crosscheckdeposited

Percepção de Riscos sobre o Uso de Agrotóxicos no Município de Lucas do Rio Verde/MT

DOI: http://dx.doi.org/10.18024/1519-5694/revuniandrade.v16n2p59-72

http://uniandrade.br/revistauniandrade/index.php/revistauniandrade/index 

downloadpdf

Mariana S. da S. P. Belo1, Wanderlei A. Pignati2, Josino C. Moreira1 & Frederico Peres1

 

Resumo: O objetivo deste trabalho foi conhecer a percepção de risco dos moradores das áreas rural e urbana do município de Lucas do Rio Verde, MT, relacionada ao uso de agrotóxicos na agricultura local. Trata-se de um estudo descritivoexploratório, de caráter qualitativo. A análise de dados ocorreu por meio da avaliação de escalas psicométricas (questionários) e análise de conteúdo (entrevistas). Os principais problemas ambientais destacados pelos moradores das áreas rurais foram as condições de saneamento, enquanto no centro urbano o maior destaque foi atribuído à pulverização aérea por agrotóxicos, dados que podem estar relacionados tanto à possível influência da familiaridade que os moradores das áreas rurais têm com os agrotóxicos quanto à ocorrência de um acidente ambiental (“chuva de agrotóxicos”) em 2006, no centro urbano. Em relação à percepção de riscos à saúde, observou-se que, embora associem os agrotóxicos a problemas de saúde, os participantes do estudo (e, em particular, os moradores das áreas rurais) não acreditam que esses agentes químicos possam causar danos à saúde deles, caracterizando uma situação de negação de riscos. Ressalta-se, com o presente estudo, a importância de se conhecer os determinantes da percepção de riscos de populações residentes em áreas de intenso uso de agrotóxicos, como o polo produtor de soja do estado do Mato Grosso. Esperase que esses dados possam ser utilizados, sistematicamente, na construção de políticas educativas que priorizem uma comunicação de risco clara e eficaz, voltadas à promoção da saúde de populações expostas a agrotóxicos no país.

Palavras-chave: percepção de riscos, agrotóxicos, riscos ambientais, contaminação ambiental.

 

Abstract: This study aims to analyze risk perception among residents of Lucas do Rio Verde municipality, Mato Grosso State, Central Brazil, regarding the use of pesticides in the local agriculture. This is a qualitative, descriptiveexploratory study. Data analysis was performed through the evaluation of psychometric scales (questionnaires) and content analysis techniques (interviews). Results showed that residents of rural areas highlighted (lack of) sanitation as the most important environmental problem experienced, while in the urban center the aerial spraying of pesticide was the recurrent issue. This data can be related both to the possible influence of rural residents’ familiarity with pesticides and to the occurrence of an environmental accident ("pesticides rain") in 2006 in the urban center. Regarding health risks’ perception, it was observed that although associating pesticides to health problems, the study participants (and, in particular, residents of rural areas) do not believe that these chemicals can damage their health, which can be lately understood as a risk denial. It is noteworthy, in this study, the importance of understanding the determinants of risk perception among populations living in areas of intense use of pesticides, such as the soybean production triangle in Mato Grosso State. It is also expected that risk perception studies can be used, systematically, to subsidize the development of educational policies that prioritize risk communication and promote health among populations exposed to pesticides in the country.

Key words: risk perception, pesticides, environmental risks, environmental contamination.

 

1 Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
2 Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá, MT, Brasil. e-mail: mariana.belo@ensp.fiocruz.br

 

Literatura Citada

Portal Brasil. Agronegócio. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/sobre/economia/setores-da-economia/agronegocio>. Acesso em 05 fev 2014.

Operação para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Disponível em: < http://www.oecd.org/eco/outlook/48930900.pdf>. Acesso em 05 fev 2014.

Embrapa. Embrapa Soja. Disponível em: < https://www.embrapa.br/web/portal/soja/cultivos/soja1/dados-economicos >. Acesso em: 09 jun 2015.

Belo MSSP, Pignati W, Dores EFGC, Moreira JC, Peres F. Uso de agrotóxicos na produção de soja do Estado do Mato Grosso: um estudo preliminar de riscos ocupacionais e ambientais. Rev Bras Saúde Ocup. 2012; 37(125):78-88.

Araújo AJ, Lima JS, Moreira JC, Jacob SC, Soares MO, Monteiro MCM, Amaral AM, Kubota A, Meyer A, Cosenza CAN, Neves C, Markowitz S. Exposição múltipla a agrotóxicos e efeitos à saúde: estudo transversal em amostra de 102 trabalhadores rurais, Nova Friburgo, RJ. Ciência & Saúde Coletiva. 2007; 12(1):115-130.

Faria NMX. Modelo de desenvolvimento, agrotóxicos e saúde: prioridades para uma agenda de pesquisa e ação. Rev Bras Saúde Ocup. 2012; 37(125):31-39.

da Silva JM, Novato-Silva E, Faria HP, Pinheiro TM. Agrotóxico e trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador rural. Ciênc Saúde Coletiva. 2004; 10(4):891903.

Rodrigues, FAC. Ecogenotoxicologia dos agrotóxicos: avaliação comparativa entre ecossistema agrícola e área de proteção ambiental. (Tese de Doutorado). Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

Slovic P, Fischhoff B, Lichtenstein S. Why study risk perception?. Risk analysis. 1982; 2(2):83-93.

Peres F, Rozemberg B, de Lucca SR. Percepção de riscos no trabalho rural em uma região agrícola do Estado do Rio de Janeiro, Brasil: agrotóxicos, saúde e ambiente. Cad. Saúde Pública. 2005; 21(6):1836-1844.

Koren G, Bologa M, Long D, Feldman Y, Shear NH. Perception of teratogenic risk by pregnant women exposed to drugs and chemicals during the first trimester. Am J Obstetrics Gynec. 1989; 160(5):1190-1194.

Dalton P. Upper airway irritation, odor perception and health risk due to airborne chemicals. Toxicology letters. 2003; 140:239248.

Bord RJ, O'Connor RE. Determinants of risk perceptions of a hazardous waste site. Risk Analysis. 1992;12(3):411-416.

Slovic P. Perception of Risk. Science. 1987; 236:280-285.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dados básicos do município de Lucas do Rio Verde. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?codmun=510525#topo>. Acesso em 05 fev 2014.

Pignati WA, Machado JM, Cabral JF. Acidente rural ampliado: o caso das" chuvas" de agrotóxicos sobre a cidade de Lucas do Rio Verde-MT. Cien Saude Colet. 2007; 12(1):105114.

Moreira JC, et al. Contaminação de águas superficiais e de chuva por agrotóxicos em uma região do estado do Mato Grosso. Ciênc. saúde coletiva. 2012; 17(6):1557-1568.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento. São Paulo: Hucitec, 2010.

Minayo MCS, Assis SG, Souza ER (orgs.). Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

Machado P. Um avião contorna o pé de jatobá e a nuvem de agrotóxico pousa na cidade. Brasília: ANVISA-MS, 2008.

Benthin A, Slovic P, Severson H. A psychometric study of risk perception. Journal of Adolescence. 1993;16:153–168.

Fischhoff B, Slovic P, Lichtenstein S, Read S, Combs B. How safe is safe enough? A psychometric study of attitudes towards technological risks and benefits. Policy Sciences. 1978; 9:127-152.

Slovic P, Fischhoff B, Lichtenstein S. The psychometric study of risk perception. In Risk evaluation and management (pp. 3-24). Springer US; 1986.

Queirós M, Vaz T, Palma P. Uma reflexão a propósito do risco. 2006. Disponível em: <http://www.ceg.ul.pt/ERSTA/..%5CDescarga%5CERSTA%5CMQ_TV_PP.pdf>. Acesso em 05 fev 2014.

Bardin L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010.

Souza, L. Produção do espaço urbano na região do agronegócio. O caso de Lucas do Rio Verde no Mato Grosso. Disponível em: <http://www.chaourbano.com.br/visualizarArtigo.php?id=55>Acesso em 12 jun 2015.

Bartoszeck FK, Thielen IP. Conceitos precursores no entendimento da Percepção de Risco. Disponível em: <http://jcienciascognitivas.home.sapo.pt/1112_bartoszeck.html>. Acesso em 05 fev 2014.

Slovic P, Fischhoff B, Lichtenstein S. Facts and Fears: Understanding Perceived. 2000.

Song H, Schwarz N. If It's Difficult to Pronounce, It Must Be Risky Fluency, Familiarity, and Risk Perception. Psychological Science. 2009; 20(2):135-138.

Dejours C, Abdoucheli E, Jayet C, Betiol MIS. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. Atlas; 1994.

Coelho, MI, Leitão, S. O risco e as suas percepções: modos de produção e reprodução no sector da construção civil. Porto, Ed. Autor; 2007

Goodwin R, Takahashi M, Sun S, Gaines Jr SO. Modelling psychological responses to the great East Japan earthquake and nuclear incident. PloS one. 2012; 7(5).

Prefeitura de Lucas do Rio Verde. Disponível em: < http://www.lucasdorioverde.mt.gov.br/principal/pag_economia.php>Acesso em 12 jun 2015.

Fonseca MDGU. Percepção de risco: maneiras de pensar e agir no manejo do agrotóxico. (Tese de Doutorado). Centro de Pesquisas René Rachou, Minas Gerais; 2006.

Fonseca MDGU, Peres F, Firmo JOA, Uchôa E. Percepção de risco: maneiras de pensar e agir no manejo de agrotóxicos. Ciência e saúde coletiva. 2007; 12(1):39-50.

Gasparini MF, Vieira PF. A (in)visibilidade social da poluição por agrotóxicos nas práticas de rizicultura irrigada: síntese de um estudo de percepção de risco em comunidades sediadas na zona costeira de Santa Catarina. Desenvolvimento e Meio Ambiente. 2010;21(1).

Recena, MCP; Caldas, ED. Percepção de risco, atitudes e práticas no uso de agrotóxicos entre agricultores de Culturama, MS. Rev Saúde Pública. 2008; 42(2):294-301.

Peres F, de Lucca SR, da Ponte LMD, Rodrigues KM, Rozemberg B. Percepção das condições de trabalho em uma tradicional comunidade agrícola em Boa Esperança, Nova Friburgo. Cad. Saúde Pública. 2004; 20(4):10591068.

Gasparini MF, De Freitas CM. Trabalho rural, saúde e ambiente: as narrativas dos produtores de flor frente aos riscos socioambientais. Ambiente & Sociedade. 2013; 16(3):23-44.

Peres F. É veneno ou é remédio? Os desafios da comunicação rural sobre agrotóxicos (Dissertação de mestrado). Escola Nacional de Saúde Pública, Rio de Janeiro; 1999.

Brito PF, Gomide M, Câmara VM. Agrotóxicos e saúde: realidade e desafios para mudança de práticas na agricultura. Physis: Revista de Saúde Coletiva; 2009; 19(1):207-225.

Almussa A, Schmidt MLG. O contato com agrotóxicos e os possíveis agravos à saúde de trabalhadores rurais. Revista de Psicologia da UNESP. 2010; 8(2).

Almeida CVB, Adissi PJ. "Exposição à riscos de agrotóxicos: apenas uma falta de informação dos agricultores?. XXI Encontro Nacional de Engenharia de Produção–ENEGEP. Anais... Salvador, BA; 2001.