Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Controvérsias em Torno do Consumo e da Sustentabilidade: Uma Análise Exploratória da Literatura

DOI: http://dx.doi.org/10.17800/2238-8893/aos.v1n2p61-77

http://www.unama.br/seer/index.php/aos/index 

downloadpdf

Sylmara F. L. G. Dias1 & Armindo S. S. Teodósio2

 

Resumo: O atual modelo de desenvolvimento produz exclusão social e miséria, por um lado, e consumismo, opulência e desperdício, por outro. Baseia-se no aumento crescente da produção e, consequentemente, do consumo. Da relação de interdependência existente entre os atos de produção, consumo e proteção do meio ambiente surge a necessidade de discutir o tema de consumo sustentável. Se pelas propostas de “consumo verde”, o consumidor era o principal agente de transformação, pois suas demandas estimulariam a modernização ecológica das indústrias, com a perspectiva do “consumo sustentável”, essa questão assume contornos mais complexos. Sabe-se que mudança nos padrões de produção e consumo implica aumento do nível de informação da população, conscientização das pessoas, eliminação de desperdício, desenvolvimento de tecnologias, responsabilidades compartilhadas, reciclagem, mas, acima de tudo mudança de um padrão comportamental da sociedade atual. No Brasil, alguns estudos acadêmicos já se dedicaram aos impactos da produção e consumo, ora buscando uma visão de como as empresas estão agindo em relação ao meio ambiente, ora buscando verificar a visão e a sensibilidade dos consumidores sobre esta questão. A revisão da literatura aponta para um conceito ainda em construção. Contudo, são escassos os estudos que tratam diretamente das contradições e dilemas para construção do conceito. O presente ensaio tem por objetivo apresentar uma sistematização e estruturação dos principais conceitos, resumindo não só a literatura existente, mas lançando luz em duas vertentes dicotômicas: os defensores e os céticos no consumo sustentável. Para suprir esta lacuna e buscando-se alargar as fronteiras do conhecimento, este ensaio se propõe a mergulhar nesse campo ainda pouco explorado em nosso país.

Palavras-chave: Consumo Sustentável. Desenvolvimento Sustentável. Responsabilidade Social e Ambiental Empresarial.

 

Abstract: The existing model of development creates social exclusion and poverty in one side and, consumerism, opulence and waste on the other. It is based on increasing production and, as a result, intensification of consumption. The importance on discussing sustainable consumption hails from the symbiotic relationship amongst production, consumption and environmental protection. In the context of “green consumption”, the consumer is the main agent of change since his demands stimulate the adoption of ecological measures in the industrial sector. In the prospect of “sustainable consumption”, this question becomes more complex. It is understood that modifications in production and consumption patterns involve increasing level of information and awareness of the population, waste avoidance, technology development, shared responsibilities and recycling. And beyond that, they also involve individual and collective behavioural change. In Brazil, researches about the impacts from production and consumption are mainly focusing on how corporations are dealing in regard to the environment or on trying to identify the consumers’ vision and sensibility towards this issue. The literature review points to a concept still under construction, even though there are few studies that address directly the dilemmas for the elaboration of a sustainable consumption notion. This study aims to show a method to structure the main conceptions for sustainable consumption, not only through the existing literature, but also highlighting two dichotomous facades from its (i) supporters and (ii) opponents. In order to fill the research gap of this topicin Brazil, the purpose here is to analyse this subject by extending the boundaries of knowledge.

Key words: Sustainable consumption. Consumerism. Sustainable development. Corporate Social Responsibility.

 

1 Professora Doutora da Escola de Artes Ciência e Humanidades, Universidade São Paulo. Orientadora do Programa de Ciências Ambientais (PROCAM-USP). Doutora em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas - SP. Doutora em Ciência Ambiental pela Universidade de São Paulo. Mestre em Administração pela Universidade de São Paulo. Graduada em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Graduada em Pedagogia pelo Instituto de Educação de Minas Gerais. Atua principalmente nos seguintes temas: sustentabilidade, produçãoconsumo e meio ambiente, sustentabilidade em cadeia de suprimentos, ciclo de vida de embalagem, logística reversa, resíduos sólidos, catadores, organizações e sociedade, planejamento estratégico. sgdias@usp.br
2 Professor do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração (PPGA) da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Pesquisador das áreas de Gestão Social e Ambiental, Políticas Públicas e Estudos Organizacionais. Líder do Núcleo de Pesquisas em Ética e Gestão Social (NUPEGS) do PPGA da PUC Minas. Doutor em Administração de Empresas pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Mestre em Ciências Sociais (Gestão de Cidades) pela PUC Minas e Graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Federa de Minas Gerais (UFMG). armindo.teodosio@gmail.com

 

Literatura Citada

ALMEIDA JÚNIOR, J. M. G. Desenvolvimento ecologicamente autosustentável: conceitos, princípios e implicações. Humanidades, v.10, p. 284-299, 1994.

ANDERSON JR, Thomas W.; CUNNINGHAM, Willian H. The Socially Conscious Consumer. Journal of Marketing, v. 36, p. 23-31, July., 1972.

ANDRADE, Thales Novaes de. Crise da mídia e meio ambiente. In: ___. ALMEIDA, Antônio. Mídia e ambiente. São Paulo: Hucitec, 2009.

BAUMAN, Z. Vida para o consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BEDANTE, Gabriel N.; SLONGO, Luiz Antônio. O comportamento de consumo sustentável e suas relações com a consciência ambiental e a intenção de compra de produtos ecologicamente embalados. In: ENCONTRO DE MARKETING, 1., 2004, Atibaia. Anais…Atibaia: ANPAD, 2004.

BECKERMAN, Wilfred. Economic growth and the environment: whose growth? Whose environment?. World Development, v. 20, n. 4, p.481- 496, 1992. http://dx.doi.org/10.1016/0305-750X(92)90038-W

BORTOLETO, A.P.; GONCALVES-DIAS, S. L. F.; SANTOS, M. C. Reflexões sobre consumo, vida urbana e sustentabilidade. In: PADOVANO, B.R; NAMUR, M. Sala, P. São Paulo: em busca da sustentabilidade. São Paulo: EDUSP/PINI, 2012.

CALLENBACH, E. et al.Gerenciamento ecológico. Rio de Janeiro: Cultrix, 1993.

CANCLINI, N. G. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2006.

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE O MEIO AMBIENTE E O DESENVOLVIMENTO (CNUMAD). Documento Agenda 21 da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Rio de Janeiro: ONU, 1992. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/> Acesso em 30. jul.2006.

COHEN, C. Padrões de consumo e energia: efeitos sobre o meio ambiente e o desenvolvimento. In: MAY, P. H.; LUSTOSA, M. C.; VINHA, V. (Org.). Economia do meio ambiente: teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. p.245-269.

COHEN, M. The emerging international policy discourse on sustainable consumption. In: ___. MURPHY, J. Exploring sustainable consumption: environmental policy ant the social sciences. Oxford: Elsevier Science, 2001. http://dx.doi.org/10.1016/B978-008043920-4/50005-7

COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1991.

CONSUMER INTERNATIONAL. Além do ano 2000: a transição para o consumo sustentável. In: Consumo sustentável. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente, 1998.

CONSTANZA, R. (Ed.). Ecological economics: the science and management of sustainability. New York: Columbia University Press, 1991.

COSTA, J. F. O vestígio e a aura: corpo e consumismo na moral do espetáculo. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

CRESPO, Samyra (Coord.). O que o brasileiro pensa do meio ambiente e do desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Ministério do Meio Ambiente, 2002

CUPERSCHMID, Nair; TAVARES, Mauro C. Atitudes em relação ao meio ambiente e a sua influência no processo de compra de alimentos. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPAD, 2001, Campinas. Anais... Campinas: ANPAD, 2001.

DINATO, Monique. O meio ambiente e o setor petroquímico do Rio Grande do Sul: um estudo exploratório. 1998. Dissertação (Mestrado em Administração) - Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

EDEN, S. E. Individual environmental responsibility and its role in public environmentalism. Environment and Planning, v.25, p.1743-1758, 1993. http://dx.doi.org/10.1068/a251743

ELKINGTON, J.; HAILES, J. Green consumerism (extract from the introduction of The green consumer guide). In: DOBSON, A. (Ed.). Thegreen reader. London: Andre Deutsch, 1991. p.213- 217.

ELKINGTON, John; HAILES, Julia; MAKOWER, Joel. The Green Consumer. New York: Penguin Books, 1990.

FELDMANN, Fábio; CRESPO, Samyra. Consumo sustentável. Rio de Janeiro: ISER/Ministério do Meio Ambiente/FBMC, 2003. 3v.

FERREIRA, L. C. A centralidade da interdisciplinaridade nos estudos sobre ambiente e sociedade. São Paulo: UNICAMP, 2007. Disponível em: <http://www.ambiente.sp.gov.br/ea/adm/admarqs/LeilaFerreira.pdf.>. Acesso em: 25 abr. 2007.

FOLLOWS, S. B.; JOBBER, D. Environmentally Responsible purchase behavior: a test of a consumer model. European Journal of Marketing, v. 34, n. 5/6, p.723-46, 2000. http://dx.doi.org/10.1108/03090560010322009

FONTENELLE, I. A. Os primórdios da cultura de consumo e publicidade. São Paulo: Fundação Getúlio Vargas, 2006. In: Curso cultura de consumo e publicidade. São Paulo: Fundação Getúlio Vargas, 2006. (Notas de aula, aula 3). fontenelle, i. Os paradoxos do consumo. RAE-Revista de Administração de Empresas, v.48, n. 3, p. 104-105, 2008.

GIACOMINI FILHO, Gino. Ecopropaganda. São Paulo: Senac, 2004.

GONÇALVES-DIAS, S. L. F. Consumo e meio ambiente: uma modelagem do comportamento para reciclagem a partir de teorias cognitivo-comportamentais. Tese (Doutorado em Administração) - Escola de Administração de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2009.

GONÇALVES-DIAS, S. L. F.; TEODOSIO, A. S. S. Perspectivas de análise do ambientalismo empresarial para além de demonizações e santificações. RGSA - Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 5, p. 3-17, 2011.

HALKIER, B. Consequences of the politicization of consumption: the example of environmentally friendly consumption practices. Journal of Environmental Policy and Planning, n.1, p.25-41, 1999. http://dx.doi.org/10.1080/714038522

HART, S. L. Capitalism at the crossroads: the unlimited business opportunities in solving the world’s most difficult problems. New Jersey: Wharton School Publishing, 2005.

INSTITUTO AKATU. Descobrindo o consumo consciente. São Paulo: Instituto Akatu, 2004.

IRVINE, Sandy. Against green consumerism: extract from “Beyond green consumerism”. In: DOBSON, A. (Ed.) The green reader. London: Andre Deustsch, 1991. p.218-22.

JACKSON, T. Prosperity Without Growth Report: the transition towards a sustainable economy. London: Sustainable Development Commission, 2009.

KASSARJIAN, Harold H. Incorporating ecology into marketing strategy: the case of air pollution. Journal of Marketing, v. 35, p.61-65, July.1971.

KILBOURNE, W.; MCDONAGH, P.; PROTHERO, A. Sustainable consumption and the quality of life: a macromarketing challenge to the dominant social paradigm, Journal of Macromarketing, Spring, p. 4–23, 1997. http://dx.doi.org/10.1177/027614679701700103

KINNEAR, Thomas C.; TAYLOR, James R. The Effect of Ecological Concern on Brand Perceptions. Journal of Marketing Research, v. 10, p. 191-197, May, 1973. http://dx.doi.org/10.2307/3149825

KINNEAR, Thomas C.; TAYLOR, James R; AHMED, Sadrudin A. Ecologically Concerned Consumers: who they are?. Journal of Marketing, v. 38, p. 20-24. Apr., 1974. http://dx.doi.org/10.2307/1250192

KLINEBERG, S. L., MCKEEVER, M. Demographic predictors of environmental concern: It does make a difference how it’s measured. In: Bedante, Gabriel N.; LAGES, N. S.; VARGAS NETO, A. Mensurando a consciência ecológica do consumidor: um estudo realizado na cidade de Porto Alegre. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPAD, Porto Alegre, 2002. Anais... Porto Alegre: ANPAD, 2002.

LAYRARGUES, P. P. A cortina de fumaça: o discurso empresarial verde e a ideologia da racionalidade econômica. São Paulo: Annablume, 1998.

LEIS, Héctor R. Modernidade insustentável: as críticas do ambientalismo à sociedade contemporânea. Petrópolis: Vozes, 1999.

LIPOVETSKY, G. A felicidade paradoxal: ensaio sobre a sociedade de hiperconsumo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

MAKOWER, Joel. The green consumer. New York: Penguin, 1993.

MANZINI, Ezio; VEZZOLI, Carlo. O desenvolvimento de produtos sustentáveis: os requisitos ambientais dos produtos industriais. São Paulo: Edusp, 2002.

MOSCOVICI, S. Homens domésticos, homens selvagens. Lisboa: Livraria Bertrand, 1976.

MOSCOVICI, S. Natureza: para pensar a ecologia. Rio de Janeiro: Instituto Gaia, 2007.

MOTTA, R. S. Padrão de consumo, distribuição de renda e o meio ambiente no Brasil. Rio de Janeiro: IPEA, 2002. (Texto para discussão, n.856).

MURPHY, J. Sustainable consumption and environmental policy in the European Union. In: COHEN, M.; MURPHY, J. (Ed.). Exploring sustainable consumption: environmental policy and the social sciences. Oxford: Elsevier Science, 2001.

NELSON, Peter. Dez Dicas práticas para reportagens sobre o meio ambiente. Brasília: Fundo Mundial para a Natureza (WWF)/ Centro para Jornalistas Estrangeiros, 1994.

PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O MEIO AMBIENTE (PNUMA). Elementos para políticas em direção a um consumo sustentável. In: Consumo sustentável. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente, 1998.

PAAVOLA, J. Towards sustainable consumption: economics and ethical concerns for the environment en consumers choices. Review of Social Economy, v.59, n.2, p.227-248, June. 2001. pengue , W. La apropriación y el saqueo de la natureza: conflictos ecológicos distributivos en la Argentina del bicentenario, Buenos Aires: Lugar Editorial, 2008.

PORTILHO, Fátima. Sustentabilidade ambiental, consumo e cidadania. São Paulo: Cortez, 2005.

RANDALL, A. O que os economistas tradicionais têm a dizer sobre o valor da biodiversidade. In: WILSON, E. O. (Ed.) Biodiversidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997. p. 275-283.

RIBEMBOIM, J. (Org.). Mudando os padrões de produção e consumo: textos para o século XXI. Brasília: Ed. Ibama/MMA, 1997.

RIFKIN, J. O Sonho Europeu. São Paulo: Makron Books, 2005.

ROBERTS, J. A. Green Consumers in the 1990´s: profile and implications for advertising. Journal of Business Research, v. 36, p. 217-231, 1996. http://dx.doi.org/10.1016/0148-2963(95)00150-6

ROBERTS, J. A.; BACON, D. R. Exploring the subtle relations between Environmental concern and ecologically conscious consumer behavior. Journal of Business Research, 40, p. 79-89, 1997. http://dx.doi.org/10.1016/S0148-2963(96)00280-9

ROPKE, I. The dynamics of willingness to consume. Ecological Economics, v. 28, n. 3, p.399-420, 1999. http://dx.doi.org/10.1016/S0921-8009(98)00107-4

SACHS, I. Estratégias de transição para o século XX. São Paulo: FUNDAP, 1993.

SACHS, I. Desenvolvimento includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

SCHLEGELMILCH, B. B.; BOHLEN, G. M.; DIAMANTOPOULOS, A. The link between green purchasing decisions and measures of environmental consciousness. European Journal of Marketing, v. 30, n. 5, p. 35-55, 1996. http://dx.doi.org/10.1108/03090569610118740

SHRUM, L. J.; McCarthy , J. A.; LOWREY, T. M. Buyer characteristics of green consumer and their implications for sdvertising strategy. Journal of Advertising, v. 24, n. 2, 1995. http://dx.doi.org/10.1080/00913367.1995.10673477

SOLOMON, M. R. Comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. 5.ed. Porto Alegre: Bookman, 2002.

STERN, P. Toward a working definition of consumption for environmental research and policy. In: STERN, P. et al (Ed.). Environmentally significant consumption. Washington: National Academy Press, 1997. p.12-25.

STRAUGHAN, R. D.; ROBERTS, J. A. Environmental Segmentation Alternatives: a look at green consumer behavior in the new millennium. Journal of Consumer Marketing, v. 16, n. 6, p. 558-575. 1999. http://dx.doi.org/10.1108/07363769910297506

TEODOSIO; A. S. S.; VIEGAS, D.; GONÇALVES-DIAS, S. L.F. Consumo, meio ambiente e cidadania: intrincados (des)encontros na sociedade do hiperconsumo. In: PIMENTA; S. M. et al.(Coord.). Sociedade e consumo: múltiplas dimensões na contemporaneidade. Curitiba: Juruá, 2010. p. 119-145.

TREVISAN, Andrei Pittol; van Bellen, Hans Michael. Desenvolvimento e Sustentabilidade: Uma Avaliação da Dimensão Consumo a partir da Geração de RESÍDUOS Sólidos. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPAD, 205, Brasília. Anais... Brasília: ANPAD, 2005.

UUSITALO, L. Consumer as citizens: three approaches to collective consumer problems. In: GRUNERT, K. G.; THORGENSEN, J. Consumers, policy and environment: a tribute to folke olander. New York: Springer, 2005. p.127-150, 2005. http://dx.doi.org/10.1007/0-387-25004-2_7

VEIGA, José Eli da. Caminhos do desenvolvimento sustentável. In: O Estado de São Paulo. São Paulo, 2002.

VEIGA, J. E. Sustentabilidade: a legitimação de um valor. São Paulo: SENAC, 2010.

WESTRA, L.; WERHANE, P. (Ed.). The business of consumption: environmental ethics and the global economy. Boston: Rowman & Littlefield, 1998.

YAM-TANG, E. P. Y.; CHAN, R.Y. K. Purchasing Behaviors and Perceptions of Environmentally Harmful Products. Marketing Intelligence & Planning, v. 16, n. 6, 1998. http://dx.doi.org/10.1108/02634509810237532

Citado por

Sem citações recebidas.