Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Que Podemos Aprender com o Estudo de Casos em Administração? Um Ensaio Baseado na Abordagem Naturalista de Robert Stake

DOI: http://dx.doi.org/10.17800/2238-8893/aos.v1n1p45-59

http://www.unama.br/seer/index.php/aos/index 

downloadpdf

André L. M. S. Leão1, Ricardo S. G. Vieira2, Brunno F. S. Gaião3 & Ildembergue L. Souza4

 

Resumo: Diferentes perspectivas compõem o cenário de escolhas para a realização de um estudo de caso, abordagem tão utilizada nos estudos em Administração. No Brasil, temos visto uma crescente adoção desta estratégia de pesquisa, em linhas gerais, na perspectiva apresentada por Yin (2005), que adota uma abordagem mais funcionalista e, portanto, mais alinhada à perspectiva paradigmática ainda dominante na área. Entretanto, queremos trazer à tona a discussão sobre a adoção, nos estudos interpretativos, de um método de estudo de caso que lhe seja mais adequado. Para tanto, este ensaio metodológico tem como proposta apresentar e discutir o método de estudo de caso desenvolvido e difundido por Robert Stake, perspectiva esta inserida no paradigma naturalista. Como não existe na obra de Robert Stake uma estrutura-padrão, tentamos, assim, o presente trabalho tem o objetivo de sugerir uma estrutura baseada na costura dos tópicos apresentados pelo autor em sua obra, bem como refletir sobre a aplicação do método no campo da Administração. Ademais, como forma de contribuição, trazemos para a discussão referências complementares que consideramos pertinentes e passíveis de dialogar com a proposta aqui apresentada. Pelo que se apresenta, em nossa concepção, a pesquisa em Administração pode fazer uso dos estudos de caso naturalistas para aprimorar seus conhecimentos e compreender os fenômenos nas mais variadas áreas, como Administração Pública, Estudos Organizacionais, Administração da Informação, Estratégia, Gestão de Processos Inovadores, Marketing, Gestão de Pessoas, entre outras.

Palavras-chave: Estudo de caso. Interpretativismo. Abordagem naturalista. Robert Stake. Pesquisa em administração.

 

Abstract: Different perspectives make up the scenario of choice to perform a case study, approach often used in the studies in Administration. In Brazil, we have seen an increasing adoption of this research strategy, in general, based upon the perspective presented by Yin (2005), which adopts a more functional and therefore more aligned to the paradigmatic approach still dominant in the area. However, we want to bring up the discussion about the adoption of a case study method that is most appropriate to interpretive studies. Therefore, this methodological essay is proposed to present and discuss the case study method developed and published by Robert Stake, included in the naturalistic paradigm perspective. Since there isn’t a standard structure at the work of Robert Stake, the main of this work is to suggest a structure based on the topics presented by the author’s works, as well as reflect on the method in the field of Administration. Therefore, we understand that the research in Administration can make use of naturalistic case studies to enhance their knowledge and understanding of phenomena in various areas such as Public Administration, Organizational Studies, Information Management, Strategy, Innovative Process Management, Marketing, Human Resources Management, among others.

Key words: Case study. Interpretivism. Naturalistic approach. Robert Stake. Administration research.

 

1 Professor adjunto do Departamento de Ciências Administrativas da Universidade Federal de Pernambuco e membro do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação, pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Inovação, Tecnologia e Consumo e bolsista em Produtividade em Pesquisa do CNPq. Av. dos Funcionários, s/n, Cidade Universitária, Recife/PE, CEP: 50.740-580. Fone/fax: 81 21268880. Email: aleao21@hotmail.com
2 Professor adjunto do Departamento de Ciências Administrativas da Universidade Federal de Pernambuco e pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Inovação, Tecnologia e Consumo. Email: ricardo.viera@ufpe.br
3 Doutorando em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Pernambuco e membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Inovação, Tecnologia e Consumo. Email: brunno_gaio@hotmail.com
4 Mestre em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Pernambuco. Email: ildembergue.leite@gmail.com

 

Literatura Citada

ALVES-MAZOTTI, A. J. Usos e abusos dos estudos de caso. Cadernos de Pesquisa, v. 36(129), p.637-51, 2006. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742006000300007

BERGER, P.; LUCKMANN, T. A construção social da realidade. 26. ed. Petrópolis: Vozes, 2006.

BOEIRA, S. L.; VIEIRA,P. F. Estudos organizacionais: dilemas paradigmáticos e abertura interdisciplinar. In: GODOI, C., K.; BANDEIRA-DE-MELL O, R.; SILV A, A. B. (Org.). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

DEMO, P. Metodologia do conhecimento científico. São Paulo: Atlas, 2009.

DENZIN, N. K. The research act: a theoretical introduction to Sociological methods. New Brunswick: Transaction Pub, 2009.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. Paradigmatic controversies, contradictions, and emerging confluences. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. (Eds.). The Sage handbook of qualitative research. 3.ed. Thousand Oaks: Sage Publications, 2005.

EISENHARDT, K. M. Building theories from case study research. Academy of Management Review, v. 14(4), p.532-50, 1989.

ANGROSINO, M. V. Etnografia e observação participante. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GASKELL , G. Entrevistas individuais e grupais. In: BAUER, M. W.; GASKELL , G. Pesquisa qua- litativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

GASKELL , G.; BAUER, M. W. Para uma prestação de contas pública: além da amostra, da fidedignidade e da validade. In: BAUER, M. W.; GASKELL , G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

JICK, T. D. Mixing qualitative and quantitative methods: triangulation in action. Administrative Science Quarterly, p. 602-611, 1979. http://dx.doi.org/10.2307/2392366

LEÃO, A. L. M. S. A construção empreendedora de marcas fortes. Working paper, 2008.

LINCONL, Y. S.; GUBA, E .G. Naturalistic inquiry. London: Sage Publications, 1985.

MARTUCCI, E. M. Estudo de caso etnográfico. Revista de Biblioteconomia de Brasília, v. 25(2), p.167-80, 2001.

MATTOS, P. L. C. L. A entrevista não-estruturada como forma de conversação: razões e sugestões para sua análise. Revista de Administração Pública, v. 39(4), p.823-47, jul./ago. 2005.

MELROSE, S. Naturalistic generalization. In: MILL S, A. J.; DUREPOS, G.; WIEBE, E. (Eds.). Encyclopedia of case study research. Thousand Oaks: Sage Publications, 2009.

MERRIAN, S. Qualitative research and case study applications in education. San Francisco: Jossey- Bass, 1998.

MILES, M. B.; HUBERMAN, A. M. Qualitative data analysis: an expanded source book. 2 ed. Londres: Sage Publications, 1994.

MORAES, C. Uma fenomenologia da cura espiritual: estudo de caso na pesquisa fenomenológica. Revista da Abordagem Gestáltica, v. XIV(1), p.65-69, jan./jun., 2008.

PATTON, M. Q. Qualitative research and evaluation methods. 3.ed. London: Sage Publications, 2002.

ROESCH, S. M. A. Casos para ensino em Administração: notas sobre a construção de casos para ensino. Revista de Administração Contemporânea, v. 11(2), p.213-34, abr./jun. 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552007000200012

STAKE, R. E.; EASLEY, J. A. Case studies in Science Education. Urbana: University of Illinois, 1979.

STAKE, R. E.; EASLEY, J. A. Case studies. In: DENZIN, N. K; LINCOLN, Y. S. (Eds.). Handbook of Qualitative Research. Thousand Oaks: SAGE Publications, p.236-247, 1994.

STAKE, R. E.; EASLEY, J. A. The art of case study research. London: Sage Publications, 1995.

STAKE, R. E.; EASLEY, J. A. Qualitative Case studies. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. (Eds.). The Sage handbook of qualitative research. London: Sage Publications, 2005.

STAKE, R. E.; EASLEY, J. A. Multiple case study analysis. New York: The Guilford Press, 2006.YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3.ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Citado por

Sem citações recebidas.