Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Como o Bom Entendimento da Relação entre Motivação e Aprendizagem Pode Ser Positivo no Processo Ensino-Aprendizagem

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/1983-7631/rt.v2n3p54-60

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/tec 

downloadpdf

José V. Alves Junior1, Patrick T. E. S. Carmo2 & Luiz C. P. Travassos3

 

Resumo: Com o avanço tecnológico numa sociedade na qual a atenção está cada vez mais eivada de informações, imagens, sons, percebemos a necessidade de compreensão da relação entre motivação e aprendizagem para contribuir com o processo da construção do conhecimento, incidindo positivamente na força de cada indivíduo que participa do processo ensino-aprendizagem. Acreditamos que um melhor entendimento desta relação, tendo como base a motivação poderá facilitar o despertar investigativo, a curiosidade epistemológica e a formação de cidadãos mais consciente de seu papel social.

Palavras-chave: aprendizagem; educação; motivação; ensino-aprendizagem

 

Abstract: With technological progress in a society where attention is increasingly peppered with information, images, sounds, see the need to understand the relationship between motivation and learning to contribute to the process of knowledge building, focusing positively on the strength of each individual participating in the teaching-learning process. We believe that a better understanding of this relationship, based on the motivation can facilitate the awakening investigative curiosity and epistemological formation of citizens more aware of their social role.

Keywords: learning; education; motivation; teaching-learning.

 

1 Graduando de Ciências Biológicas do Centro Universitário Izabela Hendrix – Campus Pç. da Liberdade
2 Graduando de Ciências Biológicas do Centro Universitário Izabela Hendrix – Campus Pç. da Liberdade
3 Mestre em Engenharia de Produção / UFSC, Brasil

 

Literatura Citada

BALANCHO, M. J. S.; COELHO, F. M. Motivar os alunos, criatividade na relação pedagógica: conceitos e práticas. 2. ed. Porto, Portugal: Texto, 1996.

BERGAMINI, Cecília Whitaker. Motivação nas organizações. São Paulo: Atlas, 1997.

BZUNECK, J. A. As crenças de auto-eficácia dos professores. In: F.F. Sisto, G. de Oliveira, & L. D. T. Fini (Orgs.). Leituras de psicologia para formação de professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

FITA, E. C. A motivação em sala de aula: o que é, como se faz. 4. ed. São Paulo: Loyola, 1999. p. 11

FITA, E. C. O professor e a motivação dos alunos. In: TAPIA, J. A.; FITA, E. C. A motivação em sala de aula: o que é, como se faz. 4. ed. São Paulo: Loyola, 1999. p. 65- 135.

FOURNIES, Ferdinand F. Como conseguir melhores desempenhos de seus empregados. São Paulo: Makron, 1992.

HERSEY, Paul.; BLANCHARD, K. H. Psicologia para administradores: a teoria e as técnicas de liderança situacional. São Paulo: EPE, 1986.

HUERTAS, J. A. Motivación: querer aprender. Buenos Aires: Aique, 2001.

JESUS, S. N. de; SANTOS, J. C. V. Desenvolvimento profissional e motivação dos professores. Educação: Revista da Faculdade de Educação, Porto Alegre: PUCRS, v. 27.

KNÜPPE, L. Motivação e desmotivação: desafio para as professoras.. Educar, Curitiba, n. 27, p. 277-290, 2006. Editora UFPR 281.

KRECH, David, CRUTCHFIELD, Richard S. & BALLACHEY, Egerton L. Individual insociety. New York: McGraw-Hill, 1962.

MACEDO, Alberto Amarante & PÓVOA FILHO, Francisco Liberato. Glossário da qualidade total. Belo Horizonte, EEUFMG, 1994.

MORAES, Carolina Roberta; VARELA, Simone. Motivação do Aluno Durante o Processo de Ensino-Aprendizagem. Revista Eletrônica de Educação. Ano I, No. 01, ago. / dez. 2007.

MORAN, D. Introduction to Phenomenology. Routledge. NY, 2000. Disponível em:<http://www.burningchrome.com/archives/augury/msg00069.html#nid015>. Acesso em 15 de dezembro de 2002.

MORAN, Edgar.Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro. São Paulo: Cortez Editora, 2000.

PERRENOUD, P. Novas Competências para Ensinar.Porto Alegre: Artmed, 2000

PIMENTA, Selma G.; ANASTASIOU, Lea das Graças C. Docência no Ensino Superior -Volume I. São Paulo: Cortez Editora, 2002.

POZO, J. I. Aprendizes e mestres: a nova cultura da aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2002.

STEERS, Richard M. & PORTER, L. W. Motivation and work behavior. New York: McGraw Hill, 1983.

TAPIA, J. A.; FITA, E. C. A motivação em sala de aula: o que é, como se faz. 4. ed. São Paulo: Loyola, 1999. p. 7-10.

VROOM, Victor H. Work and motivation. Nova York: Willey, 1964.

ZENTI, L. Aulas que seus alunos vão lembrar por muito tempo: motivação é a chave para ensinar a importância do estudo na vida de cada um de nós. Nova Escola, São Paulo: Abril, v. 134, ago. 2000.