Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Nova Contabilidade Pública: Potenciais Benefícios de Valoração dos Heritage Assets para Sustentabilidade Ambiental

DOI: http://dx.doi.org/10.17800/2238-8893/aos.v2n2p19-32

http://www.unama.br/seer/index.php/aos/index 

downloadpdf

Neima Q. A. Silva1 & Carlos A. S. Müller2

 

Resumo: A convergência brasileira às Normas Internacionais de Contabilidade editadas pela International Public Sector Accounting Standard (IPSAS), a União, estados e municípios poderão passar a contabilizar os heritage assets em seu patrimônio na forma de ativos dos balanços das contas públicas. A incorporação dos heritage assets, no entanto, gera mais dúvidas que respostas pois, leva a questionamento de como tal ato se dará, levando em consideração a sua forma de valoração, além da devida definição de quais heritage assets deverão ser incorporados. Entende-se que, no Brasil, a definição de heritage assets é uma oportunidade de sustentabilidade, visto que os ativos ambientais poderiam ser classificados no patrimônio. No que se refere à valoração, embora haja dúvidas como atribuir valores intrínsecos a ativos ambientais, acredita-se que as Ciências Econômicas apresentam uma possível solução, através de métodos de valoração ambiental, os quais podem ser apropriados para as Ciências Contábeis, cuja discussão deve se intensificar em âmbito nacional, posto que o Brasil já demonstrou interesse na adoção das normas do Ipsas.

Palavras-chave: Nova contabilidade pública. Heritage assets. Sustentabilidade ambiental

 

Abstract: The Brazilian convergence to International Accounting Standards edited by International Public Sector Accounting Standard (IPSAS), the Union, states and municipalities would be allowed to account for the heritage assets in their equity assets in the form of balance sheet accounts public. The incorporation of heritage assets, however, generates more questions than answers, therefore, leads to questioning of how such an act if shall, taking into account their form of assessment as well as appropriate definition of heritage assets which should be incorporated. It is understood that in Brazil, the definition of heritage assets is an opportunity to sustainability, as environmental assets could be classified in equity. Regarding the assessment, although there doubts as to assign intrinsic values to environmental assets, we believe that the Economics have a possible solution, through environmental valuation methods, which may be appropriate for the Accounting, whose discussion is likely to intensify in the context national, since Brazil has already shown interest in adopting the standards Ipsas.

Key words: New public accounting. Heritage assets. Environmental sustainability.

 

1 Graduação em Economia (DECON/UNIR). Mestre em Administração (PPGMAD/UNIR).Professora do Departamento de Economia (DECON/UNIR)
2 Graduação em Administração (DADM/UNIR). Mestre e Doutor em Economia Aplicada (UFV). Professor do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Administração (PPGMAD/UNIR). carlossandre@unir.br

 

Literatura Citada

ALMEIDA, Fernando. Os desafios da sustentabilidade. 2.ed. Rio de Janeiro: Elsevier. 2007.

AMAZONAS, Maurício C. Valor ambiental em uma perspectiva heterodoxa institucional-ecológica. Economia e Sociedade, Campinas, v. 18, n. 1 (35), p. 183-212, abr. 2009

ANDRADE, Daniel C. Economia e meio ambiente: aspectos teóricos e metodológicos nas visões neoclássica e da economia ecológica. Leituras de Economia Política, v. 14, p. 1-31, ago./dez, 2008.

BECKER, Bertha K. Geopolítica da Amazônia. Estudos Avançados. v. 19 (53), p. 71 a 86, 2005.

BRADESCO. Relatório de Análise Econômica e Financeira e Demonstrações Financeira Consolidados da Organização, set.2008.

BURSZTYN, Marcel; BURSZTYN, Maria A. A. Sustentabilidade, ação pública e meio rural no Brasil: uma contribuição ao debate. Raízes, v. 28, ns. 1 e 2, v. 19, n. 1, p. 10-18, 2009/2010.

CARLIN, Diego de O. Considerações sobre o processo de convergência na contabilidade pública brasileira. Revista CRCRS, n.8, set.2008.

CARVALHO, Delza. R.; ALMEIDA, Maria. G. A valoração da paisagem da Chapada Diamantina: uma análise do espaço concebido, vivido e percebido. In: Revista Eletrônica Ateliê Geográfico, UFG – IESA, p.174-198, dez. 2009.

CARVALHO, Luiz N. G.; COSTA, Patrícia S.; OLIVEIRA, Alan T. Impairment no setor público: particularidades das normas nacionais e internacionais. Revista de Administração Púbica, 44(4): 839-76, jul./ago. 2010.

CAVALCANTI, Clóvis. Uma tentativa de caracterização da economia ecológica. Ambiente & Sociedade, v. 7, n. 1, p.149-156, jan./jun. 2004.

CAVALCANTI, Clóvis. Concepções da economia ecológica: suas relações com a economia dominante e a economia ambiental. Estudos Avançados, 24 (68), p.53-67, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142010000100007

CHAN, James L. As NICSPS e a contabilidade governamental de países em desenvolvimento. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade. v. 4, n. 1, art. 1, p. 1-17, jan./abr. 2010.

COMISSÃO EUROPEIA. Modernising Accounting in the Public Sector, Exchange of Experience. Disponível em: <http://goo.gl/QNy5Ga>. Acesso em: fev, 2011.

CPC, Comitê de Pronunciamentos Técnicos. Programa de Trabalho – 2008 a 2010. Disponível em: <http://www.cpc.org.br/pdf/convergencia_29dez2008.pdf>. Acesso em: 18 nov. 2010.

CHRISTIAENS, Johan. Capital Assets in Governmental Accounting Reforms: Comparing Flemish Technical Issues with International Standards. European Accounting Review, v. 13, n.. 4, p. 743-770, 2004. http://dx.doi.org/10.1080/0963818042000237133

CRHISTIAENS, Johan; ROMMEL, Jan; BARTON, Allan. Should capial assets be recognised in governmental accounting? In: 4th International Conference on Accounting, Auditing and Management in Public Sector Reforms, Siena, 7th-9th September 2006.

CORBETI, Carla. M. C.; ALVIM, Augusto. M.; DIAS, Daniela. V. Valoração econômica dos recursos hídricos da região de pelotas. Análise – Revista Científica de Administração, Contabilidade e Economia, Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 85-96, jan./jun. 2010.

GIL, Antônio C. Estudo de caso. São Paulo: Atlas, 2009.

GROOT, Rudolf S.; WILSON, Mattew A.; BOUMANS, Roelof M. J. A typology for the classification, description and valuation of ecosystem functions, goods and services. Ecological Economics, v. 41, p. 393-408, 2002. http://dx.doi.org/10.1016/S0921-8009(02)00089-7

HARDIN, Garrett. The tragedy of the commons. Science, 162, p.1243-1248, 1968. http://dx.doi.org/10.1126/science.162.3859.1243

IASB - International Accounting Standard Board. Framework for the Preparation and Presentation of Financial Statements, 1989.

LIMA, Telma Cristiane S.; MIOTO, Regina Célia Tamaso. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katálysis, v. 10 n. especial, p. 37-45, 2007

MANKIW, N. Gregory. Princípios de microeconomia. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

MARTINS, G. D. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MATTOS, Katty M. C.; MATTOS, Karen M. C.; MATTOS, Arthur. Valoração econômica do meio ambiente dentro do contexto do desenvolvimento sustentável. Revista Gestão Industrial, v. 1, n. 2, p.109-121, 2005.

MATTOS, Katty M. C.; MATTOS, Karen M. C.; MATTOS, Arthur. Sustentabilidade ambiental e o uso do instrumento de valoração econômica do meio ambiente – abordagens teórica e prática. In: Simpósio de Engenharia de Produção da Universidade Estadual Paulista (UNESP), São Paulo, nov. 2006.

MCKENDRICK, Jim. Modernization of the public accounting systems in central and eastern European countries: the case of Romania. International Public Management Review. Volume 8. Issue 1. p.168-185. 2007

MOTTA, R. Seroa. Manual de valoração econômica de recursos ambientais. Rio de Janeiro: IPEA/MMA/PNUD/CNPq, 1997.

MUELLER, Charles P. Os economistas e as relações entre o meio ambiente. Brasília: UNB, 2007.

NOGUEIRA, Jorge M.; MEDEIROS, Marcelino A. A. de. Quanto vale aquilo que não tem valor? Valor de existência, economia e meio ambiente. In: Encontro Nacional de Economia (ANPEC), Recife, dez. 1997.

NOGUEIRA, Jorge M.; MEDEIROS, Marcelino A. A., ARRUDA, Flavia S. T. Valoração econômica do meio ambiente: ciência ou empirismo. In: Congresso da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Vitória – ES, dez. 1998.

PALLOT, June. Elements of a theoretical framework for public sector accounting. Accounting, Auditing and Accountability Journal, 5(1), p. 38-59, 1992

PEARCE, David. W. Economic Values and the Natural World. 1. ed. London, 1993.

PEARCE, David. W.; TURNER, R. Kerry. Economics of natural resources and the environmental. Baltimore, Maryland: The Johns Hopkins University Press, 1990.

PINDYCK, Robert. S.; RUBINFELD, Daniel. L. Microeconomia. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

WORD COMMISSION. Report of the World Commission on Environment and Development: Our Common Future. 1987. Disponível em: <http://www.un-documents.net/wced-ocf.htm>. Acesso em: mar. 2010.

ROMEIRO, Ademar R. Economia ou economia política da sustentabilidade. Texto para discussão, IE/UNICAMP, Campinas, n.102, 2001.

SACHS, Ignacy. Desenvolvimento includente, sustentável e sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

SAYCE, Sarah; BRITTON, Paul; MORRIS, Alistair; SUNDBERG, Anna; WATKINS, David. Valuing heritage assets. Final report of a research Project: examining the case for the valuation of heritage assets. Kingston University, 2009.

SILVA, Rubicleis. G. Valoração do Parque Ambiental “Chico Mendes”, Rio Branco – AC: uma aplicação probabilística do método referendum com bidding games. Viçosa: UFV, 2003. Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada) – Universidade Federal de Viçosa, 2003.

SOUZA, Roberta. F. P. Valoração econômica ambiental: o caso do rio Paraibuna, Juiz de Fora – MG. Viçosa: UFV, 2005. Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada) – Universidade Federal de Viçosa, 2005.

TIEDE, Wolfgang; KRISPENZ, Sabina. The new public accounting law in Albania – the current situation and the introduction of IPSAS to systems of public accounting. South-East Europe Review. p.119-130. 2007.

VARIAN, Hal R. Microeconomia: princípios básicos. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

VEIGA, Jose Eli da. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. 3ed.. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

ZYLBERSZTAJN, David; LINS, Clarissa. (Orgs.). Sustentabilidade e geração de valor: a transição para século XXI. Editora Elsevier: Rio de Janeiro, 2010.

Citado por

Sem citações recebidas.