Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Do Il y a à Hipóstase: A Formação da Consciência na Teoria de Emmanuel Lévinas

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/1983-7631/rt.v5n8p1-17

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/tec 

downloadpdf

Leonardo Goulart1

 

Resumo: Com um dos grandes pensadores da filosofia contemporânea, Emmanuel Lévinas trata de repensar os fundamentos da ética e da ideia de humano a partir das noções fundamentais de il y a e Hipóstase. A partir do marco fenomenológico de Husserl e Heidegger, Lévinas busca concluir que no processo de formação da subjetividade já há sofrimento tendo em vista a configuração da ideia do il y a e do processo hipostático a que a individualidade se sujeita Este artigo pretende demonstrar como Lévinas determina a noção de individualidade e subjetividade a partir dos conceitos de il y a e hipóstase.

Palavras-chave: Il y a; hipóstase; indivíduo; Emmanuel Lévinas

 

Abstract: With one of the great thinkers of contemporary philosophy, Emmanuel Lévinas comes to rethinking the foundations of ethics and the idea of humans from the fundamental notions of il y a and Hypostasis. From the phenomenological March of Husserl and Heidegger, Lévinas seeks to conclude that the process of formation of subjectivity is already suffering with a view to setting the idea of the process il y a and hypostatic individuality that is subject This article aims to show how Lévinas determines notion of individuality and subjectivity from the concepts of il y a and hypostasis.

Keywords: Il y a; hypostasis; individual; Emmanuel Levinas

 

1 Mestre e Doutor em Teoria do Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Professor de Filosofia do Direito, Direito Romano e História do Direito da Puc Minas e da Newton Paiva. leogoulart@ig.com.br

 

Literatura Citada

CHALIER, Catherine. Lévinas: a utopia do humano. Lisboa: Instituto Piaget, 1993.

COSTA, Márcio Luis. Lévinas: uma introdução. Petrópolis: Vozes, 2000.

HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. 12 ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

HUSSERL, E.. La Crisi delle Scienze Europeen e La Fenomenologia Transcendentale. Milano: EST, 1997.

INWOOD, Michael. Dicionário de Heidegger. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

LÉVINAS, Emmanuel. De l’existence à l’existant. Paris: Vrin, 1947a.

LÉVINAS, Emmanuel. Deus, a morte e o tempo. Coimbra: Almedina, 2003.

LÉVINAS, Emmanuel. El tiempo e el outro. Barcelona: Paidós, 1993b.

LÉVINAS, Emmanuel. En découvrant l’existence avec Husserl et Heidegger. Paris : J. Vrin, 1947b.

LÉVINAS, Emmanuel. Entre nous: essais sur le penser-à-l’autre. Paris: Grasset & Fasquelle, 1991.

LÉVINAS, Emmanuel. Ethique et infini: dialogues avec Philippe Nemo. Paris: Librairie Arthème Fayard et Radio France, 1982.

PAIVA, Márcio Antônio de. O horizonte da liberdade. Cadernos da pró-reitoria de extensão da PUC Minas. Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 45-67, mar. 1990.

RIBEIRO JUNIOR, Nilo. Sabedoria de Amar: a ética no itinerário de Emmanuel Lévinas Tomo I. São Paulo: Loyola, 2005.

SOUZA, Ricardo Timm. Sujeito, ética e história. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1999.

STRECK, Lênio Luiz. Hermenêutica jurídica e(m) crise: uma exploração hermenêutica da construção do direito. 4 ed. Porto Alegre: Livraria do advogado, 2003.

TOMÉ, Márcia Eliane Fernandes; PAIVA, Márcio Antônio de. Linguagem ético-religiosa e discurso onto-teológico em Emmanuel Lévinas. 2010. 147 f. Dissertação (Mestrado) – Belo Horizonte: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião. 2010.