crosscheckdeposited

Veículo Terrestre Não Tripulado como Equipamento de Proteção nos Levantamentos Topográficos em Áreas de Risco

DOI: http://dx.doi.org/10.18024/1519-5694/revuniandrade.v14n2p145-157

http://uniandrade.br/revistauniandrade/index.php/revistauniandrade/index 

downloadpdf

Raul M. P. Friedmann1, Leandra Ulbricht2 & Luis A. K. Veiga3

  

Resumo: Este estudo analisou a possibilidade de adaptar um sistema de levantamentos semiautônomo composto por uma estação total robotizada e um veículo terrestre não tripulado a fim de reduzir a presença humana sobre amontoados de rejeitos durante o processo de medição dos respectivos volumes. A área de levantamentos   topográficos abrange uma ampla variedade de métodos que podem ser empregados em diversos ambientes, entre eles, o controle dos riscos ocupacionais e dos agentes de risco inerentes a cada situação. A indústria de mineração gera, usualmente, grandes quantidades de rejeitos que são amontoados em áreas específicas antes da medição de volume, remoção e transporte para áreas de disposição final. Em geral, a medição do volume exige ocupar uma grande quantidade de pontos na superfície dos amontoados e dependendo da composição do minério, é recomendável minimizar ou mesmo eliminar a presença de trabalhadores sobre eles. No caso específico da mineração de chumbo, o caráter neurotóxico dos compostos ainda presente nos rejeitos, mesmo que em quantidades de traços, reforça a necessidade de proteção.

Palavras - Chave: Levantamentos topográficos; riscos ocupacionais; mineração; chumbo; estação total robotizada; veículo terrrestre não tripulado.

 

Abstract: This paper analyzes the possibility of adapting a semi-autonomous surveying system consisting of a robotic total station and an unmanned ground vehicle in order to reduce human presence on piles of tailings during the measurement process of the   respective volumes. Surveying covers a wide variety of methods that can be employed in various environments and occupational hazards control must consider the risk agents inherent in each situation. Usually, the mining industry generates large amounts of tailings that are stacked inspecific areas before volume measurement, removal and transportation to final disposal areas. In general, the volume measurement requires a large number of points on the mullock surfaces – and, depending on the composition of the ore, it is recommended to minimize or even eliminate the presence of workers over them. In the specific case of lead mining, the neurotoxic characteristic of lead compounds still present in the tailings, evenin trace quantities, reinforces the need for protection.

Key words: Surveying; occupation alhazards; mining; lead; robotic total station; unmanned ground vehicle

 

1 Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas – Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professor do Departamento Acadêmico de Eletrônica – Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) Câmpus Curitiba. E-mail: raul@utfpr.edu.br
2 Programa de Pós-Graduação em Engenharia Biomédica, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).
3 Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas – Universidade Federal do Paraná (UFPR).

 

Literatura Citada

Souza Porto MF. Análise de riscos nos locais de trabalho: conhecer para transformar. São Paulo: Instituto Nacional de Saúde no Trabalho; 2000.

Lara R. Saúde do trabalhador: considerações a partir da crítica da economia política. Revista Katálysis. 2011;14(1):78-85.

OIT. Organização Internacional do Trabalho. Perfil do Trabalho Decente no Brasil. Brasília, 2012.

Silva CE. Riscos ocupacionais que estão expostos profissionais de agrimensura na verificação de levantamentos topográficos em sistema de abastecimento de água e interceptor de esgoto [Relatório técnico]. Progrma de pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho. Faculdade de Engenharia de

Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

Moreira FR, Moreira JC. Os efeitos do chumbo sobre o organismo humano e seu significado para a saúde. Rev Panam Salud Publica. 2004;15(2):119–29.

Minozzo R, et al.Plumbemia em trabalhadores da industria de reciclagem de baterias automotivas da Grande Porto Alegre,RS.J Bras Patol Med Lab.2008;44(6):407-412.

Friedmann RMP. Sistema de levantamentos semi-autônomo empregando estação total robotizada e veículo terrestre não tripulado [Tese]. Setor de Ciências da Terra. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013.

Hodzic M. Day in History: Carl Benz and his double-pivot steering. Disponível em:<http://www.benzinsider.com/2008/02/day-in-history-carl-benz-and-his-doublepivot-steering/>. Acesso em: 25-abr-2013.

Durrant-Whyte H. A critica review of the state-of-the-art in autonomous land vehicles systems and technology. Albuqerque, California,2001. Disponível em:<http://prod.sandia.gov/techlib/access-control.cgi/2001/013685.pdf>. Acesso em: 01-out-2010.

Friedmann RMP. Fundamentos de Orientação, Cartografia e Navegação Terrestre. 3ª ed. Curitiba: UTFPR, 2009.

Veiga LAK. Topografia Automatizada [Monografia]. Universidade Federal do Paraná. Curso de Especialização em Geotecnologias, 2006.

Wolf PR, Dewitt BA. Elements of photogrameetry with applications in GIS. 3ª ed. New York: Mc Graw Hill, 2000.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 13133: execução de levantamento topográfico. Rio de Janeiro, 1994.

MTE. Ministério do Trabalho e Emprego. Normas Regulamentadoras de Segurança e Saúde no Trabalho. Brasil, 2013. Disponível em:<http://portal.mte.gov.br/legislacao/normas-regulamentadoras-1.htm>. Acesso em: 09-jun-2013.

Granemann DN. Nivelando a segurança: programa possibilita identificação antecipada de riscos em levantamentos topográficos. Revista Proteção, 2009: 76-79,

Granemann DN. Identificação e análise de riscos em levantamentos topográficos de barragens de usinas hidrelétricas: estudo de caso na UHE Salto Caxias. Boletim de Ciências Geodésicas, Curitiba, 2010: 16(4):609-22.

Ribas WK. Segurança do Trabalho nas atividades de topografia. Esteio Engenharia e Aerolevantamentos, 2007. Disponível em:<http://www.esteio.com.br/downloads/2007/dds.pdf>. Acesso em: 09-jun-2013.

DNPM. Departamento Nacional de Produção Mineral. Anuário Mineral Brasileiro 2006. Ministério de Minas e Energia, 2006.

Moreira MFR, Neves EB. Uso do chumbo em urina como indicador de exposição e sua relação com chumbo no sangue. Cadernos de Saúde Pública 2008;24:2151- 2159.