Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Compreender a Produção de Sentidos e o Agir Organizacional para a Construção do Processo de Comportamento do Consumidor: Uma Análise Exploratória

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v7n14p85-118

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/OC/index 

downloadpdf

André L. Silva1 & Mario N. Pacagnan2

 

Resumo: Este artigo foi realizado com o objetivo de fundamentar a proposta de um esquema de interpretação do processo de construção do comportamento do consumidor a partir da compreensão da produção de sentidos realizada pelas pessoas e a proposição do agir organizacional. Segundo Solomon (2002), o comportamento do consumidor é compreendido pelas etapas de comprar, possuir e ser. Assim, por meio de um ensaio teórico de natureza qualitativa, e de perspectiva exploratória, partiu-se da premissa que o processo de comportamento do consumidor inicia-se por um estímulo de consumo que detém seu êxito decorrente do agir organizacional e da produção de sentidos realizada pelas pessoas, ao pautarem-se sob fatores éticos. Como resultado, compreendeu-se que o processo de construção do comportamento do consumidor é um agir constituído pelas dimensões pessoas e organizações. Esse agir trata-se de uma relação cíclica que transita entre a ética da convicção das pessoas e a ética da responsabilidade das organizações, sendo este o fator que lhes permite influenciarem e serem influenciadoras dos comportamentos expressos no sistema de marketing. Sendo assim, o esquema de interpretação proposto neste estudo desvela que o processo de comportamento do consumidor decorre de um agir de significação cooperativo que emerge da interação entre os fatores éticos das organizações e das pessoas ao se defrontarem com os estímulos de consumo.

Palavras-chave: comportamento do consumidor, produção de sentidos, estudos organizacionais.

 

Abstract: This article was conducted with the objective to support the proposal for a scheme of interpretation of the construction of consumer behavior based on the understanding the production of meanings held by people and the proposition of the organization acting. According to Solomon (2002), consumer behavior is understood by the steps of buying, owning and being. Thus, by means of a theoretical qualitative, descriptive and exploratory, we started with the premise that the process of consumer behavior is initiated by a stimulation of consumption that its success has caused the organization acting and production of meanings held by people, is to learn from best in ethical factors. As a result, it was understood that the construction process of consumer behavior is an act constituted by the dimensions of people and organizations. This act it is a cyclical relationship that travels between the ethics of conviction of the person and ethical responsibility of organizations, this being the factor that allows them to influence and be expressed in behaviors that influence marketing system. Thus, the interpretation scheme proposed in this study reveals that the process of consumer behavior stems from an act of meaning that emerges from the cooperative interaction among ethical organizations and individuals when faced with stimuli of consumption.

Key words: consumer behavior, production of meaning, organizational studies

 

1 FGV-EAESP – Esc. de Adm. de Emp. de SP da Fundação Getúlio Vargas. Doutorando em Administração de Empresas pela FGV-EAESP. Mestre em Administração pelo PPA (UEM/UEL) – Universidade Estadual de Londrina. Pesquisador inscrito no grupo de estudo organizacionais
2 UEL – Universidade Estadual de Londrina. Pós-Doutorando em Administração pela PUC-PR. Doutor em Administração de Empresas pela FEA-USP. Professor títula da UEL - Universidade Estadual de Londrina.

 

Literatura Citada

ASTLEY, W. G. Administrative science as socially constructed truth. Administrative Science Quarterly, v. 30, p. 497-513, 1985.

BARNARD, C. I. The Functions of the executive. Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press, 1948 [1938].

CASOTTI, L. O que é a pesquisa do consumidor? Reflexões geradas a partir de um problema prático. In: ENCONTRO NACIONAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 23, 1999, Foz do Iguaçu. Anais... Foz do Iguaçu: ANPAD, 1999.

FONTENELLE, I. A. Psicologia e Marketing: da Parceria à crítica. Arquivos Brasileiros de Psicologia, vol. 60, n. 2, p. 143-157, 2008.

KOTLER, P.; LEVY, S. J. Broadening the concept of Marketing. Journal of Marketing, vol. 33, p. 10-15, jan. 1969.

MACINNIS, D. J.; FOLKES, V. S. The disciplinary status of consumer behavior: A sociology of science perspective on key controversies. Journal of Consumer Research, vol. 36, p. 899- 914, abr. 2010.

MAGGI, B. Do agir organizacional. São Paulo: Edgard Blucher, 2006.

MANNHEIM, K. Libertad y planificación social. México: Fondo de Cultura Econômica, 1942.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2007.

MEDRADO, B. Textos em cena: a mídia como prática discursiva. In: SPINK, Mary Jane (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. São Paulo: Cortez, 1999.

MELLO, S. C. B. O que é conhecimento de marketing no Brasil. RAC – Revista de Administração Contemporânea, v. 10, n. 2, p. 203-212, abr./jun. 2006.

MORALES, G. B. A produção de sentidos em perspectiva pós-moderna. Impulso – Revista de Ciências Sociais e Humanas, Piracicaba – São Paulo, v. 12, n. 29, p. 23-31, 2001.

MOWEN, J. C.; MINOR, M. S. Comportamento do consumidor. 1ª. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2003.

PINTO, M. de R.; LARA, J. E. O que se publica sobre comportamento do consumidor no Brasil, afinal? Revista de Administração da UFSM, vol. 1, n. 1, p. 85-100, jan./abr. 2008.

RAMOS, A. G. Administração e contexto brasileiro: esboço de uma teoria geral da administração. 2ª. ed. Rio de Janeiro: FGV, 1983 [1966].

ROSA, A. R.; TURETA, C.; BRITO, M. J. de. Práticas Discursivas e Produção de Sentidos nos Estudos Organizacionais: A Contribuição do Construcionismo Social. Contextus: Revista Contemporânea de Economia e Gestão. Fortaleza, v. 4, n. 1, p. 41-52, jan./jun. 2006.

SIMON, H. Administrative behavior. New York: Macmillan, 1960 [1947].

SOLOMON, M. R. O comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. 2ª. ed. Porto Alegre: Bookman, 2002.

SPINK, M. J.; GIMENES, M. da G. G. Práticas discursivas e produção de sentidos: apontamentos metodológicos para a análise de discursos sobre a saúde e a doença. Saúde e Sociedade, v. 3, n. 2, p. 149-171, 1994.

SPINK, M. J. (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. São Paulo: Cortez, 1999.

SPINK, M. J. Linguagem e produção de sentidos no cotidiano. 1ª. ed. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2010.

TONELLI, M. J. Os sentidos das máquinas: novas tecnologias e a aceleração do cotidiano do trabalho. 2000. Tese de Doutorado em Psicologia Social. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, SP, 2000.

TONELLI, M. J. Produção de sentidos: tempo e velocidade nas organizações. RAP – Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 37, n. 1, p. 33-50, 2003.

VASCONCELOS, F. C.; CYRINO, A. B. Vantagem Competitiva: os modelos teóricos atuais e a convergência entre estratégia e teoria organizacional. RAE – Revista de Administração de Empresas. vol. 40, n. 4, p. 20-37, out./dez. 2000.

WEBER, M. Economia y sociedad. México: Fondo de Cultura Economica, 1944 [1922].

WHETTEN, D. A. O que constitui uma contribuição teórica? RAE – Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 43, n. 3, p. 69-73, jul./set. 2003.

ZALTMAN, G. Consumer researchers: take a hike! Journal of Consumer Research, v. 26, p. 423-428, 2000.

ZEITHAML, V. A; BITNER, M. J. Marketing de serviços: a empresa como foco no cliente. 2ª. ed. Porto Alegre: Brookman, 2003.