Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Conjugalidade e Expectativas em Relação à Parentalidade em Casais Homossexuais

DOI: http://dx.doi.org/10.15348/1980-6906/psicologia.v17n1p37-49

http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/index 

downloadpdf

Alexandre T. Meletti1 & Fabio S. Comin1

 

Resumo: O objetivo deste estudo foi compreender os processos de construção da conjugalidade e as expectativas em relação à parentalidade em casais homossexuais. Foram entrevistados quatro casais (quatro homens e quatro mulheres) que coabitavam havia quatro anos, em média. Utilizaram-se entrevistas semiestruturadas e a técnica da história de vida, audiogravadas e transcritas. A análise de conteúdo revelou três categorias: relação conjugal, constituição da família e expectativas quanto à adoção homoparental. Os casais entrevistados fundamentam e qualificam seus relacionamentos baseados nos sentimentos de amor, companheirismo, parceria, lealdade e fidelidade. Apresentam o desejo de ter filhos, reconhecendo a responsabilidade de tal escolha. Observa-se que atribuem à família a responsabilidade de uma instituição que deve cuidar de seus participantes, protegê-los e incentivá-los, sendo o arranjo homoafetivo comparado ao modelo tradicional e heteronormativo. Apesar do preconceito existente em relação às homossexualidades, mostram-se interessados no debate atual acerca dos direitos da população LGBT.

Palavras-chave: conjugalidade; homossexualidade; parentalidade; relações familiares; adoção.

 

Abstract: The aim of this study was to understand the processes of construction of the marital relationship and expectations about parenthood in same-sex couples. It has been interviewed four gay couples (four men and four women) who have been living together for four years, on average. Semi-structured interviews have been used and the technique of the life history has been also performed in an individual appliance. They have also been audio taped, fully and literally transcribed. The content analysis revealed three categories: marital relationship, family formation and expectations regarding the adoption by homosexual couples. The couples who have been interviewed founded and qualified their relationships based on feelings of: love, companionship, partnership, loyalty and fidelity. The couples have also claimed the desire to have children, recognizing the responsibility of such a choice. It is observed that these couples have given responsibility to the family as an institution that must take care, protect and encourage their participants, resulting the homosexual engage very much alike to the kind of arrangement of the traditional and heterosexual model. Despite the feature prejudice regarding homosexualities, they have shown interest in the current discussion on the rights of LGBT people.

Keywords: marital relationship; homosexuality; parenthood; family relationships; adoption

 

1 Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba – MG – Brasil. Departamento de Psicologia, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Avenida Getúlio Guaritá, 159, Abadia – Uberaba – MG – Brasil. CEP: 38025-440. E-mail: fabioscorsolini@gmail.com.

 

Literatura Citada

Benghozi, P. (2010). Malhagem, filiação e afiliação – psicanálise dos vínculos: casal, família, grupo, instituição e campo social (E. D. Galery, Trad.). São Paulo: Vetor.

Campos, D. C. (2012). Saudade da família no futuro ou o futuro sem família? In M. N. Baptista & M. L. M. Teodoro (Orgs.). Psicologia de família: teoria, avaliação e intervenção (pp. 74-86). Porto Alegre: Artmed.

Cecílio, M. S., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2013). Produção científica sobre adoção por casais homossexuais no contexto brasileiro. Estudos de Psicologia, 18(3), 507-516.

Dunker, C., & Kyrillos, F., Neto (2010). Curar a homossexualidade? A psicopatologia prática do DSM no Brasil. Revista Mal-Estar e Subjetividade, 10(2), 425-446.

Féres-Carneiro, T. (1997). A escolha amorosa e interação conjugal na heterossexualidade e na homossexualidade. Psicologia: Reflexão e Crítica, 10(2), 351-368.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2011). Censo contabiliza 60 mil casais gays; metade mora no Sudeste. Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: IBGE.

Johnson, S., & O’Connor, E. (2002). The gay baby boom: the psychology of gay parenthood. New York: New York University Press.

Kertzner, R. M. (2012). A mental health research perspective on marital rights and civil marriage for lesbians and gay men. Journal of Gay & Lesbian Mental Health, 16(2), 136-145.

Lomando, E. M., Wagner, A., & Gonçalves, J. S. (2011). Coesão, adaptabilidade e rede social no relacionamento conjugal homossexual. Psicologia: Teoria e Prática, 13(3), 95-109.

Markey, P., Markey, C., Nave, C., & August, K. (2014). Interpersonal problems and relationship quality: an examination of gay and lesbian romantic couples. Journal of Research in Personality, 51, 1-8.

Mitchell, J. W. (2014). Characteristics and allowed behaviors of gay male couples’ sexual agreements. Journal of Sex Research, 51(3), 316-328.

Moscheta, M., & Santos, M. A. (2006). Metáforas da vida a dois: sentidos do relacionamento conjugal produzidos por um casal homoafetivo. Revista Brasileira de Sexualidade Humana, 17, 217-232.

Prado, M. A. M., & Machado, F. V. (2008). Preconceito contra homossexualidades: a hierarquia da invisibilidade. São Paulo: Cortez.

Reczek, C., & Umberson, D. (2012). Gender, health behavior, and intimate relationships: lesbian, gay, and straight contexts. Social Science & Medicine, 74, 1783-1790.

Santos, Y. G. S., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2013). Homoparentalidade masculina: revisando a produção científica. Psicologia: Reflexão e Crítica, 26(3), 572-582.

Tomazela, J. M. (2011). Casal gay de SP adota 5 irmãos. O Estado de S. Paulo. Recuperado em 5 julho, 2011, de http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110702/not_imp739749,0.php.

Uziel, A. P. (2012). O melhor interesse da criança e o “mal menor”: quando os requerente s são gays. Scripta Nova, 16(395). Recuperado em 1º agosto, 2013, de http://www.ub.edu/geocrit/sn/sn-395/sn-395-3.htm.

Uziel, A. P., Mello, L., & Grossi, M. P. (2006). Conjugalidades e parentalidades de gays, lésbicas e transgêneros no Brasil. Estudos Feministas, 14(2), 481-487.

Vecho, O., & Schneider, B. (2005). Homoparentalité et développement de l’enfant: bilan de trente ans de publications. Psychiatrie de l’Enfant, 48(1), 271-328.

Zambrano, E. (2006). Parentalidades “impensáveis”: Pais/mães homossexuais, travestis e transexuais. Horizonte Antropológico, 26(12), 123-147.