Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Assistência de Enfermagem ao Paciente Portador de Esquizofrenia: O Desafio do Cuidade em Saúde Mental

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/1983-7631/rt.v2n3p30-40

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/tec 

downloadpdf

Ellen F. Faria1 & Alessandra M. Chicarelli2

 

Resumo: A esquizofrenia é uma doença mental que acomete as emoções, o pensamento, as percepções e o comportamento das pessoas acometidas. Atualmente é um problema de saúde pública, que após a reforma psiquiátrica brasileira, assumiu definitivamente o papel da assistência ao portador de sofrimento mental. A enfermagem possibilita através de suas ações de cuidado e assistência uma maior inserção do esquizofrênico na sociedade. Neste estudo realizamos uma revisão bibliográfica a fim de verificar qual a importância da assistência de enfermagem ao portador de esquizofrenia. Os dados obtidos permitiram observar que o enfermeiro tem um papel fundamental na vida do esquizofrênico, criando um tratamento individualizado e diferenciado, que envolve a família e a comunidade, sempre visando ampliar assistência à família e ao paciente de maneira humanizada e novas formas de abordagem, evitando assim a gravidade das recaídas dos sintomas.

Palavras-chave: esquizofrenia; assistência de enfermagem; saúde mental

 

Abstract: Schizophrenia is a severe mental illness that affects emotions, thinking, perceptions and behavior of people affected. Today is a public health problem that after this Brazilian psychiatric reform, finally took the role of assisting the patient with mental disorders. Nursing provides through its actions of care and assistance, greater integration of schizophrenic society. In this study we performed a literature review to verify that the importance of nursing care to patients with schizophrenia. It was possible to observe that the nurse has a key role in the life of schizophrenic, creating an individualized and differentiated treatment, which involves family and community, always aiming to expand assistance to the patient and family in humane and new approaches to avoiding thus the severity of disorders and the relapse of symptoms.

Keywords: schizophrenia; nursing care; mental health

 

1 Acadêmica do curso de Enfermagem do Centro Universitário Izabela Hendrix
2 Enfermeira especialista em Saúde Coletiva e Planejamento Estratégico em Saúde. Mestranda em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local. Docente do curso de Enfermagem do Centro Universitário Izabela Hendrix

 

Literatura Citada

APA – Association American Psychiatric. Manual de Diagnóstico e Estatística de Distúrbios Mentais (DSM-IV). 4° ed. Porto Alegre: Editora Artmed. 1994.

ARAÚJO, M.F. M; LEMOS, A.C.S.; CARVALHO, C.M.L . O relacionamento terapêutico no cuidado dispensado a um esquizofrênico: narrativas de um diário de campo. Revista Brasileira em Promoção da Saúde (UNIFOR), v. 20, p. 116-123, 2007.

BORBA, L.O.; SCHWARTZ, E.; KANTORSKI, L.P. A sobrecarga da família que convive com a realidade do transtorno mental. Acta Paulista de Enfermagem. São Paulo, v. 21, n. 4, 2008.

CASTRO, S.A.; FUREGATO, A.R.F. Conhecimento e atividades da enfermagem no cuidado do esquizofrênico. Rev. Eletronica de Enfermagem. 10(4): 957-65. 2008.

CHAVES, Ana Cristina. Primeiro episódio psicótico: uma janela de oportunidade para tratamento? Rev. Psiquiatria Clínica. São Paulo, 2009.

COLVERO, L.A.; IDE, C.A.C.; ROLIM, M.A. Família e doença mental: a difícil convivência com a diferença. Rev. Escola Enfermagem USP. 38(2): 197-205. 2004.

DEITOS, F. Esquizofrenia?! x Mente Partida?!. 1ed. , vol. 9. p. 25-30. Rio de Janeiro: Ícone Editora, 2005.

DITTMAR, W.H. O desafio da esquizofrenia. Rev. Bras. Psiquiatria, v. 21, n. 1. São Paulo, março 1999.

DURÃO, A.M.S.; SOUZA, M.C.B.M. Cotidiano de portadores de esquizofrenia, após uso de um antipsicótico atípico e acompanhamento em grupo: visão do familiar. Rev. Latino Americana Enfermagem Ribeirão Preto. v.14. nº 4. Agosto 2006.

FERRARI, M.C.L. Esquizofrenia na infância e adolescência: um esboço histórico. Rev. Psiquiatria Clínica. vol. 23(3):96-103, São Paulo. Set. 1996.

FUREGATO, A.R.F. Relações interpessoais terapêuticas na enfermagem. Ribeirão Preto: Editora Scala. 1999.

GALERA SAF. Avaliação construtiva de uma intervenção de enfermagem junto a famílias que tem um portador de esquizofrenia entre seus membros (Tese de mestrado) Ribeirão preto: Escola de Enfermagem Ribeirão de Preto/USP. 2002.

GIACON, B.C.C.; GALERA, S.A.F. Primeiro episódio da esquizofrenia e assistência de enfermagem. Rev. Escola Enfermagem USP. v. 40, n. 2, São Paulo. 2006.

HOLLANDSWORTH, J.G. The physiology of psychological disorders: Schizophrenia, Depression, Anxiety, and Substance Abuse. 2 th ed. New York: Plenum Pub Corp (Plenum Series in Behavioral Psychophysiology & Medicine), 1990.

KANTORSKI, L.P.; PINHO, L.B.; SCHRANK, G. O relacionamento terapêutico e o cuidado em enfermagem psiquiátrica e saúde mental. Rev. Enfermagem UERJ. 2003.

KAPLAN, H.I.; SADOCK, B.J.; GREBB, J.A. Compêndio de Psiquiatria – Ciências do Comportamento e Psiquiatria Clínica. 7 ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

MARI, J.J.; LEITAO, R.l.J. A epidemiologia da esquizofrenia. Rev. Bras. Psiquiatria. vol.22. São Paulo. Maio 2000.

MENEZES, P.R. Prognóstico da esquizofrenia. Rev. Bras. Psiquiatria. vol.22 s.1; São Paulo. Maio 2000.

OLIVEIRA, A. B.; ALESSI, N.P. O trabalho de enfermagem em saúde mental: contradições e potencialidades atuais. Rev. Latino-Americana de Enfermagem. vol.11, n 3. pág. 333-340. Maio/Junho, 2003.

PEREIRA, I.B. ET al . Diagnóstico da esquizofrenia da criança e adolescente. Arquivo Brasileiro de Psiquiatria, Neurologia e Medicina Legal, vol 99 nº 01, jan-mar 2005.

SANTOS, M.J.M.; TEIXEIRA M.B. Relacionamento terapêutico – relato de experiência em enfermagem psiquiátrica. Rev. Escola Enfermagem USP. ,v 21: p 67-4.1987.

SILVA, A.L.A. ; GUILHERME, M.; ROCHA, S.S.L.; SILVA, M.J. Comunicação e enfermagem em saúde mental: reflexões teóricas. Rev. Latino Americana Enfermagem Ribeirão Preto. v. 8, n. 5, out. 2000

SILVA, M.J.P. da. Comunicação tem remédio: a comunicação nas relações interpessoais em saúde. 2. ed. São Paulo: Editora Gente, 1996.

STERIAN, A. A. Esquizofrenia. 2 ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, col. clínica psicanalítica. 2002.

TOSTES, L.R.M; MORAES, L.R.N. Esquizofrenia: curso, evolução e prognóstico. Jornal Bras. Psiquiatria 1989; 38(4): 233-9

TOWNSEND, M.C. Enfermagem Psiquiátrica: Conceitos de Cuidados. 3 ed. Rio de Janeiro: Ed.Guanabara Koogan S.A. 2002.