Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Biorremediação como Ferramenta para a Descontaminação de Ambientes Terrestres e Aquáticos

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/1983-7631/rt.v3n4p82-95

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/tec 

downloadpdf

Danielle A. Carneiro1 & Lucas P. Gariglio2

 

Resumo: A biorremediação é um processo do qual se utilizam micro-organismos na remoção de contaminantes tóxicos do meio ambiente. Essa técnica é bastante promissora, pois visa à minimização dos impactos antrópicos e à reestruturação dos habitats naturais. Relativamente nova, essa tecnologia tem sido alvo de inúmeras pesquisas, pois oferece uma maior segurança, uma menor perturbação ao meio ambiente e também é uma ferramenta eficiente a custos baixos. A biorremediação possui grande aplicabilidade e a otimização do seu processo depende das condições ambientais, do tipo de contaminante e da técnica empregada. Os tratamentos se diferenciam por ser “in situ” (quando é realizado no próprio local) ou “ex situ” (quando há remoção do contaminante para tratamento em outro ambiente). A biorremediação é uma técnica inovadora que merece atenção e incentivo nos processos de recuperação ambiental. O objetivo dessa revisão é conhecer o processo de biorremediação, suas técnicas e aplicabilidades.

Palavras-chave: Biodegradação; micro-organismos; contaminantes ambientais

 

Abstract: Bioremediation is a process in which microorganisms are used in the removal of toxic contaminants in the environment. This technique is very promising, since it seeks to minimize the human impact and the restructuring of natural habitats. Relatively new, this technology has been the subject of numerous studies, because it offers greater safety, less perturbation to the environment and is also an effective tool to lower costs. Bioremediation has wide applicability and the optimization of the process depends on environmental conditions, type of contaminant and technique applied. The treatments are distinguished by being “in situ” (when it is done on site) or “ex situ” (when there is removal of the contaminant for treatment in another environment). Bioremediation is an innovative technique that deserves attention and incentive in the process of environmental recovery. The purpose of this review is to know the process of bioremediation, its techniques and applicability.

Keywords: Biodegradation; microorganisms; environmental contaminants

 

1 Bióloga pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix e pós-graduada em Análise Ambiental pelo Centro Universitário UNA. danielly_arr@hotmail.com
2 Engenheiro Civil e mestre em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Professor da disciplina de Gestão e gerenciamento de projetos do Centro Universitário UNA. lpgariglio@hotmail.com

 

Literatura Citada

ABBAS, Marilda Zanoni Mariotti. A biorremediação como ferramenta para a minimização de problemas ambientais. Piracicaba: Universidade de São Paulo, Escola de Agricultura “Luiz de Queiroz”, 2003.

BAPTISTA, Sandro J. CAMMAROTA, Magali C.; FREIRE, Denise D. C. Avaliação da bioestimulação em solos argilosos contaminados com petróleo. UFRJ, Rio de Janeiro, 2003.

CASTRO, Rodrigo A. et al., Otimização do sistema de Landfarming da RPBC. Refinaria Presidente Bernardes. Cubatão: Instituto para o Desenvolvimento do Meio Ambiente, Paraná, 2005

CERQUEIRA, Vanessa Sacramento; COSTA, Jorge Alberto V. Produção de biossurfactante por fermentação em estado sólido e avaliação da biorremediação em derrames de óleo. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2006.

CETESB - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. São Paulo, 1999. Disponível em <http://www.cetesb.sp.gov.br/Solo/areas_contaminadas/Capitulo_X.pdf>

COSTA, Ana Hilda Romero; NUNES, Cristina Cardoso; CORSEUIL, Henry Xavier – Biorremediação de águas subterrâneas impactadas por gasolina e etanol com o uso de nitrato. Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.

FEDERAL REMEDIATION TECHNOLOGIES ROUNDTABLE. Treatment perspectives. Disponível em: <http://www.frtr.gov/matrix2/section3/sec3_int.html> Acesso em 09/02/2010.

FERNANDES, Fermiano Martins; ALCÂNTARA, Giseli Zamberlan. Biorremediação de solos – Estado da arte. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2004.

FERNANDES, Fernando; SILVA, Sandra Márcia C. P. Manual prático para a compostagem de biossólidos. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 1999.

JACQUES, Rodrigo Josemar Seminoti et al. Biorremediação de solos contaminados com hidrocarbonetos aromáticos policíclicos. São Gabriel: UNIPAMPA, 2006.

GAYLARD, Christine Claire; BELLINASO, Maria de Lourdes; MANFIO, Gilson Paulo. Aspectos biológicos e técnicas da biorremediação de xenobióticos. Revista digital: Biotecnologia, Ciência e Desenvolvimento. Disponível em: <http://www.biotecnologia.com.br/edicoes/ed34.php> Acesso em 10/02/2010.

LALLI, Chris; RUSSELL, Marc. Soil and water bioremediation using bioreactors. Groundwater Pollution Primer on line. Disponível em: <http://www.cee.vt.edu/ewr/environmental/teach/gwprimer/bioreact/bior.html> Acesso em 21/01/2010.

LAZZARETTI, Eduardo. Bioaumentação: uma nova opção para o tratamento de resíduos orgânicos. 1998, on line. Disponível em: <http://www.biolimp.com.br/emp_artigos.php?id=1> Acesso em 22/02/2010.

LEMOS, Judith L. Solórzano et al., Fungos filamentosos: agentes de degradação de petróleo e de hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HAPs). Rio de Janeiro: CETEM/MCT, 2008.

MADIGAN, Michel T; MARTINKO, John M. Brock biology of microorganisms. 11th ed. Pearson. San Francisco: Pearson Benjamin Cummings, 2006.

MARIANO, Adriano Pinto. Avaliação do potencial de biorremediação de solos e de águas subterrâneas contaminados com óleo diesel. Rio Claro: Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2006.

MENEGHETTI, Liliane Rebechi Ribeiro – Biorremediação na descontaminação de solo residual de basalto contaminado com óleo diesel e biodíesel. Passo Fundo: UPF, 2007

NUNES, Gabriela. Contaminação do solo e água subterrânea por hidrocarbonetos de petróleo e o caso da gasolina brasileira. Santa Maria: UFSM , 2008.

PELCZAR, Jr., Joseph Michael; CHAN, E.C.S; KRIEG, Noel R.- Microbiologia: conceitos e aplicações – Volume 2, 2ª.ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil. 1997.

ROSA, Anabela Porto; TRIGUIS, Jorge Alberto – Estudos experimentais da analise dos processos de biorremediação na mitigação do impacto ambiental. Rio de Janeiro: Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), 2005.

SANTOS, Renata M; RIZZO, Andréia C. L; SOBRAL, Luiz G.S. Remediação de solo contaminado por petróleo em biopilhas – escala piloto. Campinas: Centro de tecnologia mineral CETEM, 2007.

SILVEIRA, Ana Cristina da; SPAREMBERGER, Raquel Fabiana Lopes. A relação homem e meio ambiente e a reparação do dano ambiental: reflexões sobre a crise ambiental e a teoria do risco na sociedade. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul UCS, 2004.

TOCCHETTO, Marta Regina Lopes. Gerenciamento de resíduos sólidos. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, 2008.

TORTORA, Gerard J; FUNKE, Berdell R; CASE, Christine L. Microbiologia. 8ª.ed. Porto Alegre: Editora Artmed, 2005.

U.S. EPA. United States Environmental Protection Agency. Landfarming. Disponível em: <http://www.epa.gov/oust/index.htm> Acesso em 23/02/2010.