Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Comunicação Colaborativa e a Construção de Uma Sociedade Cidadã e Uma Nova Agenda na Comunicação Pública

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-0934/aum.v17n17p171-180

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/AUM/index 

downloadpdf

Francisco Machado Filho1, Juarez Xavier2 & Mayra F. Ferreira3

 

Resumo: Em tempos de convergência midiática e possibilidades de interação com os meios de comunicação, a discussão a respeito de práticas colaborativas torna- -se latente. Como a televisão ainda é o meio de maior alcance e audiência entre o público, debater a colaboração em produtos televisivos é um campo promissor para a pesquisa e para a prática comunicativa. Dessa forma, este trabalho visa apresentar um projeto experimental para promover a participação de uma comunidade no exercício de um jornalismo para uma emissora pública e universitária. Nesse sentido, contribui-se para a promoção de um jornalismo público, cívico que se constrói de acordo com os anseios e as expectativas dos cidadãos, que se comportam como público ativo e crítico do meio.

Palavras-chave: Jornalismo Colaborativo; Televisão universitária; Jornalismo público; Comunidade.

 

1 Prof. Dr. do Departamento de Comunicação Social da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC). Email: fmachado@faac.unesp.br
2 Prof. Dr. do Departamento de Comunicação Social da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC). Email: jxavier@faac.unesp.br
3 Docente substituta do Departamento de Comunicação Social da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC). Jornalista da Televisão Universitária Unesp. Email: mayraunesp@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

ABRAMO, P. Padrões de manipulação da grande imprensa. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2003.

ANDERSON, Chris. A cauda longa: do Mercado de massa para o mercado de nicho. Rio de Janeiro: Campus, 2006.

ALTHUSSER, L. P. Aparelhos ideológicos de Estado. 7. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1998.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Centro Gráfico do Senado Federal, 1988.

CHOMSKY, N.; HERMAN, E.S. A manipulação do público. São Paulo: Futura, 2003.

DOWNING, J. Mídias radicais – Rebeldia nas Comunicações e Movimentos Sociais. Editora Senac: São Paulo, 2004.

KAPLÚN, Mario. Processos educativos e canais de comunicação. Revista Comunicação & Educação, São Paulo, ano V, n. 14, p. 68-75, jan.-abr. 1999.

KAPLÚN, Mario. Comunicación entre grupos: el método del Cassette-Foro. Otawa: CIID, 1984.

KAPLÚN, Mario. Hacia una comunicación participativa: entrevista a Mario Kaplún. Quito: Aler, 1983a.

KAPLÚN, Mario. Hacia nuevas estratégias de comunicación en la educación de adultos. Santiago: Oficina Regional de la UNESCO para America Latina y el Caribe, 1983b.

OS DONOS DA MÍDIA. Disponível em: <http://www.donosdamidia.com.br>. Acesso em: 02 set.2013

PEREIRA JÚNIOR, Alfredo Eurico Vizeu. Telejornalismo: das rotinas produtivas à audiência presumida. In: PEREIRA JUNIOR, Alfredo Eurico Vizeu; PROCELLO, Flávio Antônio Camargo. (Orgs). Telejornalismo: a nova praça pública. Florianopólis: Insular, 2006.

PERUZZO, Cicilia. Televisão comunitária: dimensão pública e participação cidadã na mídia local. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

PRIMO, Alex. Interação mediada por computador: comunicação, cibercultura, cognição. Porto Alegre: Sulina, 2007.

RINCÓN, Omar (Org.). Televisão pública: do consumidor ao cidadão. São Paulo: Friedrich Ebert Stiftung, 2002.

SANTOS, M. Por uma outra globalização - do pensamento único à consciência universal. São Paulo: Editora Record, 2000.

TUCHMAN, G. Making news. USA: Free Press, 1983.