Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Avaliação da Gestão Ambiental no Setor Hoteleiro: Um Estudo nos Hotéis do Extremo Norte Brasileiro

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-9583/refae.v4n2p249-271

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/ReFAE/index 

downloadpdf

Rosangela S. Silva1, Roberto V. Souza2, Marcilene F. Araújo3, Raquel S. Pereira4 & Flávio E. F. Barros5

 

Resumo: A pesquisa apresentada neste artigo objetivou verificar o gerenciamento ambiental nos hotéis do Município de Boa Vista - RR. Procedeu-se à fundamentação teórica para embasar a pesquisa exploratória, a qual foi aprofundada com pesquisa de campo, que utilizou como instrumento de coleta de dados um questionário estruturado, aplicado junto aos gestores e proprietários dos 12 hotéis existentes na referida região. Mediante tratamento estatístico e análise dos resultados, observou-se, na maioria dos hotéis que não há uma preocupação por parte dos gestores e funcionários no que diz respeito à gestão ambiental. A falta de qualificação dos recursos humanos acerca da educação ambiental e a gestão de resíduos sólidos gerados em hotéis apontam para a carência de informações que possibilitem atitudes mais assertivas, o que contribuiria em muito para o desenvolvimento regional sustentável.

Palavras-chave: Gestão Ambiental, Resíduos Sólidos, hotéis..

 

Abstract: The research presented in this article aimed at assessing the environmental management in hotels in the city of Boa Vista - RR. Proceeded to the theoretical foundation to support exploratory research, which was further enhanced with field research, which used as an instrument of data collection a structured questionnaire, applied with the managers and owners of 12 hotels existing in that region. By statistical treatment and analysis of results was observed in most hotels there is a concern on the part of managers and employees with regard to environmental management. The lack of qualified human resources about environmental education and management of solid waste generated in hotels point to the lack of information allowing more assertive attitudes, which contribute greatly to sustainable regional development.

Key words: Environmental Management, Solid Waste, Hotels.

 

1 Doutoranda em Administração – USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul). rosangelasarmento13@bol.com.br
2 Mestre em Administração – USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul). vidal9804@hotmail.com
3 Doutoranda em Administração – SURB (Universidade Regional de Blumenau). marcyfeitosa@hotmail.com
4 Doutora em Ciências Sociais – PUC-SP (Pontifica Universidade Católica de São Paulo). raquelspereira@uscs.edu.br
5 Mestre em Administração USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul). barrosfef@gmail.com

 

Literatura Citada

AA 1000. ACCOUNTABILITY. Standard for Corporate Responsibility and Sustainable Development (Norma para a Responsabilidade Corporativa e o Desenvolvimento Sustentável): Série de Normas AA 1000:2008. Disponível em: <http://www.accountability.org/standards/index.html>. Acesso em: 02 abr. 2012.

AMARAL, L. M.; NASCIMENTO, M. A. Produto Interno Bruto Estadual e Municipal. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento de Roraima. 6º ed. Boa Vista: CGEES-SEPLAN-RR, 2010.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10004:2004. Resíduos Sólidos – Classificação. 2ª ed. Rio de Janeiro, 2004.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8418:1983. Apresentação de projetos de aterros de resíduos industriais perigosos. Rio de Janeiro, 1983.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8419:1992. Apresentação de projetos de aterros sanitários de resíduos sólidos urbanos. Rio de Janeiro, 1992.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8849:1985. Apresentação de projetos de aterros controlados de resíduos sólidos urbanos. Rio de Janeiro, 1985.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10157:1987. Aterros de resíduos perigosos - critérios para projeto, construção e operação. Rio de Janeiro, 1987.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 9000:2005. Sistemas de Gestão de Qualidade – Fundamentos e vocabulário. Rio de Janeiro, 2005.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 14001:2004. Sistemas da Gestão Ambiental – Requisitos com orientações para uso. Rio de Janeiro, 2004.

BRASIL. Lei nº 9.795. Política Nacional de Educação Ambiental. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm>. Acesso em: 23mar. 2012.

BRASIL. Lei 10.165/2000. Política Nacional do Meio Ambiente. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L10165.htm>. Acesso em: 15 mar. 2012.

BRASIL. Lei nº 12.305/2010. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm>. Acesso em: 15 mar. 2012.

CASTELLI, G. Administração Hoteleira. 9 ed. Caxias do Sul, RS: EDUCS, 2001.

CETESB. Inventário Estadual de Resíduos Sólidos Domiciliares. Série Relatórios. São Paulo, 2009.

CONAMA. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Disponível em: < http://www.mma.gov.br/port/conama/>. Acesso em: 23 jul.2012.

CRUSEIRO, F. A. Qualificação na segregação de resíduos gerados em ambientes hospitalares. Biblioteca Virtual de Desarrollo Sostenible y Salud Ambiental. Disponível em: < http://www.bvsde.paho.org/bvsacd/assemae/rrss/resambhosp.pdf >. Acesso em: 05 abr. 2012.

CUNHA, V; CAIXETA FILHO, J. V. Gerenciamento da coleta de resíduos sólidos urbanos: estruturação e aplicação de modelo não-linear de programação por metas. Revista Gestão e Produção, v.9, n.2, p.143-161, ago. 2002. Disponível em <http://www.scielo.br/pdf/gp/v9n2/a04v09n2.pdf>. Acesso em: 05 abr. 2012.

FOWLER, F. J. Survey research methods. Newbury: Sage, 2002.

FREITAS, A; Geografia e História de Roraima. 2 ed. Manaus -AM: Ed. Gráfima, 2001.

GIESTA, L. C. Educação Ambiental e Sistema de Gestão Ambiental em Empresas. Tese de Doutorado. Programa de Pós graduação em Administração. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2009.

GIESTA, L. C.Estratégias Organizacionais de Desenvolvimento Sustentável e Educação Ambiental: In: EnANPAD XXV Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica – Brasília, 2008. Anais. Rio de Janeiro: ANPAD 2008 p. 1-14.

GIL, A. C. Metodologia do Ensino Superior. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GRIPP, W. G. Gerenciamento de resíduos sólidos municipais e os sistemas complexos: a busca da sustentabilidade e a proposta de cobrança da coleta em Santo André-SP. Tese (Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental). Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, 2004.

HOFFMANN, V. E.; VIEIRA, E. V. Práticas de sustentabilidade ambiental para empreendimentos turísticos hoteleiros: aplicação de um modelo. IV SeminTUR – Seminário de Pesquisa em Turismo do MERCOSUL. Universidade Caxias do Sul-RS, 2006. Disponível em:<http://scholar.google.com.br/scholar?q=hotelaria+e+sustentabilidade&hl=pt-BR&btnG=Pesquisa&Ir=> . Acesso em: 13 abr. 2012.

IBEA. Instituto Brasileiro de Engenharia, Arquitetura e Proteção Ambiental. Disponível em: < http://www.ibea.org.br/agenda_21.html>. Acesso em 23 jul.2012.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades@: Informações Estatísticas. Disponível em: < http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1>. Acesso em: 02 abr. 2012

JACOBI, P. Educar para a Sustentabilidade: Complexidade, reflexividade, desafios. Revista Educação e Pesquisa, v. 31. n.2, 2005.

MAIMON, D. Passaporte Verde: Gerência Ambiental e Competitividade. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1996.

MINISTÉRIO DO TURISMO. Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem - Portaria n.º 100 de 21/06/2011. Disponível em: < http://www.classificacao.turismo.gov.br/MTUR-classificacao/mtur-site/Portaria>. Acesso em: 02 abr. 2012.

OHSAS. OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY ASSESSMENT SERIES. Sistema de Gestão de Saúde e Segurança do Trabalho: Oshas 18001:2007. Disponível em: <http://shop.bsigroup.com/SearchResults/?q=BS%20oshas%2018001>. Acesso em: 02 abr. 2012.

PAVONI, E. T.; BORELLI, J.; SCHNEIDER, V. E.; BEM, F.; O Programa de Educação Ambiental no Grupo Tramontina, In: EnANPAD XXIV Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica – Gramado –RS, 2006. Anais. Rio de Janeiro: ANPAD 2006 p.1-13.

PORTAL – RR. Portal do Governo do Estado de Roraima: Roraima, Dados Gerais. Disponível em: <http://www.rr.gov.br/index.php/roraima/dados-gerais.html>. Acesso em: 02 abr. 2012.

PEREIRA, R. S. et al. Resíduos Sólidos em Hotéis: desinformação ou descaso? Engema 2009. Anais... XI Encontro Nacional e I Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente. Fortaleza: Engema, 2009.

PHILLIPI JUNIOR, A. Saneamento, saúde e ambiente: fundamentos para um desenvolvimento sustentável (Coleção Ambiental: 2). Barueri: Manole, 2005.

PINSONNEAULT, A.; KRAEMER, K. L. An assessment of the use of survey research in the management information systems (MIS) field between 1980 and 1990. Journal of Management Information Systems, v.10, n.2, p.75-106, 1993.

RFB – RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Lei Complementar 139/2011. Disponível em: <http://www.receita.fazenda.gov.br/legislacao/leiscomplementares/2011/leicp139.htm>. Acesso em 04 abr. 2012.

RIO+20. Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável. Disponível em: <http://www.rio20.gov.br/>. Acesso em: 23 jul.2012

RIVERA, J. Assessing a voluntary environmental initiative in the developing world: the Costa Rican certification for sustainable tourism. Policy Sciences n. 35, 2002, p.333 e 360.

RORAIMA, Lei Estadual nº416 de 14 de janeiro de 2004. Disponível em: <http://www.rr.gov.br> acesso em 20 jun/2012.

SA 8000. SOCIAL ACCOUNTABILITY INTERNATIONAL. Responsabilidade Social (Social Accountability) 8000: Norma SA 8000Ò:2001. Disponível em: <http://www.cpfl.com.br/parceiros_inovacao_tecnologica/documentos/Norma_Responsabilidade_Social_SA8000.pdf>. Acesso em: 02 abr. 2012.

SALVATI, S. S. Certificação em ecoturismo: lições mundiais e recomendações para o Brasil, 2001. SOUSA, K. Infraestrutura é gargalo desafiador. In: LIMA, D. Nosso Século XXI. São Paulo: Livre Mercado, 2001.

SEPLAN-RR. SECRETARIA DE PLANEJAMENTO DO ESTADO DE RORAIMA. Turismo em Números: Meios de hospedagem. Disponível em: <http://www.seplan.rr.gov.br/turismoemnumeros/MEIOS%20DE%20HOSPEDAGEM.pdf>. Acesso em 16 nov. 2011.

SOUSA, R.; VOSS, A. C. Contingency research in operations management practices. Journal of Business and Management, v.26, n.6, p.697-713, 2008.

STERN, N. The Economics of Climate Change: The Stern Review. New York: Cambridge University Press, 2007. Disponível em: <http://www.hmtreasury.gov.uk/stern_review_report.htm>. Acesso em: 15 abr. 2012.

SWARBROOKE, J. Turismo Sustentável: conceitos e impacto ambiental. Vol.01; Trad. Saulo Krienger. São Paulo: Aleph. 2000.

RODRÍGUEZ-ANTÓN, J. M.; ALONSO-ALMEIDA, M. M.; CELEMÍN, M. S.; RUBIO, L. Use of different sustainability management systems in the hospitality industry: The case of Spanish hotels. Journal of Cleaner Production 22 (2012) 76e84. Madrid, 2011.

TRATADO EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Conferência Intergovernamental sobre Educação Ambiental aos Países Membros. Tbilisi, Geórgia, ex URSS, de 14 a 26 de out/1977.