Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Luto Antecipatório dos Pais de uma Criança com Doença Crônica: Uma Análise Fenomenológica do Filme Em Busca da Luz

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-0969/pi.v16n16p71-101

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/PINFOR/index 

downloadpdf

Bruna S. Gaino1, Candido J. Flauzino2, Danieli R. M. da Silva3 & Thais da S. Teixeira4

 

Resumo: Com base em cenas do filme Em busca da luz (1988), o presente estudo teve por objetivo compreender a vivência do luto antecipatório pelos pais de uma criança acometida por uma doença crônica. Para tanto, formulou-se uma pergunta norteadora: O que significa o luto antecipatório para os pais de uma criança que vivencia uma doença crônica? Com enfoque na abordagem qualitativa, embasada no método fenomenológico existencial, recortes de cenas foram feitos para apresentar os sentidos atribuídos por pais na vivência da doença crônica de um filho. A partir da seleção das cenas foram levantadas três categorias de análise: a perda do filho – o modo como os pais vivenciam esta situação; existência, temporalidade e finitude – o ser lidando com o tempo após o diagnóstico de uma doença crônica; finitude – ideia de morte e o possível amparo religioso desta vivência. Estas categorias possibilitaram uma compreensão do fenômeno investigado e, mediante a análise da vivência desses pais, desvelou-se a experiência do luto antecipatório como uma preparação para o enfrentamento da morte do filho, com toda a complexidade envolvida nesta vivência.

Palavras-chave: finitude; luto antecipatório; religiosidade; experiência da temporalidade

 

Abstract: Based on scenes from the film Go toward the light (1988), this study aimed at understanding the experience of anticipatory grief lived by the parents of a child affected by a chronic disease. With such proposal, a guiding question was made: What does anticipatory grief mean for the parents of a child with a chronic disease? With a qualitative approach and based on the existential-phenomenological method, some scenes were selected to present the parents’ feelings when dealing with their child’s chronic disease. After the scenes’ selection, three categories of analysis were raised: the child’s death - how his parents experience this fact; existence, temporality, and finitude – how people deal with time after the diagnosis of a chronic disease; finitude - the idea of death and the possible religious support to go through the experience. These categories enabled an understanding of the investigated phenomenon and through the analysis of these parents’ experiences, anticipatory grief is seen as a preparation to face the child’s death, with all the complexities involved in this experience.

Key words: finitude; anticipatory grief; religiosity; the experience of temporality

 

1 Psicóloga graduada pela Universidade Metodista de São Paulo (brubfs@yahoo.com.br)
2 Psicólogo pós-graduado em Psicologia Hospitalar e mestre em Psicologia pelo Ipusp. Atua nas áreas acadêmica, hospitalar e clínica (candidoj.f@bol.com.br)
3 Psicóloga graduada pela Universidade Metodista de São Paulo (dani_rieli@yahoo.com.br)
4 Psicóloga graduada pela Universidade Metodista de São Paulo (thaisteixeira_psi@yahoo.com.br)

 

Literatura Citada

BELLO, A. A. Introdução à fenomenologia. São Paulo: Edusc, 2006.

BOFF, L. Saber cuidar: ética do humano – compreensão pela terra. Petrópolis: Vozes, 2003.

BROMBERG, M. H. P. F. A psicoterapia em situações de perdas e lutos. São Paulo: Psy, 1997.

BROMBERG, M. H. P. F. et al. Vida e morte: laços da existência. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1996.

CARTER, B.; MC GOLDRICK, M. (Orgs.). As mudanças no ciclo de vida familiar: uma estrutura para a terapia familiar. 2. ed. Artmed: Porto Alegre, 1995.

CASTRO, D. S. P. de. Fenomenologia e análise do existir. São Bernardo do Campo: Umesp, 2000.

DARTIGUES, A. O que é a fenomenologia? São Paulo: Centauro, 2008. EM BUSCA da luz (Go toward the light). Direção: Mike Robi. Produção: Nick Lombardo. Roteiro: Beth Polson. Intérpretes: Linda Hamilton, Richard Thomas, Joshua Harris e outros. Estados Unidos, 1988. 1 DVD (93 min), son., color.

FONSECA, J. P. Luto antecipatório: as experiências pessoais, familiares e sociais diante de uma morte anunciada. São Paulo: Livro Pleno, 2004.

FUKUMITSU, K. O. Uma visão fenomenológica do luto: um estudo sobre as perdas no desenvolvimento humano. São Paulo: Livro Pleno, 2004.

FUKUMITSU, K, O. Morte e processo de luto: lições para o recomeço da vida. In: ODDONE, H. R. B.; FUKUMITSU, K. O. (Orgs.). Morte, suicídio e luto. Estudos gestálticos. São Paulo: Livro Pleno, 2008.

HEIDEGGER, M. Ser e tempo: pensamento humano. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. vol. 2. INWOOD, M. Heidegger. São Paulo: Loyola, 2004.

KOVÁCS, M. J. Morte e desenvolvimento humano. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1992.

KOVÁCS, M. J. Perdas e o processo de luto. In: INCONTRI, D.; SANTOS, F. S. (Orgs.). A arte de morrer: visões plurais. 2 ed. Bragança Paulista: Comenius, 2009. vol. 1.

KÜBLER-ROSS, E. Sobre a morte e o morrer. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

MARTINS, J.; DICHTCHEKENIAN, M. F. S. F. B. Temas fundamentais de fenomenologia. São Paulo: Moraes, 1984.

MARTINS, J.; BICUDO, M. A. V. A pesquisa qualitativa em psicologia: fundamentos e recursos básicos. 2. ed. São Paulo: Moraes, 1994.

MENDONCA, V. S. Sofrendo entre quatro paredes: relatos de mães acompanhantes dos filhos hospitalizados. Revista Electrónica de Psicología Política, San Luis, v. 7, n. 19, 2009. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1669-35822009000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 23 out. 2012.

MORAIS, R. Homem e morte: visão antropológico-filosófica e senso comum. In: REZENDE, V. L. (Org.). Reflexões sobre a vida e a morte: abordagem interdisciplinar do paciente terminal. Campinas: Unicamp, 2000. p. 95-104.

PAULA, B. A contribuição do consolo religioso na elaboração do luto. Caminhando, São Bernardo do Campo, ano X, n. 16, 2005. Disponível em: <https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/CA/article/viewArticle/1275>. Acesso em: 23 out. 2012.

PAULA, B. Corpos enlutados: por um cuidado espiritual terapêutico em situações de luto. São Bernardo do Campo: Umesp, 2009. Disponível em: <http://ibict.metodista.br/tedeSimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2160>. Acesso em: 10 jan. 2012.

PESSINI, L.; BARCHIFONTAINE, C. P. Buscar sentido e plenitude de vida: bioética, saúde e espiritualidade. São Paulo: Paulinas, 2008.

SCHLIEMANN, A. L. A morte e o morrer na infância e adolescência. In: INCONTRI, D.; SANTOS, F. S. (Orgs.). A arte de morrer: visões plurais. 2. ed. Bragança Paulista: Comenius, 2009. v. 1.

SEIBT, C. L. Poder-ser próprio: angústia e morte em ser e tempo de Heidegger. Philosophica, Pará, v. 35, p. 181-197, 2009. Disponível em: <http://www.philosophica.ucv.cl/34/Seibtf.pdf>. Acesso em: 23 out. 2012.

SOUZA, A. C. P. Até que a morte nos separe: investigando os aspectos positivos e negativos vivenciados nos momento de despedida. Florianópolis: Unisul, 2006. Disponível em: <http://inf.unisul.br/~psicologia/wp-content/uploads/2008/08/AnaCarolinaPachecodeSouza.PDF>. Acesso em: 23 out. 2012.