Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Política Industrial de Inovações Tecnológicas em um Ambiente de Competitividade Sistêmica

DOI: http://dx.doi.org/10.17800/2238-8893/aos.v3n1p87-110

http://www.unama.br/seer/index.php/aos/index 

downloadpdf

André C. Carvalho1, David F. Carvalho2 & Renata B. S. C. Carvalho3

   

Resumo: O principal objetivo deste trabalho é discutir numa perspectiva teórica shumpeteriana a relevância estratégica normativa de uma política nacional de desenvolvimento industrial, centrada em inovações tecnológicas em um ambiente de competitividade sistêmica. O método empregado aqui envolve o método dedutivo, porque parte do geral, ou seja, da discussão sobre a política industrial brasileira, tendo como suporte a política nacional de ciência, tecnologia e inovações e, também, o método indutivo, porque considera o particular (a empresa inovadora), mas situada dentro de um sistema nacional de inovações tecnológicas envolvendo, sistemicamente, o setor privado e o setor público. Para Schumpeter, as inovações tecnológicas são indutoras do desenvolvimento econômico capitalista; portanto, somente as novas combinações que são descontínuas e que causam mutações industriais, a ponto de mudarem as estruturas de mercado no capitalismo, caracterizam o verdadeiro desenvolvimento econômico. A principal conclusão desta pesquisa revela que, no que tange à formulação de uma política industrial e tecnológica, a estruturação de uma rede nacional de inovações tecnológicas é um passo importante para estimular a geração, adoção e difusão de tecnologias. Consequentemente, uma política nacional de desenvolvimento industrial deve buscar uma articulação sistêmica com a política de inovações tecnológicas e de comércio exterior.

Palavras-chave: Inovações tecnológicas. Competitividade sistêmica. Desenvolvimento econômico

 

Abstract: The main objective of this paper is to discuss a schumpeterian theoretical perspective the normative strategic relevance of a national industrial development policy, focused on technological innovations in an environment of systemic competitiveness. The method employed here involves the deductive method because of the general, ie, the discussion about the Brazilian industrial policy, supported by the national policy for science, technology and innovation, and also the inductive method because it considers the particular (the company innovative), but located within a national system of technological innovations systemically involving the private sector and the public sector. For Schumpeter technological innovations are inducers of capitalist economic development, therefore, only new combinations that are discontinuous and causing changes in industry, to the point of changing market structures in capitalism, featuring true economic development. The main finding of this research shows that when it comes to formulating a technological and industrial policy, the structuring of a national network of technological innovations is an important step to stimulate the generation, adoption and diffusion of technologies, consequently, a national development policy industry must seek a systemic conjunction with the policy of technological innovation and foreign trade.

Key words: Technological innovation. Systemic competitiveness. Economic development

 

1 Doutor em Desenvolvimento Econômico pelo Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professor-pesquisador daFaculdade de Economia da Universidade Federal do Pará (UFPa). E-mail: andrecc83@gmail.com
2 Doutor e Pós-Doutor em Economia pelo Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (IE da Unicamp). Professor-pesquisador da Faculdade de Economia da Universidade Federal do Pará (UFPa). E-mail: david.fcarvalho@yahoo.com.br
3 Especialista em Auditoria e Perícia Contábil pelo Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa) e em Gestão Pública pela Universidade da Amazônia (Unama). Técnica em Gestão Pública pela Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos do Estado do Pará – Sejudh-Pa. E-mail: renatabaleixo@gmail.com

 

Literatura Citada

CARVALHO, David Ferreira. Capital em geral, capital social e capitais plurais no ciclo reprodutivo e na concorrência da dinâmica capitalista. Revista Movendo Ideias (UNAMA), Belém, v. 8, p. 37-53, 2003.

CANO, Wilson. Da Década de 1920 à de 1930: Transição rumo à Crise e à Industrialização no Brasil. In: Revista Economia. Brasília (DF), v.13, n.3b, p.897-916, set./dez., 2012.

CHANG, Ha-Joon. The Political Economic of Industrial Policy. New York, St.Martins Press, 1994.

COUTINHO, Luciano. A Terceira Revolução Industrial e Tecnológica: As Grandes Tendências de Mudanças. In: Revista Economia e Sociedade, n.1, p. 69-87, 1992.

DOSI, G., ORSENIGO, L.; Coordenation and Transformation: an overview of structures, behaviours and change in evolutionary environments. In: Technical Change and Economic Theory (p.13-37), London, Pinter Publishers, p.27, 1998.

DOSI, Giovanni. Technological Paradigms and Technological Trajectories. Research Policy, n. 11,1982.

DOSI, Giovanni. Technical change and industrial transformation. London, MacMillan, 1984.

FERRAZ, João Carlos; PAULA, Germano Mendes de e KUPFER, David. Política industrial. In: KUPFER, David e HASENCLEVER, Lia. Economia industrial. Rio de Janeiro, Campus, 2002.

FREEMAN, Chris. The National System of Inovation in historical perspective. Cambridge Journal of economics, n. 19, 1995.

CHESNAIS, François. Technnological Competitiveness Considered as a Form of Structural Competitiveness. In: NIOSI, Jorge. (Ed.). Technnology and National Competitiveness. Montreal: McGill-Queen’s University Press, 1991.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO (FIESP). Relatório divulgado pela Federação das indústrias do Estado de São Paulo de 2014. São Paulo: FIESP, 2014, 59 p.

GADELHA, Carlos Augusto Grabois. Política Industrial: uma visão Neo-Schumpeteriana Sistêmica e Estrutural. Revista de Economia Política, v.21, n.4(84), out./nov. 2001.

HASENCLEVER, Lia; TIGRE, Paulo. Estratégias de inovação. In: KUPFER, David e HASENCLEVER, Lia (Orgs.). Economia Industrial: fundammentos teóricos e práticas no Brasil. Rio de Janeiro, Campus, 2002.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa de inovação tecnológica de 2008. Rio de Janeiro: IBGE, 2008. 160 p.

KLEVORICK, A. K.; LEVIN, R.; NELSON, R.; WINTER, S. On the sources and significance of inter-industry differences in technological opportunities. Research Policy, v. 24, n. 2, p. 185-205, March 1995. http://dx.doi.org/10.1016/0048-7333(93)00762-I

KUPFER, David. Dez anos de política industrial. Revista Valor Econômico, Rio de Janeiro, 08 de Agosto de 2013. Disponível em: http://www.ie.ufrj.br/clipping/download/dezanos.pdf . Acesso em: 20 maio de 2014.

MARTINS, J. P. Capacidades tecnológicas da Fiasul Indústria de Fios Ltda (Toledo-PR). Toledo, 2004. 98p. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Agronegócio), CCSA, UNIOESTE, Toledo, 2004.

MOREIRA, R. R.; HERSCOVICI, A. (2006). Path-dependence, expectativas e regulação econômica: elementos de análise a partir de uma perspectiva pós-keynesiana. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, 10(3): 547-574.

NASSIF, André Luiz. Política Industrial e Comercial. Revista de Economia Política, v. 20, n.2(78), abr./jun.2000.

NELSON, Richard; WINTER, Sidney. In search of useful theory of innovation. Research Policy, n. 6, North Holland, 1977.

NELSON, Richard; WINTER, Sidney. An evolutionary theory of economic change. Cambridge, Mass: Harvard University Press, 1982.

NELSON, Richard; WINTER, Sidney. Uma teoria evolucionista da mudança econômica. Campinas, UNICAMP, 2005.

OSTROM, Elinor; HESS, Charlotte. A framework for Analyzing the Knowledge Commons: a chapter from Understanding Knowledge as a Commons: from theory to practice. Edited by Charlotte Hess and Elinor Ostrom, The Mit Press, Cambridge, Massachusetts, London, England. 2007.

PAVITT, Keith. Sectoral patterns of technical change: Towards a taxonomy and a theory. Research Policy, n. 13, 1984.

POSSAS, Mário Luiz. Competitividade: fatores sistêmicos e política industrial: implicações para o Brasil. In: CASTRO, Antônio Barros de; POSSAS, Mario Luiz; PROENÇA, Adriano (Org.). Estratégias empresariais na indústria brasileira: discutindo mudanças Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1996.

POSSAS, Mário Luiz. Eficiência seletiva: uma perspectiva neo-schumpeteriana evolucionária sobre questões econômicas normativas. Revista de Economia Política, v. 24, 1(93), jan./mar, 2004.

POSSAS, Silvia. Concorrência e competitividade: notas sobre estratégia e dinâmica seletiva na economia capitalista. São Paulo: Hucitec, 1999.

PREBISCH, Raúl. The Economic Development of Latin America and its Principal Problems (1950). In: Economic Bulletin for Latin America, v. 7, n. 1, p. 1-22, 1962.

ROSENBERG, Nathan. Perspectives on development. Cambridge: Cambridge University Press, 1976.

ROSENBERG, N. Inside the black box: technology and economics. Cambridge: Cambridge University Press, 1982. 304 p.

ROSEMBERG, Nathan. Por dentro da caixa-preta: tecnologia e economia. Campinas: UNICAMP, 2006.

SALERNO, M. S.; DE NEGRI, J. A. A Inovação, estratégias competitivas e inserção internacional das firmas da indústria brasileira. Parcerias Estratégicas, Brasília, Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), n. 20 – parte 4, p. 1.309-1.333, jun. 2005. Número especial: seminários temáticos para a 3ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

SANDRONI, Paulo. Dicionário de economia do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2005.

SCHUMPETER, Joseph Alois. Teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

SCHUMPETER, Joseph Alois. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Zarar, 1984.

SIMON, Herbert. From substantive to procedural rationality. Models of Bounded Rationality. Cambridge: MIT Press, 1982.

Citado por

Sem citações recebidas.