Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Sentido da Avaliação Psicológica no Contexto e para o Contexto: Uma Questão de Direito

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-0969/pi.v16n16p179-190

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/PINFOR/index 

downloadpdf

Hilda R. C. Avoglia1

 

Resumo: O presente artigo trata da história da avaliação psicológica vista no Brasil e no mundo, indicando que esta se confunde com a história dos testes psicológicos; observa uma evolução no percurso da avaliação em nosso país, consequentemente na atuação dos psicólogos. Defende o ponto de vista de que avaliar não se resume a aplicar testes, embora os testes padronizados e normatizados sejam muito bem usados na avaliação. Conhecer o que é o procedimento de avaliação certamente acrescenta à formação e à prática profissional, na medida em que traz mais discernimento a tal atividade e facilita, por conseguinte, uma compreensão diagnóstica mais integrada.

Palavras-chave: avaliação psicológica; psicodiagnóstico

 

Abstract: This study focuses on the history of psychological assessment in Brazil and the world, showing that it is intertwined with the history of psychological testing; it notes an evolution in the course of evaluation in Brazil, therefore in the role of psychologists. It advocates the view that evaluation is not just about applying tests, while standardized tests are well used in the assessment. Knowing the assessment procedure certainly adds to the training and the professional practice, insofar as it brings more insight to such activity and thus facilitates a more integrated diagnostic understanding.

Key words: psychological assessment; psycho diagnosis

 

1 Doutora em Psicologia pelo Instituto de Psicologia da USP. Mestre em Psicologia da Saúde pela Universidade Metodista de São Paulo. Especialização em Grupos Operativos pelo Instituto Pichon-Rivière de São Paulo. Docente de Avaliação Psicológica do Curso de Psicologia da Faculdade da Saúde e Membro da Cátedra Gestão de Cidades da Universidade Metodista de São Paulo. Pesquisadora na área de avaliação psicológica e desenvolvimento da criança, adolescente e família. (hilda.avoglia@metodista.br)

 

Literatura Citada

ALCHIERI, J. C.; CRUZ, R. M. Avaliação psicológica: conceitos, métodos e instrumentos. 2. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

ANACHE, A. A. Notas introdutórias sobre os critérios de validação da avaliação psicológica na perspectiva dos direitos humanos. In: NORONHA A. P. P. et al. (Orgs.). Ano da avaliação psicológica: textos geradores. Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2011.

ANASTASI, A.; URBINA, S. Testagem psicológica. 7. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

ARZENO, M. E. G. Psicodiagnóstico clínico: novas contribuições. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

AUGRAS, M. Fenomenologia da situação de psicodiagnóstico. Petrópolis: Vozes, 1981.

AVOGLIA, H. R. C. Avaliação psicológica da criança: a perspectiva social nas estratégias complementares à prática clínica. 2006. 226f. Tese (Doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano) – Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, 2006.

CASULLO, M. M. Evaluación psicológica e psicodiagnóstico. Buenos Aires: Catálogos, 1996.

CUNHA, J. A. et al. Psicodiagnóstico, ed. Porto Alegre: Artmed, 2000. v. 5.

DELL’OLIO, N. A.; GUADAGNINO, B. La responsabilidad civil, ética y límites de las prácticas psicológicas. In: CONGRESO DE PSICODIAGNÓSTICO, 12., Y JORNADAS NACIONAL DE ADEIP, 19., 2008, La Plata, Anais…, 2008, p. 107-110.

GOUVEIA, V. V. et al. A diversidade da avaliação psicológica: considerações teóricas e práticas. João Pessoa: Idéia / Conselho Regional de Psicologia – 13a. região, 2001. p. 11-13.

GRASSANO, E. Indicadores psicopatológicos nas técnicas projetivas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1996.

OCAMPO, M. L. S.; ARZENO, M. G. E. O processo psicodiagnóstico. In: OCAMPO, M. L. S.; ARZENO, M. G. E; PICCOLO, E.G. (Orgs). O processo psicodiagnóstico e as técnicas projetivas. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1985, p.13-19

PERVIN, L. A. Personalidade: teoria, avaliação e pesquisa. São Paulo: EPU, 1978.

PRIMI, R. Responsabilidade e ética no uso de padrões de qualidade profissional na avaliação psicológica. In: NORONHA A. P. P. et al. (Orgs.). Ano da avaliação psicológica: textos geradores. Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2011. p. 53-58.

REPPOLD, C. T. Qualificação da avaliação psicológica: critérios de reconhecimento e validação a partir dos Direitos Humanos. In: NORONHA A. P. P. et al. (Orgs.). Ano da avaliação psicológica: textos geradores. Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2011.

TRINCA, W. Diagnóstico psicológico: a prática clínica. São Paulo: EPU, 1984.

VAISBERG, T. M. J. A.; MACHADO, M. C. L. Diagnóstico estrutural de personalidade em psicopatologia. Psicologia USP, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 29–48, 2000.