Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Economic and Financial Performance: Ranking Credit Picsos in Southern Brazil

DOI: http://dx.doi.org/10.18028/2238-5320/rgfc.v5n2p54-70

http://www.revistas.uneb.br/index.php/financ/index 

downloadpdf

Mara Vogt1, Fábio J. Diel2, Larissa Degenhart3, Elisandra H. Diel4 & Fabricia S. Rosa5

    

Abstract: This study seeks to gauge the economic and financial performance of credit Public Interest Civil Society Organizations (PICSO) in Southern Brazil, establishing a ranking of the same. The research methods employed are characterized as descriptive and documentary, with a quantitative approach to data analysis. A study was carried out on microcredit PICSOs in the region, generating a sample composed of 22 such organizations during the 2012 year. The MOORA method was applied for data analysis. The results show that Credioeste attained first place in the ranking of organizational efficiency, while also last place in terms of the indicator Return on Equity (ROE), with a distance-to-zero index of 0.53. Garantioste scored zero in the Return on Assets (ROA) and Financial Dependence indicators, or, rather, the organization displayed the best results, in those regards, of the entities analyzed. In respect to the financial health of the PICSOs under analysis, the study showed that six of them are troubled (i.e. reporting net losses), smaller in size than the other organizations in the sample and, beside this, beset by liquidity problems.

Key words: Credit PICSO; Ranking; Economic and Financial Performance.

 

Resumo: O estudo tem por objetivo verificar qual a eficiência econômico-financeira e o ranking das Organizações de Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) de crédito do Sul do Brasil. A pesquisa caracteriza-se como descritiva, documental, com abordagem quantitativa. Foi realizado um estudo com as OSCIPs de microcrédito dessa região, sendo que a amostra do estudo compreendeu 22 OSCIPs no ano de 2012. Para a análise dos dados foi adotado o método MOORA. Os resultados apresentam que a Credioeste obteve o primeiro lugar do ranking em relação à eficiência das organizações e pior resultado no indicador de ROE, com índice de 0,53 de distância para zero. Já a OSCIP Garantioeste obteve índice zero nos indicadores de ROA e Dependência Financeira, ou seja, a OSCIP apresentou o melhor resultado nesses indicadores dentre as entidades analisadas. Quanto à situação financeira das OSCIPs, verificou-se que seis das entidades analisadas apresentam dificuldades, com resultado negativo, menor que as demais entidades analisadas no exercício e, além disso, evidenciam dificuldades de liquidez.

Palavras-chave: OSCIPs de Crédito; Ranking; Eficiência Econômico-Financeira

 

1 Mestranda em Ciências Contábeis (FURB) Email: maravogtcco@gmail.com
2 Mestre em Ciências Contábeis (FURB) Professor da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ) Email: f_diel@hotmail.com
3 Mestranda em Ciências Contábeis (FURB) Email: lari_ipo@hotmail.com
4 Mestra em Ciências Contábeis (FURB) Professora da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ) Email: hennelisandra@hotmail.com
5 Pós-Doutorado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Doutora em Engenharia de Produção (UFSC) Professora Adjunta da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Endereço: Campus Universitário – CSE Bloco F – Trindade 88.040-970 – Florianópolis/SC, Brasil Email: fabriciasrosa@hotmail.com

 

Literatura Citada

ALBUQUERQUE, L. S.; CAVALCANTE, P. R. N.; CARVALHO, J. R. M. Medição de desempenho empresarial em organizações da sociedade civil de interesse público (OSCIP): uma aplicação utilizando a análise multivariada. Qualit@s Revista Eletrônica, v.13, n. 2, 2012.

ALCOFORADO, F. C. G. OS e OSCIP: Uma análise da abrangência dos serviços públicos e do perfil das entidades parceiras em Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo. Revista ADM. MADE, v. 14, n. 3, p. 47-65, 2010.

ASSIS, M. S. D.; MELLO, G. R. D.; SLOMSKI, V. Transparência nas Entidades do Terceiro Setor: A demonstração do resultado econômico como instrumento de mensuração de desempenho. In: Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, 2006, São Paulo. Anais... São Paulo, 2006.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. 2009. Projeto Inclusão Financeira: Perspectivas e desafios para inclusão financeira no Brasil. Disponível em: <http://www.sisbacen.gov.br/Nor/Deorf/projincfin/livro_inclusao_financeira_internet.pdf#page=58> Acesso em: 26 Jan. 2014.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. 2011. Relatório de Economia Bancária e Crédito. Disponível em: <https://www.bcb.gov.br/pec/depep/spread/REBC_2011.pdf> Acesso em: 26 Jan. 2014.

BARONE, F. M.; SADER, E. Acesso ao crédito no Brasil: evolução e perspectivas. Revista de Administração Pú lica, v. 42, n. 6, p. 1249-1267, 2008.

BORIS, Elizabeth T.; LEON, Erwin de; ROEGER, Katie L.; NIKOLOVA, Milena. Contracts and grants between human service nonprofits and governments. Washington DC: Urban Institute Report, 2010.

BRASIL. Lei nº 9.790, de 23 de Março de 1999. Dispõe sobre a qualificação de pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público, institui e disciplina o Termo de Parceria, e dá outras providências. 1999. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9790.htm> Acesso em: 21 Nov. 2014.

BRAUERS, W. K. M. Multi-objective seaport planning by MOORA decision making. Annals of Operations Research, v. 206, p. 39-58, 2013.

BRAUERS, W. K. M.; ZAVADSKAS, E. K. The MOORA method and its application to privatizacion in a transition economy. Control and Cybernetics, v. 35, n. 2, p. 445-469, 2006.

BRIGHAM, E. F.; EHRHARDT, M. C. Administração Financeira: teoria e prática. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

CRUZ, J. A. W.; QUANDT, C. O.; MARTINS, T. S.; da SILVA, W. V. Performance no terceiro setor uma abordagem de Accountability: Estudo de caso em uma Organização Não Governamental Brasileira. Revista de Administração da UFSM, v. 3, n. 1, p. 58-75, 2010.

CHEVERTON, J. Holding Our Own: Value and Performance in Nonprofit Organisations. Australian Journal of Social Issues (Australian Council of Social Service), v. 42, n. 3, p. 427-437, 2007.

CRUZ, J. A. W.; STADLER, H.; MARTINS, T. S.; ROCHA, D. T. da. Avaliação de desempenho no terceiro setor: uma abordagem teórica de strategic accounts. REBRAE. Revista Brasileira de Estratégia, Curitiba, v. 2, n. 1, p. 11-26, 2009.

DELGADO, M. V. M. O terceiro setor no Brasil: uma visão histórica. Revista Espaço Acadêmico, n. 37, 2004.

EIKENBERRY, A. M.; KLUVER, J. D. The Marketization of the Nonprofit Sector: Civil Society at Risk?. Public Administration Review, v. 64, p. 132–140, 2004.

GADAKH, V. S.; SHINDE, V. B.; KHEMNAR, N. S. Optimization of welding process parameters using MOORA method. The International Journal of Advandec Manufacturing Thecnology. v. 69, p. 2031-2039, 2013.

GIDRON, B. Promoting civil society in Third Sector organizations through participatory management patterns. European Management Journal, v. 28, n. 6, p. 403-412, 2010.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1996.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

HERLIN, H.; PAZIRANDEH, A. Nonprofit organizations shaping the market of supplies. International Journal of Production Economics, v. 139, n. 2, p. 411-421, 2012.

HUDSON, M. Administrando organizações do terceiro setor. São Paulo: Makron Books, 1999.

HUDSON, M. Administrando organizações do terceiro setor: o desafio de administrar sem receita. São Paulo: Makron Books, 2004.

IUDÍCIBUS, S. Análise de Balanços. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2007. Portal do Ministério da Justiça. CNEs Público – Consulta de Entidades. 2014. Disponível em: <http://portal.mj.gov.br/main.asp?View={AFE5E30D-EE44-4EC7-B535-10F6F53FC483}> Acesso em: 25 Abr. 2014. 

LUKE, B.; BARRAKET, J.; EVERSOLE, R. Measurement as legitimacy versus legitimacy of measures-Performance evaluation of social enterprise. Qualitative Research in Accounting & Management, v. 10, n. 3, p. 234-258, 2013.

MACEDO, M. A. S.; SANTOS, R. M.; SILVA, F. F. Desempenho organizacional no setor bancário brasileiro: Uma aplicação da análise envoltória de dados. Revista de Administração Mackenzie, v. 7, p. 11-44, 2006.

MAÑAS, A. V.; MEDEIROS, E. E. Terceiro Setor: Um estudo sobre a sua importância no processo de desenvolvimento sócio – econômico. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 2, n. 2, p. 15-29, 2012.

MATIAS, A. B.; SIQUEIRA, J. O. Risco Bancário: modelo de previsão de insolvência de bancos no Brasil. Revista de Administração, v. 31, n. 2, p. 19-28, 1996.

MOXHAM, C. Performance measurement: Examining the applicability of the existing body of knowledge to nonprofit organizations. International Journal of Operations & Production Management, v. 29, n. 7, p. 740–763, 2009.

PAULA, Cleberson Luiz Santos de; BRASIL, Haroldo Guimarães; MÁRIO, Poueri do Carmo. Mensuração do Retorno Social de Organizações sem fins lucrativos por meio do SROI – Social Return On Investiment. Revista de Contabilidade Vista & Revista, v. 20, n. 3, p. 127-155, 2011.

PEREIRA, H. K. S.; OLIVEIRA, M. C.; PONTE, V. M. R. Informações para prestação de contas e avaliação de desempenho de OSCIPS que operam com microcrédito: um estudo multicaso. BBR-Brazilian Business Review, v. 4, n. 3, p. 55-71, 2007.

REIMANN, K. D. A view from the top: International politics, norms and the worldwide growth of NGOs. International Studies Quarterly, v. 50, n. 1, p. 45-68, 2006.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SALAMON, L. M.; ANHEIER, H. K. Measuring the non-profit sector cross-nationally: a comparative methodology. Voluntas: International Journal of Voluntary and Nonprofit Organizations, v. 4, n. 4, p. 530-554, 1994.

SALAMON, L. M.; ANHEIER, H. K. Defining the nonprofit sector: A cross-national analysis. Manchester University Press, 1997.

SALAMON, L. M.; ANHEIER, H. K. Social origins of civil society: Explaining the nonprofit sector cross-nationally. Voluntas: International Journal of Voluntary and Nonprofit Organizations, v. 9, n. 3, p. 213-248, 1998.

SALAMON, L. M. The nonprofit sector at a crossroads: The case of America. Voluntas: International Journal of Voluntary and Nonprofit Organizations, v. 10, n. 1, p. 5-23, 1999.

SILVA, A. A. Estrutura, análise e interpretação das demonstrações contábeis. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

SILVA, A. C. M. da.; BARBOSA JÚNIOR, A. S.; CAVALCANTI, R. F. V.; SOUZA, I. G. de A.; BARBOSA, E. J. P. Medição de Desempenho em Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público OSCIP: Uma Aplicação do Modelo Conceitual de Gestão Econômica GECON. In: X Congresso Brasileiro de Custos, Guarapari - ES, Anais... Guarapari, 2003.

SILVA, C. E. G. Gestão, legislação e fontes de recursos no terceiro setor brasileiro: uma perspectiva histórica. Revista de Administração Pública, v. 44, n 6, p. 1301-1325, 2010.

SILVA, T. L. da.; OLIVEIRA, M. C.; ARAÚJO, O. C.; BUGARIM, M. C. C. Etapas e dificuldades de elaboração do Balanço Social de organizações não governamentais: um estudo de caso. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v. 5, n. 1, p. 1-20, 2011.

SOARES, M. M.; SOBRINHO, A. D. M. Microfinanças: O Papel do Banco Central do Brasil e a Importância do Cooperativismo de Crédito. Brasília: BCB, 2. Ed, 2008.

WOLCH, J. Decentering America's nonprofit sector: Reflections on Salamon's crises analysis. Voluntas: International Journal of Voluntary and Nonprofit Organizations, v. 10, n. 1, p. 25-35, 1999.