Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Isotermas e Calor Isostérico das Sementes de Pinhão-Manso

DOI: http://dx.doi.org/10.13083/1414-3984/reveng.v23n1p9-18

http://www.seer.ufv.br/seer/index.php/reveng/index 

downloadpdf

Tarcísio H. Chaves1, Osvaldo Resende2, Daniel E. C. Oliveira 3, Thaís A. S. Smaniotto4 & Kelly A. Sousa5

 

Resumo: O presente trabalho foi conduzido no Laboratório de Pós-Colheita de Produtos Vegetais do Instituto Federal Goiano, Câmpus Rio Verde, com os objetivos de obter as isotermas de dessorção e os valores de calor isostérico integral de dessorção das sementes de pinhão-manso. Os frutos foram colhidos e, posteriormente, procedeu-se ao beneficiamento das sementes, obtendo-se teor de água inicial de 20,9 % (b.s.). Em seguida, foram submetidas à secagem em estufa com ventilação de ar forçada a 40 °C até atingir os teores de água de 13,6; 11,1; 8,7; 6,4 % (b.s.). As isotermas de dessorção das sementes de pinhão-manso foram obtidas pelo método estático indireto, sendo a atividade de água (aw) determinada por meio do equipamento Hygropalm Model Aw 1. Para o controle da temperatura, utilizou-se uma B.O.D., regulada a 10, 20, 30 e 40 °C. Aos dados experimentais, foram ajustados os modelos matemáticos frequentemente utilizados para representação da higroscopicidade de produtos agrícolas. O modelo de Sigma Copace é o que melhor representa a higroscopicidade das sementes de pinhão-manso. O calor isostérico integral de dessorção aumenta com a redução do teor de água, sendo que os valores, para as sementes de pinhão-manso, na faixa de teor de água de 5,6 a 13,4 % (b.s.), variam de 3035,61 a 2631,89 kJ kg-1.

Palavras-chave: Jatropha curcas L, atividade de água e higroscopicidade.

 

Abstract: This study was conducted at the Postharvest Laboratory of Vegetable Products of the Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia Goiano - Câmpus Rio Verde, seeking to obtain the desorption isotherms and the values of isosteric heat of desorption of jatropha seeds. The fruits were harvested and then preceded to processing of the seeds which presented an initial moisture content of 20.9 % (d.b.). They were then dried in an oven with forced air ventilation at 40 °C until the moisture content of 13.6, 11.1, 8.7, 6.4 % (d.b.). The desorption isotherms of jatropha seeds were obtained by the indirect static method, and the water activity (aw) determined using the Hygropalm Aw Model 1 device. For temperature control a B.O.D was used, set at 10, 20, 30 and 40 °C. Experimental data was fitted to mathematical models often used to represent the hygroscopicity of agricultural products. The Sigma Copace model is that which best represents the hygroscopicity of jatropha seeds. The integral isosteric heat of desorption increased with decreasing moisture content, and the values for the jatropha seed in the moisture content range from 5.6 to 13.4 % (d.b.) varied from 3035.61 to 2631.89 kJ kg-1.

Key words: Jatropha curcas L, water activity and hygroscopicity

 

1 Graduando em Agronomia no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano - Câmpus Rio Verde, GO. IF Goiano, E-mail: tarcisiohonoriochaves@ymail.com Bolsista CNPq
2 Eng. Agrícola, Prof. Dr. IF Goiano – Câmpus Rio Verde, E-mail: osvresende@yahoo.com.br
3 Eng. Agrícola, Doutorando em Ciências Agrárias-Agronomia IF Goiano – Câmpus Rio Verde, E-mail: oliveira.d.e.c@gmail.com
4 Eng. Agrônoma, Doutoranda em Ciências Agrárias-Agronomia IF Goiano – Câmpus Rio Verde, E-mail: tatiadris@ig.com.br
5 Tecnóloga em Produção de Grãos, Doutoranda em Ciências Agrárias-Agronomia IF Goiano – Câmpus Rio Verde, E-mail: kellyapsousa@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

ABDALLA, A.L.; SILVA FILHO, J.C.; GODOI, A.R.; CARMO, C.A.; EDUARDO, J.L.P. Utilização de subprodutos da indústria de biodiesel na alimentação de ruminantes. Revista Brasileira de Zootecnia, v.37, n. Especial, p.260-258, 2008.

AL-MUHTASEB, A.H.; MCMINN, W.A.M.; MAGGE, T.R.A. Water sorption isotherms of starch powders. Part 2: Thermodynamic characteristics. Journal of Food Engineering, v.62, n.2, p.135- 142, 2004. doi

AYRANCI, E.; DUMAN, O. Moisture sorption isotherms of cowpea (Vigna unguiculata L. Walp)and its protein isotate at 10, 20 and 30°C. Journal of Food Engineering, v.70, n.1, p.83-91, 2005. doi

BIODIESELBR, 2006. Disponível em: <http://www.pinhaomanso.com.br/tudo-sobre-pinhaomansojatropha-curcas.html >. Acesso em: 07 ago. 2006.

BRASIL, Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Secretaria Nacional de defesa Agropecuária. Regras para Análise de Sementes. Brasília, 2009. 395p.

BROOKER, D.B.; BAKKER-ARKEMA, F.W.; HALL, C.W. Drying and storage of grains and oilseeds. New York: Van Nostran Reinhold, 1992. 450p.

CHEN, C.; JAYAS, D.S. Evaluation of GAB equation for the isoterms of agricultural products. Transactios of ASAE, v.41, n.6, p.1755-1760, 1998. doi

CORRÊA, P. C.; RESENDE O.; RIBEIRO D. M. Isotermas de sorção das espigas de milho: obtenção e modelagem. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, v.4, n.1, p.126-134, 2005.

IGLESIAS, H.; CHIRIFE, J. Prediction of the effect of temperature on water sorption isotherms of food material. International Journal of Scienc & Technology, v.11, n.2, p.109-116, 1976. doi

IUPAC- International Union of Pure and Applied Chemistry. Reporting physisorption data for gas/ solid systems. Pure and Applied Chemistry, v. 57, n. 4, p. 603-619, 1985.

MOHAPATRA, D.; RAO, P.S. A thin layer drying model of parboiled wheat. Journal of Food Engineering, v.66, n.4, p.513-518, 2005. doi

OLIVEIRA, F. Adsorption isotherms of pinhão (Araucaria angustifolia seeds) starch and thermodynamic analysis. Journal of Food Engineering, v.100, p. 468-473, 2010. doi

OLIVEIRA, M.M.; CAMPOS, A.R.N.; GOMES, J.P.; SILVA, F.L.H. Isotermas de sorção do resíduo agroindustrial de casca do abacaxi (Ananas comosus L. Mer). Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.9, n.4, p.565-569, 2005. doi

PARK, K.J.; ANTONIO, G.C.; OLIVEIRA, R.A.; PARK, K.J.B. Conceitos de processo e equipamentos de secagem. 121p. 2007. Disponível em: < http://www.feagri.unicamp.br/ctea/manuais/concproceqsec_07.pdf>. Acesso em 06 de fev. 2012.

RESENDE, O. Variação das propriedades físicas e mecânicas e da qualidade do feijão (Phaseolus vulgaris L.) durante a secagem e armazenamento. 2006. 180f. Universidade Federal de Viçosa- Viçosa. - MG.

RESENDE, O.; CÔRREA, P.C.; GONELI, A.L.D.; RIBEIRO, D.M. Isotermas e calor isostérico de sorção do feijão. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.26, n.3, p.626-631, 2006. doi

SANTOS, S.B.; MARTINS, M.A.; CARVALHO, F.M.; CARNEIRO, A.C.O. Determinação de algumas propriedades físicas dos grãos de pinhão manso (Jatropha curcas L.) In: DI LEO, N.; MONTICO, S.; NARDÓN, G. Avances en Ingeniería Rural: 2007 - 2009. Rosario: UNR Editora, 2009, p.1067-1072.

SANTOS, S.B.; SAMPAIO, C.P.; MARTINS, M.A.; ARAÚJO, R.F. Isotermas de equilíbrio higroscópico para grãos de pinhão manso (Jatropha curcas L.) In: 4° Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel e 7° Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel. Anais... Lavras: UFLA, 2010. v.1.

SILVA, A.E.; SILVA, L.H.M.; PENA, R.S. Comportamento higroscópico do açaí e cupuaçu em pó. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.28, n.4, p.895-901. 2008. doi

SOUSA, K.A. RESENDE, O.; COSTA, L.M. Isotermas de dessorção das sementes de nabo forrageiro obtidas pelos métodos dinâmico e estático. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.17, n.2, p.216-222, 2013. doi

SOUZA, A.D.V.; FÁVARO, S.P.; ÍTAVO, L.C.V.; ROSCOE, R. Caracterização química de sementes e tortas de pinhão manso, nabo forrageiro e crambe. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.44, n.10, p.1328-1335, 2009. doi

TOLABA, M.P.; PELTZER, M.; ENRIQUEZ, N.; POLLIO, M.L. Grain sorption equilibria of quinoa grains. Journal of Food Engineering, v.61, n.3, p.365-371, 2004. doi

WANG, N.; BRENNAN, J.G. Moisture sorption isotherm characteristics of potato at four temperatures. Journal of Food Engineering, v.14, n.1, p.269-287, 1991. doi