Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Relação entre os Retornos Semestrais das Ações dos Bancos Itaú, Bradesco e Unibanco e seus Betas de Janeiro de 1995 a Junho de 2003

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v1n1p93-115

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/OC/index 

downloadpdf

José O. Santos1 & Emerson Pedreira2 & Francisco Tavares3

 

Resumo: O levantamento das taxas de retorno históricas de algumas das maiores corporações bancárias brasileiras chama a atenção, pois das três instituições pesquisadas, Itaú, Bradesco e Unibanco, duas delas apresentaram historicamente evolução nos preços de suas ações. Enquanto a outra apresentou um nível histórico constante em termos do preço de sua ação. Os valores de betas calculados para todas as corporações mantiveram-se em termos médios, constantes. Este valor de beta foi calculado com base em dados semestrais no decorrer de janeiro de 1995 a junho de 2003. Assim, com base nas informações levantadas e apresentadas neste trabalho, a seguinte questão é abordada: existe relação entre os retornos históricos das ações das corporações do setor bancário com o beta de suas ações? Por meio de um conjunto de dados históricos e análises estatísticas, procurou-se verificar se a observações realizadas por Fama e Kenneth quanto à inexistência de relação entre retorno histórico e betas também se aplica ao setor bancário brasileiro. Conclui-se que, embora o setor financeiro bancário do Brasil seja relacionado fracamente às oscilações de mercado, as instituições financeiras brasileiras, a exemplo das observações realizadas por Fama e Kenneth, também não apresentam evidências de que os retornos históricos das ações estejam relacionados com os valores de beta das ações.

Palavras-chave: beta, taxa de retorno histórico.

 

Abstract: The survey of historical interest rates of some of the biggest Brazilian banking corporations call attention because two out of the three institutions researched, that is Itaú, Bradesco and Unibanco, presented historically price evolution in their ordinary stocks, and one of them presented a constant historically stock price level related to its ordinary stocks. The beta values calculated for all corporations kept constant in average for all researched institutions. The beta value was calculated based on semester periods from January 1995 to June 2003. In this sense, based on information presented in this paper the following question is asked: Is there any relation between banking historical stock interest rates and their betas? Through a set of historical data and statistical analysis, we tried to find out if Fama and Kenneth´s observations related to the inexistent relation between historical interest rate and betas are also applicable for Brazilian banking industry. We concluded that, even through Brazilian banking industry is weakly related to market oscillations, Brazilian financial institutions, according to Fama and Kenneth´s observation, did not present clear evidence that stocks historical interest rates are related to betas values.

Key words: beta, historical interest rate.

 

1 Doutor de Finanças pela FGV.
2 Alunos de Mestrado de Administração PUC/SP.

 

Literatura Citada

BRIGHAM, E. F.; GAPENSKI, L. C.; EHRHARDT, M. C. Administração Financeira: Teoria ePrática. São Paulo: Atlas, 2001.

ECONOMÁTICA. Disponível em <http://www.economatica.com.br>. Acesso em: 11 out. 2003.

FAMÁ, R; GRAVA, J. W. Teoria da Estrutura de Capital: As Discussões Persistem. Caderno de Pesquisa em Administração. São Paulo: FEAUSP. v.1, n.11, 1º trim./2000.

FINANCE YAHOO. Disponível em <http://table.finance.yahoo.com>. Acesso em: 27 set. 2003.

GITMAN, L. J. Princípios de Administração Financeira. 7. ed. São Paulo: Habra, 2002.

NUNES, J. M. M. O Vôo da Águia: a Economia Americana no Fim do Milênio. São Paulo: Saraiva, 2002.

ROSS, S. A.; WESTERFIELD, R.; JAFFE, J. F. Administração Financeira. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

SANTOS, J. O. Análise de Crédito. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2003.