Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Inovação Sob a Visão dos Gestores de Duas Instituições Públicas

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-9583/refae.v4n1p107-127

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/ReFAE/index 

downloadpdf

William Zanella1, Sabrina Frâncio2, Manuela R. Agostini3 & Eduardo Rech4

 

Resumo: O termo inovação liga-se a um contexto de mudança, de competição, de capacidade produtiva e de diferenciação. Nos estudos organizacionais, o tema permeia discussões e abre campos para atuações em diferentes níveis. Sendo assim, antes de praticar a inovação torna-se pertinente procurar auferir qual a percepção de inovação que determinados gestores tem. O intuito deste artigo foi demonstrar e comparar qual a percepção de inovação dos gestores de duas instituições tidas como públicas: uma Instituição de Ensino Superior da cidade de Blumenau/SC e uma Prefeitura Municipal de uma cidade do Médio Vale do Itajaí/SC. Para tanto, utilizou-se o questionário de Zhuang (1995) e foram pesquisados os 16 principais gestores da IES e os 12 principais gestores da Prefeitura Municipal. Os dados revelaram uma convergência na percepção de inovação de ambos gestores e apontam o indivíduo como agente primordial para a inovação.Aponta-se, como sugestão para novas pesquisas, expandir para novas organizações públicas.

Palavras-chave: Inovação. Percepção. Gestão pública.

 

Abstract: The term innovation binds to a changing environment, competition, production capacity and differentiation. In organizational studies, the theme permeates discussions and open fields for performances at different levels. Therefore, before practicing innovation becomes relevant which seek earn the perception of innovation that certain managers have. The purpose of this article was to demonstrate and compare the perception that innovation managers regarded as two public institutions: an institution of higher education in the city of Blumenau / SC City Hall and a city of the Middle Valley of Itajaí / SC. To this end, we used the questionnaire Zhuang (1995) were surveyed and the 16 top managers of the HEI and the top 12 managers of the City. The data revealed a convergence of innovation in the perception of both managers and link the individual as primary agent for inovação.Aponta up as a suggestion for further research, expand into new public organizations.

Key words: Innovation. Perception. Public Management

 

1 Faculdade meridional - IMED
2 Faculdade meridional - IMED
3 Instituto federal do rio grande do sul
4 Faculdade meridional - IMED

 

Literatuta Citada

CASTRO, Rodrigo Batista de. Eficácia, Eficiência e Efetividade na Administração Pública. In: Encontro da ANPAD, 30, 2006, Salvador. Anais..., Salvador: ANPAD, 2006, 1 CD ROM

DWIGHT, Waldo; tradução PINHEIRO, Albertino Jr. Problemas e aspectos da administração publica /leituras selecionadas, São Paulo : Pioneira, 1966. - xii, 582p.

GASPARINI, Diógenes. Direito administrativo. 4 ed. rev e . ampla. São Paulo: Saraiva,1995.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1999.

JAMES, Samuel Haig. Que é administração pública? /antologia coligida por Samuel Haig James. -2.ed. - [Rio de Janeiro] : FGV, Serviço de Publicações, 1962. - 160 p.

MARTINS, Gilberto de Andrade. Manual para elaboração de monografias e dissertações. São Paulo. 3a. ed. Atlas. 2002

MEIRELLES. Hely Lopes. Direito administrativo brasileiro. 19.ed. São Paulo: Malheiros,1994.

BARBIERI, J. C. et al Organizações inovadoras: estudos e casos brasileiros. 2 ed. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

BARBIERI, J. C. et al. Organizações inovadoras: estudos e casos brasileiros. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003 (b).

CHRISTENSEN, C. M. O crescimento pela inovação: como crescer de forma sustentada e reinventar o sucesso. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003

DAFT, R. L. A dual-core modelo f organizational innovation. Academy of Management Journal, Mississipi, v. 21, n. 2, p. 193-210, Jun. 1978.

DALFOVO, Oscar. Sistemas de informação. Estudos e casos. Organizador Oscar Dalfovo. Blumenau: Acadêmica, 2004.

DAMANPOUR, F. Organizational complexity and innovation: developing and testing multiple contingency models. Management Science, New Jersey, v. 42, n. 5, p. 693, 1996.

DAMANPOUR, F. Organizational size and innovation. Management Science. New Jersey, v. 13, n. 3, p. 375-402, 1992.

DRUCKER, P. F. Inovação e espírito empreendedor: prática e princípios. São Paulo: Pioneira Thompson, 2003.

FERREIRA, A. B. de H. Novo dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Fronteira, 1986.

GUNDLING, E.. The 3M Way to innovation: balancing people and profit. Vintage Books; NY, 1999

JONASH, R. S. E SOMMERLATTE, T. O valor da inovação: (the innovation premium) como as empresas mais avançadas atingem alto desempenho e lucratividade. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

KAPLAN, Robert; NORTON, David. Mapas estratégicos – Balanced Scorecard; convertendo ativos intangíveis em resultados tangíveis. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

SCHEIN, E. H. Organizational culture and leadership (2ª ed.). San Francisco: Jossey-Bass, 1992.

MACHADO, Denise Del Prá Netto. Inovação e cultura organizacional: um estudo dos elementos culturais que fazem parte de um ambiente inovador. 2004. 185p. Tese (Doutorado em Administração de Empresas) – Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. São Paulo. 2004

MACHADO, Denise Del Pra. POWER POINT, 2007 MESTRADO FURB

MARIOTTI, Humberto. Organizações de aprendizagem: educação continuada e a empresa do futuro. São Paulo: Atlas, 1999.

OCDE- ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPPERATION AND DEVELOPMET Oslo Manual: Proposed Guidelines for Colleccting and Interpreting Technological Innovation Data. Paris, OCDE, 2005.

PRESCOTT, John E. MILLER, Stephen H. Inteligência Competitiva na Prática – técnicas e práticas bem sucedidas para conquistar mercados. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

SALIM, Jean J.; SABBAG, Paulo Y. A emergência da gestão do conhecimento como disciplina nas organizações. << http://www.fgvsp.br/conhecimento/home.htm>> Acesso em 26/06 – 10:33 a.m., 2007.

SIMANTOB, Moysés e LIPPI, Roberta. Guia valor econômico de inovação nas empresas. São Paulo: Globo, 2004

SCHUMPETER, J. A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. 3 ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

SUTTON, R. I. Idéias malucas que funcionam: 11 práticas e ½ para promover, gerenciar e sustentar inovação. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

VAN DE VEN, A.H.; et alii; The Innovation Journey; Oxford University Press; NY, 1999

VAN DE VEN, A.H.; et alii. La dinámica de la innovación organizacional: el nuevo concepto para lograr ventajas competitivas y rentabilidad. Trad. Daniel Rey Díaz. Oxford e New York: Oxford University Press México, 1999.

VICENTI, Terezinha Ambiente de inovação nas empresas de software deBlumenau Santa Catarina – Brasil. 2006. 201p. (Dissertação Mestrado em Administração) Universidade Regional de Blumenau.