Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Mudança Estratégica em Uma Universidade Pública: Interferência da Interpretação dos Gestores no Processo

DOI: http://dx.doi.org/10.17800/2238-8893/aos.v3n2p83-99

http://www.unama.br/seer/index.php/aos/index 

downloadpdf

Fernando A. C. Palácios1

  

Resumo: Universidades, por suas caractersticas organizacionais e pelo perfil de seus principais agentes, são organizações normalmente resistentes a processos de mudança. O objetivo da pesquisa foi identificar e analisar valores e crenas presentes nos processos cognitivos dos gestores de uma nova unidade universitária em processo de implantação de uma estratégia transformacional. A partir de questionamentos sobre as dimensões envolvidas na mudança em organizações educacionais, é avaliado o desenvolvimento de esquemas interpretativos capazes de comprovar ou não o início de um processo de institucionalização. A pesquisa caracteriza-se como um estudo de caso, com perspectiva de análise transversal e abordagem descritivo-qualitativa, sendo o foco o processo de mudança estratégica em uma universidade pública brasileira. A coleta de dados deu-se por meio de entrevistas semiestruturadas com coordenadores de cursos de graduação, observação não participante e análise documental. Foi utilizado o método de análise de conteúdo para interpretação dos dados. Os resultados evidenciaram que a institucionalização da mudança por meio da implementação de um projeto estratégico inovador ainda não havia se efetivado, visto as diferenças encontradas nos esquemas interpretativos dos gestores e as incongruências entre o que estes realizavam e a estratégia pretendida da nova unidade universitria. Sugere-se ue, no caso especfico, a efetivao da mudana reuer a definio do modo de funcionamento das novas estruturas e dos novos processos em conjunto, em interação entre os sujeitos, em um lento, mas permanente, desenvolvimento de esquemas interpretativos coletivos, adotando um modelo de mudança mais balanceado entre orgânico e planejado.

Palavras-Chave: Mudança estratégica. Universidade pública. Esquemas interpretativos

 

Abstract: Universities, for their organiational and the main agents of their profile characteristics, are sall resistant to change processes organiations. he obective of the research was to identif and anale vales   and beliefs present in the cognitive processes of the managers of a new niversit unit deployment of a transformational strategy. From questions about the dimensions involved in the change in edcational organiations is assessed developing interpretive schemes able to prove the beginning of a process of instittionaliation or not. he research is characteried as a case std, with the prospect of crosseamination and descriptive alitative approach, with the focs on the process of strategic change in a railian pblic niversit. he data was collected b means of semistrctred interviews with coordinators of ndergradate, nonparticipant observation and docment analsis. he method of content analsis for the interpretation of the data was sed. he reslts showed that the instittionaliation of change throgh the implementation of a innovator strategic plan had not et been effected, since the differences in interpretive schemes of managers and inconsistencies between what the carr and the new niversit nit strateg. t is sggested that, in the specific case, the effectiveness in changing reires the definition of the mode of operation of the new strctres and new processes together in interaction among individals in a slow bt ongoing collective development of interpretive schemes, b adopting a model of change more balanced between organic and planned.

Key words: Strategic change. blic niversit.  nterpretative schemes.

 

1 Bacharel em msica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1986), mestrado em Educao pela Universidade Estadual do Cear (2000) e Doutorado em Administrao pela USP (2011). Foi conselheiro da Associao Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais, do SEBRAE-PA, do Conselho de Cincia e Tecnologia e do Conselho de Educao do Estado do Par. Ex-Reitor da Universidade do Estado do Par (perodo abril de 2000 a maro de 2008). Tem experincia na rea de Educao, com nfase em Administrao Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: universidade, política de educação superior, instituições de ensino superior, administração pública, aprendizagem organizacional e estratégia. Email: fac.palacios@gmail.com.

 

Literatura Citada

ARANTES, Valria. Articulao interdisciplinar entre conhecimentos cientficos gerais: o ciclo básico da USP Leste. In: GOMES, C.B. (Org.). USP Leste: a expanso da Universidade – do Oeste para Leste. So Paulo: Edusp, 2005.

ARAUJO, Ulisses F. Entre o acadmico e a gesto universitria: a Construo de espaos, tempos e relaes da USP Leste. In: GOMES, C.B. (Org.). USP Leste: a expanso da Universidade – do Oeste para Leste. So Paulo: Edusp, 2005.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Ed. Setenta. 2008.

BERGER, P.; LUCKMANN, T. A construção social da realidade. Petrpolis: Vozes, 2008.

CALEGARI, D.; PEREIRA, M. F. Planejamento e estratégia das escolas: o que leva as escolas a ter alto desempenho. São Paulo: Atlas, 2013.

CANRIO, Rui. Estabelecimento de ensino: a inovao e a gesto de recursos educativos. In: NVOA, A. (Coord.). As organizações escolares em análise. Lisboa: Dom uixote, 1992.

CRUBELLATE, Joo Marcelo. Parâmetros de qualidade de ensino superior: análise institucional em IES privadas do Estado de So Paulo. 2004. Tese (Doutorado). Fundao Getlio Vargas. Escola de Administração de Empresas de São Paulo. São Paulo, 2004.

DENIS, J. L.; LANGLEY, A.; ROULEAU, L Strategizing in pluralistic contexts: rethinking theoretical frames. Human Relations, v.30, n. 1, p. 179-215, 2007. http://dx.doi.org/10.1177/0018726707075288

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. Jaula de ferro revisitada: isomorfismo institucional e racionalidade coletiva nos campos organizacionais. In: CALDAS, M.P; BERTERO, C.O. (Orgs.). Teoria das organizações. So Paulo: Atlas: 2007.

FARIAS FILHO, M. C.; GARCIA, R. G; AMIN, M. M. A institucionalizao do planejamento na gesta universitária. Revista GUAL, Florianpolis, v.3, n. 3, p. 252-268, set. 2013.D

FLEURY, M. T. L.; FISCHER, R. M. Cultura e poder nas organizações. So Paulo: Ed. Atlas, 2007.

HREBINIAK, Lawrence G. Fazendo a estratégia funcionar. Porto Alegre: Bookman, 2006.

HININGS, C. R.; GREENWOOD, R. The dynamics of strategic change. New York: Basil Blackwell, 1987.

KLASILCHIK, Mirian. Gesto – desafios e perspectivas. Revista USP, So Paulo, n. 78, p. 22-31, jun./ago. 2005.

LOURAU, Ren. A análise institucional. Petrpolis, RJ: Vozes, 1995.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execuo de pesuisas, amostragens e tcnicas de pesuisas, elaborao, anlise e interpretao de dados. 5. ed. So Paulo: Atlas, 2002.

MEYER, J. W.; ROWAN, B. Institucionalized organizations: formal structure as myth and ceremony. American Journal of Sociolpgy, n. 2, p. 340-363, 1983.

MINTZBERG, H.; LAMPEL, J.; UINN, J.B.; GHOSHAL, S. O processo da estratégia: conceitos, contextos e casos relacionados. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MINTZBERG. H. Criando organizações eficazes: estruturas em cinco configuraes. São Paulo: Atlas, 2006.

PALCIOS, F. A. C. Processo estratégico na criação e implantação da escola de artes, ciências e humanidades da USP: esuema analtico e evidncias empricas. So Paulo, 2011. Tese (doutorado). Universidade de So Paulo (USP). Faculdade de Economia, Administrao e Contabilidade (FEA). São Paulo, 2011.

PECI, Alketa. A nova teoria institucional em estudos organizacionais: uma abordagem crtica. Cadernos EBAPE, v. 4, n. 1, 2006.

PETTIGREW, Andrew M. The character and significance of strategy process research. Strategic Management Journal, v. 13, p. 5-16, 1992. http://dx.doi.org/10.1002/smj.4250130903

POWELL, W. W.; DiMAGGIO, P. J. The new institucionalism in organizational analysis. Chicago: University of Chicago Press, 1990.

RANGEL, Suzana. Documento de trabalho. Encontro de Administração Superior. Belém: UEPA, 2002.

SCOTT, W. Richard; MEYER, John W. The organization of societal sectors. In: MEYER, John W.; SCOTT, W. Richard (Eds.). Organizational environments: ritual and rationality. London: Sage, 1992.

SCHWARTZMAN, Simon. A universidade de So Paulo e a uesto universitria no Brasil. In: STEINER, J.; MALNIC, G. Ensino superior: conceito e dinâmica. São Paulo: Edusp, 2008.

STAKE, R. E. ualitative case studies. In: DENZIN, Norman K. & LINCOLN, Yvonna S. (Eds.). The sage handbook of qualitative research. 3rd ed. Thousand Oaks, CA: SAGE. p. 443-466, 2005.

VAN DE VEN, A. H. Suggestions for studying strategy process: a research note. Strategic Management Journal, v. 13, p. 169-188, 1992. http://dx.doi.org/10.1002/smj.4250131013

ZUCKER, L. Institutional theories of organization. Annual Review of Sociology, v. 13, p. 443- 464, 1987. http://dx.doi.org/10.1146/annurev.so.13.080187.002303

Citado por

Sem citações recebidas.