2008. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff0704200801.htm>. Acesso em: 28 junho 2008.

TANIGUCHI, E.; THOMPSON, R.; YAMADA, T.; DUIN, R. City Logistics: Network Modelling and Intelligent Transport Systems. Oxford: Pergamon, 2001.