Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Pensar a Cibercultura Ambientalista: Potencialidades da Comunicação e da Mobilização Virtual

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/1983-7631/rt.v4n7p1-13

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/tec 

downloadpdf

Katarini G. Miguel1

 

Resumo: O presente artigo propõe uma discussão prático-teórica relacionada à cibercultura do movimento ambientalista, avaliando a experiência comunicativa e o potencial transformador e mobilizador dos conteúdos digitais. Neste sentido, para complementar o arcabouço teórico e explorar o tema, o artigo apresenta uma análise descritiva e preliminar da homepage de uma das maiores ONGs (Organização Não Governamental) ambientais, o Greenpeace, na tentativa de compreender o funcionamento de ferramentas virtuais como o ciberativismo e as redes sociais, levantando aqui questionamentos sobre a construção da comunicação ambiental na internet, suas diferenciações e possíveis impactos na sociabilidade.

Palavras-chave: cibercultura; movimento ambiental; ciberativismo; comunicação

 

Abstract: This article proposes a practical and theoretical discussion related to the cyberculture of environmental movement, evaluating the communicative experience and transforming potential of digital contents. In this sense, to complement and illustrate the theoretical subject, the article presents a descriptive and preliminary analysis of the Greenpeace homepage, one of the largest NGOs (Non Governmental Organization) environment, in an attempt to understand the functioning of virtual tools like the cyberactivism and social networks, raising questions here about the construction of environmental communication on the Internet, its differences and possible impacts on sociability.

Keywords: cyberculture; environmental movement; cyberactivism; communication

 

1 Jornalista e professora com experiência profissional em comunicação/jornalismo ambiental, jornalismo radiofônico, assessoria de imprensa e consultorias para ONGs e movimentos socioambientais. Coordenou projetos de comunicação e mobilização no Instituto Ambiental Vidágua e lecionou em instituições públicas e particulares. Pesquisadora das relações sociedade, meio ambiente e meios de comunicação. Cursou especialização em jornalismo científico no Labjor/Unicamp, é mestre em Comunicação Midiática pela Unesp/Bauru, e atualmente é doutoranda em Comunicação Social na Universidade Metodista de São Paulo, na linha de pesquisa processos de Comunicação Científica e Tecnológica, investigando a cibercultura do movimento ambientalista. Bolsista CNPq. k-miguel@uol.com.br

 

Literatura Citada

BARBERO, J.M. Dos meios às mediações: Comunicação, Cultura e Hegemonia. Tradução de Ronald Polito e Sergio Alcides. 2.ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 2001.

BARBERO, J.M. Uma aventura epistemológica. Revista Matrizes: Entrevista, São Paulo, ano2, n.2, p.143-162, 2009. Entrevista concedida a Maria Immacolata Vassalo de Lopes.

CANCLINI, N.G. Consumidores e Cidadãos – conflitos multiculturais de globalização. Tradução de Maurício Santana Dias. 4. ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 2001

CANCLINI N.G. 2008. Cultura Política: entre o mediático e o digital. Revista Matrizes, São Paulo, ano1, n.2, p. 55-71, 2008.

DELARBRE, R.T. Internet como expressão e extensão do espaço público. Revista Matrizes, ano2, n.2, 2009.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. Economia, sociedade e cultura. 2ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999 (A Era da Informação: economia, sociedade e cultura, 1).

CASTELLS, M. O poder da identidade. 2ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000. (A Era da Informação: economia, sociedade e cultura, 2).

CASTELLS, M. Internet e sociedade em rede. In: D. de MORAES (org.), Por uma outra comunicação. Rio de Janeiro, Record, 2003,.

GREENPEACE Brasil. Disponível em: http://www.greenpeace.org.br. Acesso em: 05/07/2010.

JACOBI, P. Meio ambiente e redes sociais: dimensões intersetoriais e complexidade na articulação de práticas coletivas. Disponível em <http://www.repea.org.br/redesea/conceitos/rapartigopj2000.doc> Acesso em 02/05/2007

LEFF, E. Epistemologia Ambiental. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

LEIS, H. R; D'AMATO, J. L.. O ambientalismo como movimento vital: análise de suas dimensões histórica, ética e vivencial. In: CAVALCANTI, C. (org.) Desenvolvimento e natureza: estudos para uma sociedade sustentável. São Paulo: Cortez; Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 1995.

LEMOS, A. Cibercultura. Tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 2.ed. Porto Alegre: Sulina, 2004.

LEVY, P. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1999.

SODRÉ, M. Antropológica do espelho. Uma teoria da comunicação linear e em rede. Petrópolis: Editora Vozes, 2002.

WOLTON, D. Internet, e depois? Uma teoria crítica das novas mídias. 2.ed. Porto Alegre: Sulina, 2007. (Coleção Cibercultura).