Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Unidades de Planejamento: Uma Proposta para o Estado do Piauí com Base na Dimensão Diversidade de Ecossistemas

DOI: http://dx.doi.org/10.18029/1809-0109/pace.n18p1-28

http://conservacaodeecossistemas.blogspot.com.br/ 

downloadpdf

Antonio A. J. F. Castro1

 

Resumo: O trabalho consiste em mostrar que a diversidade biológica, como dimensão, é necessária para se pensar em um desenvolvimento sustentável, que seja socialmente mais justo, ecologicamente mais prudente e economicamente mais eficiente. A partir desta premissa, apresentam-se algumas das abordagens que podem ser feitas, associadas com os conceitos e os tipos de Bioma ou Grandes Ecossistemas característicos do estado do Piauí. A proposta de delimitação de unidades de planejamento toma como base, portanto, a diversidade de ecossistemas, a partir de mapas temáticos e dados até então disponíveis. A sobreposição municípios/ecossistemas nessas unidades deverá ser amplamente pactuada, e em alguns casos, deverá depender de zoneamentos ecológico-econômicos municipais. Para efeitos iniciais, a Caatinga envolveria 63 (28,4%) municípios com uma ocupação de área de cerca de 52.664km2, o Cerrado envolveria 27 (12,2%) municípios associado a uma área de cerca de 50.150km2, a Mata de Babaçu envolveria 30 (13,5%) municípios e uma área de 21.636km2, os Ecótonos (Áreas de Transição ou Áreas de Tensão Ecológica) envolveriam 93 (41,9%) municípios com uma ocupação de cerca de 123.553km2, dos quais 60 municípios seriam Setentrionais e 30, Meridionais. A vegetação do Litoral, por sua vez, envolveria 9 (4,1%) municípios e uma área de 5.032km2.

Palavras-chave: Unidades de Planejamento; Grandes Ecossistemas; Biomas; Pacto Social; Zoneamento Ecológico-Econômico; Estado do Piauí.

 

1 Professor Associado do Departamento de Biologia do Centro de Ciências da Natureza da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Docente do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente (Subprograma PRODEMA/UFPI/TROPEN). Av. Universitária, 1310. Campus da Ininga. 64049 550, Teresina, Piauí, Brasil. Fone:Fax: +55 (0++86) 3215.5504. E-Mail: albertojorge@ufpi.br.

 

Literatura Citada

ARENS, K. 1958. Considerações sobre as causas do xeromorfismo foliar. Botânica 15, 25-56.

CASTRO, A.A.J.F. 1994. Comparação florístico-geográfica (Brasil) e fitossociológica (Piauí - São Paulo) de amostras de cerrado. Campinas: UNICAMP. 520p.

CASTRO, A.A.J.F. Survey of the vegetation in the state of Piauí. In: GAISER, T.; KROL, M.; FRISCHKORN, H.; ARAÚJO, J.C. (eds.). Global change and regional impacts: water availability of ecosystems and society in the semiarid northeast of Brazil. Berlin: Springer, 2003. p.117-123.

CASTRO, A.A.J.F., MARTINS, F.R. Cerrados do Brasil e do Nordeste: caracterização, área de ocupação e considerações sobre a sua fitodiversidade. Pesq. Foco 9, 147-178, 1999.

CASTRO, A.A.J.F., MARTINS, F.R., FERNANDES, A.G. The woody flora of cerrado vegetation in the state of Piauí, northeastern Brazil. Edinb. J. Bot. 3, 455-472, 1998.

CEPRO. Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí. Zoneamento ecológico do babaçu no estado do Piauí. Teresina: CEPRO, 1980. (Convênio SUDENE/SIC). (1 mapa: 1:500.000). 47p.

CEPRO. Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí. Atlas do estado do Piauí. Teresina: CEPRO/IBGE, 1990.

CEPRO. Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí. Cerrados piauienses; estudo preliminar de suas potencialidades. Teresina: CEPRO, 1992a.

CEPRO. Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí. Perfil dos municípios piauiensis. Teresina: CEPRO, 1992b. 490p.

CEPRO. Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí. Macrozoneamento costeiro do estado do Piauí; relatório geoambiental e sócio-econômico. Teresina: CEPRO, 1996.

EITEN, G. The cerrado vegetation of Brazil. Bot. Review 2, 201-341, 1972.

EMPERAIRE, L. Delimitação e regionalização do Brasil semi-árido; relatório da área de vegetação. Teresina: UFPI, 1982. (Mimeografado).

EMPERAIRE, L. Végétation de l'État du Piauí (Brésil). C. R. Soc. Biogéogr. 4, 151-163, 1985.

FERNANDES, A.G. Vegetação do Piauí. In: CASTRO, A.A.J.F. (Coord.), Congresso Nacional de Botânica. 32, 1982. p.313-318.

FARIAS, R.R.S., CASTRO, A.A.J.F. Florística e fitossociologia de trechos de vegetação do Complexo de Campo Maior, Campo Maior, Piauí. Recife: UFPE/TROPEN, 2003. 119p.

FERRI, M.G. Evolução do conceito de xerofitismo. Botânica 19, 101-114, 1963.

GOMES, J.M.A. & CARVALHO, F.P.A. Qualidade de vida no semi-árido piauiense. Teresina: TROPEN/UFPI, 2002. 98p. (Relatório de Projeto de Pesquisa). (Mimeografado).

GOMES, J.M.A. & SILVA FILHO, J.S. Desenvolvimento humano, renda, pobreza e meio ambiente na bacia hidrográfica do rio Guaribas. Teresina: TROPEN/UFPI, 2002. 103p. (Relatório de Projeto de Pesquisa). (Mimeografado).

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades e vilas do Piauí. Teresina: IBGE, 1996. (Mimeografado).

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Macrozoneamento geoambiental da bacia hidrográfica do rio Parnaíba. Rio de Janeiro: IBGE, 1996. 111p. (Série Estudos e Pesquisas em Geociências, 4). MMA. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável. Zoneamento ecológico-econômico do baixo rio Parnaíba: subsídios técnicos; relatório final. Brasília: MMA/SDS, 2002. 92p.

MENDES, M.R.A., CASTRO, A.A.J.F. Florística e fitossociologia de um fragmento de caatinga arbórea, São José do Piauí, Piauí. Recife: UFPE/TROPEN, 2003. 111p. (No prelo).

PROJETO de Delimitação e Regionalização do Brasil Semi-Árido. Mapa de vegetação do estado do Piauí. (1 mapa). Teresina: UFPI, 1982. (Mimeografado).

THORNTHWAITE, C.W., MATHER, J.R. The water balance. Publication of Climatology 1, 1-104, 1955.

VELOSO, H.P., RANGEL FILHO, A.L.R., LIMA, J.C.A. Classificação da vegetação brasileira, adaptada a um sistema universal. Rio de Janeiro: IBGE, 1991. 123p.

WATANABE, S. (coord.). Glossário de ecologia. 2.ed. São Paulo: ACIESP/CNPq/FAPESP/SCT, 1997. 271p. (Publicação ACIESP, n.57).