crosscheckdeposited

Otimização de Custos do Transporte Público Urbano: Comprar ou Vender Um Ônibus Usado?


http://www.revistas.uneb.br/index.php/financ/index 

downloadpdf

Ana P. R. Costa1, Valcemiro Nossa2, Arilda M. C. Teixeira3 & Aridelmo J. C. Teixeira4

   

Resumo: Embora a discussão sobre a mobilidade urbana envolva as modalidades de transporte de massa, a maioria das cidades ainda se valem das frotas de ônibus. Esta pesquisa objetiva apresentar um modelo que propõe identificar o momento que poderá ser exercida a opção de vender ou comprar um veículo usado da frota de ônibus do sistema de transporte público urbano, por meio da aplicação da Teoria de Opções Reais (TOR). Pesquisas apontam que quando o veículo é novo os custos de manutenção são baixos, cobrindo basicamente as revisões de rotina e a substituição de componentes, porém depois de certa idade, esses custos vão aumentando. Neste sentido uma dúvida que sempre surge é decidir o momento adequado para adquirir ou se desfazer de um veículo usado. A teoria utilizada neste estudo, a TOR, foca no Modelo Binomial em Tempo Discreto. Metodologicamente, o estudo foi desenvolvido com dados reais de um caso específico de frota de ônibus que serviu de suporte para a construção e teste do modelo proposto e apoiou-se em dados de uma empresa de ônibus tradicional do Espírito Santo. O modelo proposto é validado por meio de exemplo numérico que identifica o momento para a tomada de decisão. No caso em estudo o modelo apresentou o momento da opção a partir do final do segundo ano de uso do ônibus. A metodologia aplicada e os resultados encontrados despertam para a necessidade dos gestores terem informações decorrentes dos dados das frotas e poderem tomar decisões mais seguras, especialmente o momento “ideal” para substituição da frota. Para o poder público, estudos dessa natureza podem gerar subsídios à elaboração de normativos pelas agências reguladoras com vistas ao atendimento pelas concessionárias e de parcerias público-privado.Custo de manutenção. Substituição de frota. Teoria das opções reais. Transporte público urbano.Accruals, Competição, Retornos de Ações, Mercado de Capitais.

Palavras-chave: Custo de manutenção. Substituição de frota. Teoria das opções reais. Transporte público urbano.

 

Abstract: Although the discussion on urban mobility involves the mass transportation modalities, most cities still trust on bus fleets. This research aims to present a model that proposes to identify the moment that may be made the option to sell or buy a used vehicle from the fleet of buses of urban public transport system, through the application of Real Options Theory (TOR). Research indicates that when the vehicle is new maintenance costs are low, basically covering the routine reviews and component replacement, but after a certain age, these costs grow. In this sense a question that always arises is to decide the appropriate time to acquire or dispose of a used vehicle. The theory used in this study, TOR, focuses on the Binomial Model in Discrete Time. Methodologically, the study was carried out with real data of a particular case of the bus fleet that served as support for the construction and testing of the proposed model and relied on data from a traditional bus company of the Espirito Santo state. The proposed model is validated through a numerical example that identifies the time for decision making. In the case study, the model showed the time of the option as of the end of the second year of use of the bus. The methodology and the results awaken to the need for managers to have information resulting data fleets and can make safe decisions, especially the "ideal" time for fleet replacement. For the government, this kind of studies can generate data drafting normative regulatory agencies in order to meet the dealers and public-private partnerships.

Key words: Cost of maintenance. Replacement fleet. Theory of real options. Urban public transport.

 

1 Mestra em Ciências Contábeis (FUCAPE) Professora do Centro Universitário do Espírito Santo (UNESC) Email: anapcontabil@gmail.com
2 Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq Doutor em Controladoria e Contabilidade (USP) Professor da Fucape Business Scholl (FUCAPE) Endereço: Av. Fernando Ferrari, 1358 – Boa Vista 29.075-505 Vitória/ES, Brasil Email: valcemiro@fucape.br
3 Doutora em Economia da Industria e da Tecnologia (UFRJ) Professora da Fucape Business Scholl (FUCAPE) Endereço: Av. Fernando Ferrari, 1358 – Boa Vista 29.075-505 Vitória/ES, Brasil Email: arilda@fucape.br
4 Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq Doutor em Controladoria e Contabilidade (USP) Professor da Fucape Business Scholl (FUCAPE) Endereço: Av. Fernando Ferrari, 1358 – Boa Vista 29.075-505 Vitória/ES, Brasil Email: aridelmo@fucape.br

 

Literatura Citada

ARAGÃO, J. J. G. de; FIGUEIREDO, A. dos S. Produtividade e qualidade em empresas de transporte coletivo urbano. Revista dos Transportes Públicos – ANTP, São Paulo, 15, p. 63- 82, 1º trimestre 1993.

BLACK, F.; SHOLES, M. The pricing of option and corporate liabilities. Journal of Political Economy, v. 81, May-June, 1973.

BRANDÃO, L.; CURY, M. Modelagem híbrida para concessões rodoviárias com o uso dateoria das opções reais: o caso da Rodovia BR-163. Revista Eletrônica de Gestão 7Organizacional, v. 4, n. 2, mai/ago, 2006.

BRASIL, H. G. et al. Opções reais conceitos e aplicações a empresas e negócios. São Paulo: Atlas, 2007.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília, Publicada em 05 de outubro de 1988. Disponível em: <http:// www.planalto.gov.br>. Acesso em: 28 dez. 2008.

BRASIL. Presidência da República Casa Civil. Lei n. 8.987, de 13 de fevereiro de 1995. Brasília, Ano. Dispõe sobre o regime de concessão e permissão da prestação de serviços públicos previsto no art. 175 da Constituição Federal, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL>. Acesso em: 30 nov. 2009.

BREALEY, R. A.; MYERS, S. C. Princípios de finanças empresariais. Portugal: McGraw- Hill, 1998.

BRINCO, R. Mobilidade urbana e transporte público: Mobilidade urbana e transporte público: sobre a oportunidade sobre a oportunidade sobre a oportunidade de implantação de sistemas metroviários. Indicadores Econômicos FEE. v. 40, n.1, p. 105-116, 2012.

CAMPOS, Fernando Celso de; BELHOT, Renato Vairo. Gestão de manutenção de frotas de veículos: uma revisão. Gestão & Produção, v. 1, n. 2, p. 171-188, ago. 1994.

COMPANHIA DE TRANSPORTES URBANOS DA GRANDE VITÓRIA. Norma Complementar nº 004, de 18 de dezembro de 2008. Vitória, 2008. Dispõe sobre a idade média e os critérios para avanço nas faixas etárias de veículos da frota do Sistema de Transporte.Coletivo Urbano de Passageiros sob gerenciamento da CETURB-GV, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.ceturb.es.gov.br>. Acesso em: 28 dez. 2008.

COMPANHIA DE TRANSPORTES URBANOS DA GRANDE VITÓRIA. Ônibus: Dados Operacionais. Disponível em: <http://www.ceturb.es.gov.br>. Acesso em: 28 dez. 2008.

COPELAND, T.; ANTIKAROV, V. Opções reais: um novo paradigma para reinventar a avaliação de investimentos. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

COX, J.; ROSS, S.; RUBINSTEIN, M. Option Pricing: a simplified approach. Journal of Financial Economics, p. 229-264, oct., 1979.

DIXIT, A. K.; PINDYCK, R. S., Investment under uncertainly. Princeton: Princeton University Press, 1994.

ESPÍRITO SANTO (Estado). Constituição (1998). Constituição [do] Estado do Espírito Santo, data de publicação em 05 de outubro de 1989. Vitória/ES, 2003: Assembleia Legislativa Estadual. Disponível em: <http://www.sefaz.es.gov.br>. Acesso em: 28 dez. 2008.

______. Lei Complementar nº 58, de 21 de fevereiro de 1985. Vitória/ES, Ano 2008. Dispõe sobre a institucionalização da Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV). Disponível 7em: <http://www.ijsn.es.gov.br>. Acesso em: 20 fev. 2009.

______. Lei nº 3.693, de 6 de dezembro de 1984. Vitória/ES, Ano 2008. Dispõe sobre a institucionalização do Sistema de Transportes Urbanos da Aglomeração Urbana da Grande Vitória, componente do Sistema Nacional de Transportes Urbanos. Disponível em: <http://www.ceturb.es.gov.br>. Acesso em: 28 dez.2008.

______. Lei nº 4.243, de 5 de julho de 1984. Vitória/ES, Ano 2008. Dispõe sobre a criação como integrante da estrutura organizacional da Coordenação Estadual do Planejamento, o Conselho Tarifário da Grande Vitória (COTAR) e alterado pela Lei Estadual nº 6.061 de 28/12/1999. Disponível em: <http://www.ceturb.es.gov.br>. Acesso em: 28 dez. 2008.

FELDENS, A.G.F. 2006. Sistemática para desenvolvimento de políticas de substituição de frotas de ônibus para transporte público urbano: uma abordagem multicritério. Porto Alegre, RS. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul,140 p.

FELDENS, A. G.; MÜLLER, C. J.; FILOMENA, T. P.; KLIEMANN Neto, F. J.; CASTRO, A. S. e ANZANELLO, M. J. (2010) Política para Avaliação e Substituição de Frota por Meio da Adoção de Modelo Multicritério. ABCustos Associação Brasileira de Custos, v. 5, n. 1, p. 1-27, 2010.

FENG, W., FIGLIOZZI, M.A.. Bus fleet type and age replacement optimization: a case study utilizing king county metro fleet data. In: Proceedings of the 12th Conference on Advanced Systems for Public Transport. Santiago, Chile, 2012.

FIPE - FUNDAÇÃO INSTITUTO PESQUISA ECONÔMICAS; 2010. Disponível em: < http://www.webtrucks.com.br/index.php?p=avaliar_usado>. Acesso em: 20 jun. 2010.

FREITAS, M. J. de S.; RESENDE FILHO, N. de S. Custos de manutenção: competência e racionalidade na gestão de recursos objetivando maior competitividade. Revista do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, Parte integrante da edição 126, p. 18-29, set. 2006.

GUIMARÃES NETO, M. Q. Parceria público-privada como solução de mobilidade urbana: o caso do metrô/BH. In: CONGRESSO CONSAD DE GESTÃO PÚBLICA, 3, Anais... Brasília, 2010.

HARTMAN, J. C.; KELES, P. Case Study: Bus Fleet Replacement. Publishead in The Engineering Economist, v. 49, n. 3, p. 253-278, set. 2004.

MAGALHÃES, M. de L. Estudo dos impactos da diferenciação tarifária no sistema integrado de transporte urbano de Goiânia. 2001.167 f. Dissertação (Mestrado em Transportes) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental, Faculdade de Tecnologia da Universidade de Brasília, Brasília/DF, jul.2001.

MARCORIN, Wilson Roberto, LIMA, Carlos Roberto Camello. Análise dos Custos de Manutenção e de Não-manutenção de Equipamentos Produtivos. Revista de Ciência & Tecnologia, v.11, n. 22, p.35-42, 2003.

MEIRELLES, H. L. Direito administrativo brasileiro. 25. ed. São Paulo: Malheiros, 2000.

MISHRA, Sabyasachee; SHARMA, Sushant; KHASNABIS, Snehamay; MATHEW, Tom V., Preserving an aging transit fleet: An optimal resource allocation perspective based on service life and constrained budget. Transportation Research Part A, v. 47, p.11–123, 2013.

MURTY, A. S. R.; NAIKAN, V. N. A. Availability and Maintenance Cost Optimization of aProducrion Plant. International journal of quality & Reability Management, Cambridge, v. 12, n. 2, p. 28-35, 1995.

PERES, Carlos Roberto Coelho; LIMA, Gilson Brito Alves. Proposta de modelo para controle de custos de manutenção com enfoque na aplicação de indicadores balanceados. Gest. Prod., São Carlos, v. 15, n. 1, p. 149-158, jan.-abr. 2008

PREREIRA, J.R.S. Transporte público de massa como estruturador do espaço urbano: análise sobre o TransMilenio de Bogotá. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 14. Anais... Rio de Janeiro, RJ, 2011.

SMITH, V. L. Economic Equipment Policies: an Evaluation. Management Science, v. 4, n. 1, p. 20-37, Oct. 1957.

TRIGEORGIS, L. Real Options: Managerial Flexibility and Strategy in Resource Allocation. Cambridge, MA: MIT Press, 1996.

VALENTE, A. M. et al.,. Gerenciamento de transporte e frotas. 2. ed. São Paulo: Pioneira Thompson, 2003.

ZAMBUJAL-OLIVEIRA, João; DUQUE, João. Operational asset replacement strategy: A real options approach. European Journal of Operational Research, v. 210, p. 318–325, 2011.