Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Inovando em Saúde: Uma Tentativa de Ação Social

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/1983-7631/rt.v1n0p135-141

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/tec 

downloadpdf

Maria E. S. Lemos1, Regina H. C. Amorim2 & Marta A. Amaral3

 

Resumo: Neste estudo foram analisadas as relações dos familiares com suas crianças que apresentavam dificuldades no desenvolvimento da linguagem. Objetivo: oferecer a estas famílias oportunidade de conversações sobre o problema que enfrentavam. Métodos: Pesquisa qualitativa com utilização da metodologia da pesquisa participante e grupos de multifamílias. Sujeitos: familiares de 12 famílias (um casal, nove mães e dois pais) de crianças com idade entre três e seis anos. A definição do grupo ocorreu pela presença de problemas comuns, a dificuldade de aquisição de linguagem nos filhos; identificada por meio de entrevista individual semiestruturada. A partir do que foram realizados sete encontros quinzenais, nos quais as famílias eram instigadas a conversar, mediadas por um orientador, em busca de alternativas de solução para suas dificuldades. Os dados foram analisados pela análise de conteúdo das falas e observação dos comportamentos. Resultados: A análise qualitativa dos dados obtidos indicou que a compreensão dos fam liares a respeito do problema dos filhos, está muitas vezes, perpassada por crenças e concepções inadequadas, o que gera situações identificadas como problemas e comportamentos inadequados. A experiência de terem sido acolhidos e a oportunidade de conversar sobre suas dificuldades com pessoas que enfrentavam os mesmos problemas, revelou-se muito significativa para os participantes e foi um recurso eficaz na promoção de mudanças dos comportamentos relacionais. Considerações Finais: O presente estudo aponta a necessidade de reflexões mais amplas sobre a prevenção de problemas de saúde pelos profissionais da área, pesquisadores e educadores.

Palavras-chave: educação em saúde; multifamílias; comunicação; desenvolvimento da linguagem.

 

Abstract: In this study were analyzed the relations of relatives with their children who presented difficulties in language development. Goal: offer to these families a chance to talk about the problem that they faced. Methods: Qualitative research with use of the methodology of participant research and groups of multifamilies. Public: relatives of 12 families (a couple, nine mothers and two fathers) of children with age between three and six years old. The definition of the group occurred with the presence of common problems, difficulty of acquisition of language from their children; identified by means of half-structuralized individual interview. After that, seven biweekly meeting had been carried, in which the families were instigated to talk, mediated by a professional, looking for alternatives and solutions for their difficulties. The data had been analyzed by the analysis of speech and the observation of their behavior. Results: The qualitative analysis of the gotten data has indicated that the understanding of relatives about the problem of their children is, usually, related with beliefs and wrong conceptions. It generates problems and inadequates behaviors. The experience to receive care and the chance to talk about their difficulties with people who faced the same problems, showed a great significance for the participants and was an efficient resource for promotion of changes on their behavior. Final Considerations: The present study shows for professionals of this area, researchers and educators the need of ampler reflections on the prevention of problems on health.

Keywords: education in health; multifamilies; communication; language development.

 

1 Mestre em Ciências da Saúde, doutoranda em Ciências da Saúde, Profa. TI do C. Univers. Metodista Izabela Hendrix
2 Pós-Doutora em Neurologia Infantil Profa. da Faculdade de Medicina (UFMG)
3 Doutora em Enfermagem. Profa. da Faculdade de Enfermagem (UFMG)

 

Literatura Citada 

AMARAL, M.A. Entre o desejo e o medo: oficinas de trabalho como espaço de reflexão e empoderamento de adolescentes. 2005. 130 f. Tese (Doutorado em Enfermagam) - Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

BEFI-LOPES, D.M.I. Alterações do desenvolvimento da linguagem. In: LIMONGI, S.C. O. (Org.). Linguagem: desenvolvimento normal, alterações e distúrbios. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

BISHOP, D.V.; ADAMS, C. A prospective study of the relationship between specific language impairment, phonological disorders and reading retardation. Journal of Child Psychology and Psychiatry, Oxford, v. 31, n. 7, p. 1027-1051, 1990.

BRICEÑO-LEÓN, R. Siete tesis sobre la educación sanitaria para la participación comunitaria. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 12, n. 1, p. 7-30, 1996.

COSTA, L.F. Possibilidade de criação de um contexto educativo: grupos multifamiliares. Linhas Críticas, Brasília, v. 4, n. 7/8, p. 159-173, 1998/1999.

COSTA, L.F. Reuniões multifamiliares: uma proposta de intervenção em psicologia clínica na comunidade. In: PAZ, M.G.T.; TAMOYO, A. (Org.). Escola, saúde e trabalho. Brasília: UnB, 1999.

FALS-BORBA, O. Aspectos teóricos da pesquisa participante. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues (Org.). Pesquisa participante. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 1988.

MATURANA, H.R. VARELA, F.J. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. 4. ed. São Paulo: Palas Athena, 2004.

MINAYO, M.C.S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 22. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

PAPP, P. O processo de mudança: uma abordagem prática à terapia sistêmica da família. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.

SCHALL, V.T. A relação profissional de saúde/paciente/indivíduo e a importância da comunicação e educação em saúde para a compreensão da doença e comprometimento com a prevenção, tratamento e promoção da saúde. Belo Horizonte: Centro de Referência e Treinamento em Leishmanioses do Centro de Pesquisas René Rachou, Fundação Oswaldo Cruz, 2000.

TORRES, H.C. HORTALE, V.A. SCHALL, V.T. A experiência de jogos em grupos operativos na educação em saúde para diabéticos. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.19, n.4, p.1039-1047, 2003.

VALLA, V.V. (Org.). Saúde e educação. Rio de Janeiro: DP & A, 2000.

VASCONCELOS, E.M. Educação popular e atenção à saúde da família. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 2001.

VYGOTSKY, L.S. Pensamento e linguagem. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996.