Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Grandes Projetos Econômicos e Reestruturação do Espaço Urbano Regional da Amazônia Oriental: Uma Análise a Partir da Atividade Siderúrgica no Município de Açailândia

DOI: http://dx.doi.org/10.17551/2358-1778/geoamazonia.n2v1p1-16

http://www.geoamazonia.net/index.php/revista 

downloadpdf

Walison S. Reis1 & Jailson M. Sousa2

 

Resumo: O presente artigo tem como objetivo discutir o processo de reestruturação do espaço brasileiro a partir da atividade industrial, pensada como instrumento de desenvolvimento e de integração nacional. O trabalho destaca em particular a região amazônica, que a partir de 1950, passou a ser cenário de diversas transformações com a difusão de grandes empreendimentos industriais. O texto tem como recorte o município de Açailândia, que é palco de empreendimentos siderúrgicos desde a o início da década de 1980, e aborda em específico os impactos socioespaciais que essa indústria tem provocado em Açailândia.

Palavras-chave: Amazônia. Grandes Projetos Econômicos. Açailândia

 

Abstract: This article aims to discuss the restructuring of the Brazilian space from industrial activity, thought of as a tool for development and national integration. The work highlights in particular the Amazon region in 1950 increased to several transformations with the diffusion of large industrial enterprises scenario. The text is to cut the municipality that hosts Açailândia steel enterprises since the early 1980s, and addresses in particular the sociospatial impacts that the industry has resulted in Açailândia.

Key words: Amazon. Major Economic Projects. Açailândia.

 

1 Mestrando em Geografia – Universidade Federal de Uberlândia - IG/UFU. e-mail: walisonsr@hotmail.com
2 Doutorando em Geografia – Universidade Federal de Uberlândia – IG/UFU Professor Assistente I da Universidade Estadual do Maranhão - UEMA/CESI. e-mail:geopassargada@gmail.com

 

Literatura Citada

BECKER, Bertha. K. Geopolítica da Amazônia: a nova fronteira de recursos. Jorge Zahar editores: Rio de Janeiro, 1982.

BECKER, Bertha. K. Amazônia: mudanças estruturais e urbanização. In: Maria F. Gonçalves; Antônio C. F. Galvão. Regiões e cidades, cidades nas regiões. São Paulo: Editora UNESP/ANPUR, 2003.

BRASIL. Senado Federal. Decreto n° 74.607 de 1974. Disponível em: <http://www6.senado.gov.br/sicon/ListaReferencias.action?codigoBase=2&codigoDocumento=203996>. Acesso em: 13 jun. 2010.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico de 2010. Disponível em http://www.ibge.gov.br/home/. Acessado em: 15/03/2012.

HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização: do fim dos territórios à multiterritorialidade. Rio de Janeiro. Bertrand Brasil, 2011.

IMESC – Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos, 2004-2008.

JUSTIÇA GLOBAL; JUSTIÇA NOS TRILHOS (Org.). Brasil. Quanto valem os direitos humanos? Os impactos sobre os direitos humanos relacionados à indústria da mineração e da siderurgia em Açailândia. Disponível em: < http://www.justicanostrilhos.org>. Acesso em: 15 mar. 2012.

LOIOLA, Edney. Vantagens competitivas espúrias e limites para o desenvolvimento local: o caso da indústria siderúrgica de Açailândia. (Dissertação de Mestrado). Mestrado em planejamento do desenvolvimento. Belém, PA: UFPA, 2005.

MARTINS, José de Sousa. A chegada do estranho. São Paulo: Hucitec, 1993.

MARTINS, José de Sousa. Fronteira: a degradação do outro nos confins do humano. Hucitec: São Paulo, 1998.

MARTINS, José de Sousa. A sociabilidade do homem simples: cotidiano e história na modernidade anômala. 2ª. Edição. São Paulo: Contexto, 2008.

PERROUX, François. A noção de polo de crescimento. Recife: SUDENE, 1966.

SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. 3 edição. São Paulo: HUCITEC, 1996.

SOUSA, Jailson de Macedo. A cidade na região e a região na cidade: a dinâmica socioeconômica de Imperatriz e as suas implicações na região Tocantina. Imperatriz: Ética, 2009.

TRINDADE JR, Saint-Clair Cordeiro da. Cidades Médias na Amazônia Oriental: das novas centralidades à fragmentação do território. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais. V.13, n.2/Novembro 2011.