crosscheckdeposited

Desertificação: Contextualização e Sensoriamento Remoto

DOI: http://dx.doi.org/10.18190/1980-8208/estudosgeologicos.v24n2p109-126

https://www.ufpe.br/estudosgeologicos/ 

downloadpdf

Admilson da P. Pacheco1, Abdoral de A. Lucas2, Bernardo B. Silva3 & Gorki Mariano4

 

Resumo:  A desertificação pode ser conceituada como o processo de degradação das terras das regiões áridas, semiáridas e sub-úmidas secas, resultante de diferentes fatores, entre eles as variações climáticas e as atividades humanas. No Brasil, a ocorrência dos processos de desertificação é observada, especialmente, em ambiente de caatinga do sertão nordestino, nas denominadas “Áreas Susceptíveis à Desertificação – ASD”, que apresentam altas taxas de evapotranspiração, solos de pouca profundidade e reduzida capacidade de retenção de água, o que limita conseqüentemente seu potencial produtivo. O Sensoriamento Remoto tem sido utilizado para examinar a natureza, tendência e quantificação do processo de desertificação em diferentes ambientes. A quantificação, avaliação de risco e monitoramento da desertificação pode ser realizada através de métodos que envolvem parâmetros físicos (albedo, temperatura, índices de vegetação), as componentes do balanço de energia e a evapotranspiração.

Palavras-chave: Desertificação, Caatinga, Sensoriamento Remoto, Parâmetros Físicos,

 

Abstract: Desertification can be defined as the process of land degradation in arid, semi-arid, and dry sub-humid areas as a result of various factors such as climatic variations and human activities. In Brazil, the occurrence of desertification processes is observed, especially in the caatinga environment of the northeastern hinterlands, in so-called “Susceptible to Desertification Areas – SDA”, which have high rates of evapotranspiration, shallow soils and low water holding capacity, therefore limiting their productive potential. Remote sensing has been used to examine the nature, trend and quantify the process of desertification in different environments. The quantification, risk assessment and monitoring of desertification can be accomplished by methods that involves physical parameters (albedo, temperature, vegetation indices), the components of energy balance and evapotranspiration.

Key words: desertification, caatinga, remote sensing, physical parameters

 

1 Departamento de Engenharia Cartográfica e Programa de Pós-graduação em Geociências – UFPE - pacheco3p@gmail.com;
2 Departamento de Geologia e Programa de Pós-graduação em Geociências – UFPE - abdoralucas@bol.com.br;
3 Departamento de Engenharia Civil, Programa de Pós-graduação em Eng. Civil – UFPE - bbdasilva.ufpe@gmail.com;
4 Departamento de Geologia e Programa de Pós-graduação em Geociências – UFPE – marianogorki@gmail.com;

 

Literatura Citada

Accioly, L. J. O., Costa, T. C. C., Oliveira, M. A. J., Silva, F. H. B. B;Burgos, N. 2002. O Papel do Sensoriamento Remoto na Avaliação e no Monitoramento dos Processos de Desertificação do Semiárido Brasileiro In: I Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto Aracaju/SE. Anais... Aracaju, 17 e 18 de outubro.

Albuquerque, U. P., Andrade, L. H. C. 2002. Conhecimento botânico tradicional e conservação em uma área de caatinga no estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil, Acta Bot. Bras, São Paulo, v. 16, n. 3, p.273-285.

Almeida Filho, R., Rosenqvist, A., Shimabukuro, Y.E., Gomez, R.S. 2006. Detecting deforestation with multitemporal L-band SAR imagery: a case study in western Brazilian Amazonia. International Journal of Remote Sensing, (in press).

Allen, R. G., Tasumi, M., Trezza, R. 2002. SEBAL (Surface Energy Balance Algorithms for Land) – Advanced Training and Users Manual – Idaho Implementation, version 1.0.

Andrade Lima, D de. 1954. Contribution to the study of the flora of Pernambuco. Monografia de bacharelado em Ciências Biológicas. Recife: Universidade Federal Rural de Pernambuco, p.154.

Arraes, F. D. D., Andrade, E. M. de; Silva, B. B. da. 2012. Dinâmica do balanço de energia sobre o açude de Orós e suas adjacências. Revista Caatinga (UFERSA. Impresso), v. 25, p.119-127.

Barbosa, M. P., Moraes Neto, J. M., Fernandes, M. F., Silva. 2007. Estudo da degradação de terras – município de Picos - PI. In: Simpósio de Sensoriamento Remoto, Florianópolis (2007). Anais São José dos Campos: INPE. p.4357-4363.

Barros, K.O., Faria, M.M., Almeida, C.C. 2008. A pesquisa em desertificação: cenários e perspectivas. Geografia, Ensino & Pesquisa, v.12, n.2, p.46-52.

Bastiaanssen, W. G. M. 1995. Regionalization of surface flux densities and moisture indicators in composite terrain. Ph.D. Thesis, Wageningen Agricultural University, Wageningen, Netherlands, p.237. http://dx.doi.org/10.1016/S0022-1694(98)00253-4

Bastiaanssen, W. G. M., Menenti, M., Feddes, R. A., et al., 1998a, “A remote sensing surface energy balance algorithm for land (SEBAL): 1. Formulation”, Journal of Hydrology, v. 212-213, p.198–212.

Bezerra, B. G.; Silva, B. B.; Ferreira, N. J. 2008. Estimativa da evapotranspiração real diária utilizando- se imagens digitais TM - Landsat 5. Revista Brasileira de Meteorologia, São Jose dos Campos, v. 23, n. 3, p.305-317.

Bezerra, J.M., Silva, P.C.M., Morais, C.T.S.L. 2011. Utilização de geotecnologias na determinação de áreas susceptíveis a desertificação no estado do Rio Grande do Norte. Revista Brasileira de Geografia Física, v.4, n.3, p.572-589.

Bisht, G., Venturini V., Islam, S., Jiang, L. 2005. Estimation of the net radiation using MODIS (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer) data for clear sky days. Remote Sensing of Environment, v.97, p.52–67. http://dx.doi.org/10.1016/j.rse.2005.03.014

Boegh, E., Soegaard, H., Thomsen, A. 2002. Evaluating evapotranspiration rates and surface conditions using Landsat TM to estimate atmospheric resistance and surface resistance. Remote Sensing of Environment, 79:329-343. http://dx.doi.org/10.1016/S0034-4257(01)00283-8

BRASIL. 2005. Ministério da Integração Nacional. Redelimitação do semiárido nordestino e do polígono das secas. Brasília, DF. 1 CD-ROM.

BRASIL. 2007. Ministério do Meio Ambiente. Atlas das áreas susceptíveis à desertificação do Brasil. Brasília, DF 134p. il.

Carvalho, C.M. 2007. Avaliação da desertificação no sudoeste do Estado do Piauí-Pi, através de técnicas de Sensoriamento Remoto. 100f. Dissertação (Mestrado). Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, SP.

Compaoré, H., Hendrickx, J. M., Hong, S., Friesen, J., Van de Giesen, N. C.; Rodgers, C. 2008. Evaporation mapping at two scales using optical imagery in the White Volta Basin, Upper East Ghana. Physics and Chemistry of the Earth, v.33, p.127-140. http://dx.doi.org/10.1016/j.pce.2007.04.021

Couralt, D., Seguim, B., Olioso, A 2003. Review to estimate Evapotranspiration from remote seusing data: save examples from the semplified relationship to the use mesoscale atmospheric models. ICID Workshop on Remote Sensing of ET for Large Regions, (17 Sept. 2003).

Dall’olmo, G. &. Karnieli, A. 2002. Monitoring phenological cycles of desert ecosystems using NDVI and LST data derived from NOAA-AVHRR imagery. International Journal of RemoteSensing, v. 23, nº. 19, p.4055– 4071. http://dx.doi.org/10.1080/01431160110115988

Diak,G.R., Mecikalski, J.R., Anderson, M.C., Norman, J.M., Kustas, W.P., Torn, R.D., Dewolf, R.L. 2004. Estimating land surface energy budgets from space: Review and current efforts at the University of Wisconsin – Madison and USDA – ARS. Bulletin of American Meteorological Society, January, p.65–78. http://dx.doi.org/10.1175/BAMS-85-1-65

Di Pace, F. T. 2008. Mapeamento do saldo de radiação com imagens Landsat 5 e modelo de elevação digital. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 12, n. 4, p.385- 392. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662008000400009

EMBRAPA. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. 2008. Levantamento florístico da reserva legal do Projeto Salitre, Juazeiro-BA. Petrolina, PE: p.22 (Embrapa Semiárido. Documentos, 209).

Figueirôa, J. M., Araújo, E. L., Pareyn, F. G. C., Cutler, D. F., Gasson, P., Lima, K. C., Santos, V. F. 2008. Variações sazonais na sobrevivência e produção de biomassa de Caesalpinia pyramidalis Tul. após o corte raso e implicações para o manejo da espécie. Rev. Árvore, Viçosa, v. 32, n.6, p.1041-1049.

Freire,N. C., Pacheco, A. P. 2011. Desertificação: Análise e Mapeamento. ED. Universitária da UFPE, v. 1, p.93.

García,M., Oyonarte, C., Villagarcía, L., Contreras, S., Domingo, F.; Puigdefábregas, J. 2008. Monitoring land degradation risk using ASTER data: The non-evaporative fraction as an indicator of ecosystem function. Remote Sensing of Environment, v. 112, p.3720–3736. http://dx.doi.org/10.1016/j.rse.2008.05.011

Giulietti,A.M., Harley, R.M., Queiroz, L.P., Barbosa, M.R.V., Bocage Neta, A.L., Figueiredo, M.A. 2002. Espécies endêmicas da Caatinga, p.103-119.

Gomes,A. P. S., Rodal, M,. J. N., Melo, A. L. 2006. Florística e fitogeografia da vegetação arbustiva subcaducifólia da Chapada de São José, Buíque, PE, Brasil, Acta bot. bras, São Paulo, v. 20, n. 1, p.37-48.

Gomes,H. F., Silva, B. B., Cavalcanti, E. P., Rocha, H. R. 2009. Balanço de Radiação de diferentes biomas no Estado de São Paulo Mediante Imagens Landsat 5. Geociências, v.28, p.153-164.

Herb, W. R., Janke, B., Mohseni, O., Stefan, H. G. 2008. Ground surface temperature simulation for different land covers. Journal of Hydrology, v.356, p.327-343. http://dx.doi.org/10.1016/j.jhydrol.2008.04.020

Hountondji, Y. C., Sokpon, N., Ozer, P. 2006. Analysis of the vegetation trends using low resolution remote sensing data in Burkina Faso (1982–1999) for the monitoring of desertification. International Journal of Remote Sensing. v. 27, n. 5, 10, p.871–884.

Irmak, A.2011. Estimation of Land Surface Evapotranspiration with a Satellite Remote Sensing Procedure. Nebraska: Spring. P.73-88.

Jackson,R. D.; Huete, A. R. 1991. Interpreting vegetation indices. Preventive Veterinary Medicine, v.11, n.3-4, p.185-200. http://dx.doi.org/10.1016/S0167-5877(05)80004-2

Julien, Y., Sobrino, J. A. 2009. The yearly land cover dynamics (YLCD) method: An analysis of global vegetation from NDVI and LST parameters. Remote Sensing of Environment, v.113, p.329- 334. http://dx.doi.org/10.1016/j.rse.2008.09.016

Julien, Y., Sobrino, J. A., Verhoef, W. 2006. Changes in land surface temperatures and NDVI values over Europe between 1982 and 1999. Remote Sensing of Environment, v.103, p.43-55.

Liu, C., Huete, A. 2003. From AVHRRNDVI to MODIS-EVI: Advances in vegetation index research. Acta Ecologica Sinica, v.23, n.5, p.979- 988. http://dx.doi.org/10.1016/j.rse.2006.06.012

Lopes, H. L. 2005. Modelagem de parâmetros biofísicos para avaliação de risco à Desertificação. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Pernambuco. Pernambuco, p.101.

Lopes, H. L., Candeias, A.L.B., Accioly, L. J. O. 2009. Modelagem de parâmetros biofísicos para desenvolvimento de algoritmo para avaliação e espacialização de risco à desertificação. Boletim de Ciências Geodésicas, v.15, n.4, p.652-668.

Liu, Y., Hiyama, T., Yamaguchi, Y. 2006. Scaling of land surface temperature using satellite data: A case examination on ASTER and MODIS products over a heterogeneous terrain area. Remote Sensing of Environment, v.105, p.115-128.

Lu, L., Li,X., Veroustraete, F. 2009. et al. Analyzing the forcing mechanisms for net primary productivity changes in the Heihe River Basin, north west China International Journal of Remote Sensing, London, v.30, n.3, p.793-816.

Matallo Junior., H. 2001. Indicadores de Desertificação: histórico e perspectivas. Cadernos da UNESCO Brasil, série Meio Ambiente e Desenvolvimento, v. 2. Brasília: Unesco.

Matallo Junior, Heitor. 2009. Glossário de Termos e Conceitos usados no Contexto da UNCCD. Brasília: MMA.

Melo, J. I.M., Andrade, W. M. 2007. Boraginaceae s.l. A. Juss. em uma área de Caatinga da ESEC Raso da Catarina, BA, Brasil, Acta Bot. Bras, São Paulo, v. 21, n. 2.

Mota, D. M., Silva, L.F., Duarte, P.A., Baptista, G. M. M., Santos, P.F. 2010. Validação do Modelo Espectral de Estimativa de Evapotranspiração de Nagler et. Al. (2005) nos Domínios Morfoclimáticos da Caatinga e do Cerrado no Oeste Baiano Brasileiro. In: VI Seminário Latino Americanode Geografia Física e II Seminário Ibero Americano de Geografia Física (2010), Coimbra. Actas. Departamento de Geografia da Universidade de Coimbra, v. 1. p.1-17.

Pacheco, A. P., Freire, N. C. F., Borges, U. N. 2006. A Trandisciplinaridade da Desertificação. Geografia Londrina. Vol. 15, Nº. 1.

Pegado, C.M. A., Andrade, L. A; Félix, L. P.; Pereira, I. M. 2006. Efeitos da invasão biológica de algaroba - Prosopis juliflora (Sw.) DC. sobre a composição e a estrutura do estrato arbustivo-arbóreo da caatinga no Município de Monteiro, PB, Brasil, Acta Bot. Brás, São Paulo, vol. 20, n. 4, p.887-898.

Queiroz, L.P. 2006. The Brazilian Caatinga: Phytogeographical Patterns Inferred from Distribution Data of the Leguminosae, pp. 121-157, in R.T. Pennington, G.P. Lewis & J.A. Ratter (eds.), Neotropical Savannas and Seasonally Dry Forests: Plant Diversity, Biogeography and Conservation. Systematics Association Special v. 6, p.484. http://dx.doi.org/10.1201/9781420004496.ch6

Rahman, H., Keramat, M. 2007. Study on the seasonal changes of land cover and their impact on surface albedo in the northwestern part of Bangladesh using remote sensing. International Journal of Remote Sensing, v. 28, nº. 5, 10, p.1001–1022.

Rodal, M. J.N., Sampaio, E. V. S. B. 2002. A vegetação do bioma caatinga. In: Sampaio, E. V. S. B.; Giulietti, A. M.; Virgínio, J.; Gamarra-Rojas, C. F. L. (Ed.). Vegetação e flora da caatinga. Recife: PNE/CNIP, p. 11-24.

Sá, I. B., Sá, I. I. da S., Silva, A. de S. 2006. Desertificação na região de Cabrobó-PE: a realidade vista do espaço. In: SIMPÓSIO REGIONAL DE GEOPROCESSAMENTO E SENSORIAMENTO REMOTO, 3., 2006, Aracaju. Anais... Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2006.

Sampaio, E. V. S. B., Sampaio, Y., Vital, T., Araújo, S. B., Sampaio, G. R. 2003. Desertificação no Brasil: conceitos, núcleos e tecnologias de recuperação e convivência. Recife: Editora Universitária da UFPE. p.85.

Santana, A. C. A. 2004. Caatinga: esquecimento e riqueza. Disponível em: www.planetaverde.org. Acesso em: 05 nov. 2012.

Silva, J. M.C. T., M. e Fonseca, M. T. 2004. Biodiversidade da Caatinga: áreas e ações prioritárias para a conservação. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente: Universidade Federal de Pernambuco.

Silva, B. B., Lopes, G. M. , Azevedo, P. V. de. 2005. Determinação do albedo de áreas irrigadas com base em imagens Landsat 5-TM.. Revista Brasileira de Agrometeorologia, Piracicaba, SP, v. 13, n. 2, p. 11-21.

Soares, D.B., Mota-Filho, F. O., Nóbrega, R. S., Oliveira, T. H. 2007. Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto como ferramentas de identificação de áreas em processo de desertificação. In: Galvíncio, J. D (org). Mudanças climáticas e impactos ambientais. Recife: Editora Universitária da UFPE. p.157.

Sousa, R. F. de. 2007. Terras agrícolas e o processo de desertificação em municípios do semiárido paraibano. p.180.: il. Tese (Doutorado Engenharia Agrícola) – Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Tecnologia e Recursos Naturais. Campina Grande.

Tasumi, M.,Allen, R. G., Trezza, R. 2008. At-Surface Reflectance and Albedo from Satellite for Operational Calculation of Land Surface Energy Balance. Journal of Hydrologic Engineering, v. 13, n. 2, p. 51-63. http://dx.doi.org/10.1061/(ASCE)1084-0699(2008)13:2(51)

Thornes, J.B. 2001. Vegetation cover as a control on the impact of global climate change at the regional and local scales: models and their data requirements. In: ENNE, G.; PETER, D.; POTTIER, D. (Eds.). Desertification Convention: data and information requirements for interdisciplinary research. European Commission, 374p.

UNITED NATIONS, 2001. Text of the United Nations Convention to Combat Desertification. Disponível em <http://www.unccd.int/convention/text/convention.php>. Acesso 25 de Abril de 2013.

Liu, C., Huete, A. 2003. From AVHRRNDVI to MODIS-EVI: Advances in vegetation index research. Acta Ecologica Sinica, v.23, n.5, p.979- 988.

Wu, J., Yaolin, L., Wang, J. 2010. Application of Hyperion data to land degradation mapping in the Hengshan region of China. InternationalJournal of Remote Sensing, v.31, n.19, p.5145-5161. http://dx.doi.org/10.1080/01431160903302940