Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Catálogo do Material-Tipo da Coleção Paleontológica do Departamento de Geologia, Centro de Tecnologia e Geociências da Universidade Federal de Pernambuco

DOI: http://dx.doi.org/10.18190/1980-8208/estudosgeologicos.v24n3p3-53

https://www.ufpe.br/estudosgeologicos/ 

downloadpdf

Alcina M. F. Barreto1, Edison V. Oliveira1, Rita de C. T. Cassab2, Rudah R. C. Duque1, Paula Sucerquia2 & Marcelo A. de L. Mota1

 

Resumo: A Coleção Científica Paleontológica do Departamento de Geologia (DGEO), Centro de Tecnologia e Geociências da Universidade Federal de Pernambuco (DGEO-CTG-UFPE), abriga cerca de 7.500 números de entrada de macrofósseis de invertebrados, vertebrados, plantas e icnofósseis das eras Paleozóica, Mesozóica e Cenozóica, coletados e estudados por professores e alunos, ao longo dos cinquenta e sete anos do curso de Geologia em Recife. Dois professores deixaram as maiores contribuições à coleção: O geólogo Prof. Dr. Karl Beurlen, que se dedicou principalmente a estratigrafia e ao estudo de invertebrados marinhos e o Prof. Dr. Geraldo da Costa Barros Muniz, entusiasta do estudo de icnofósseis e invertebrados marinhos. Esses professores descreveram cerca de 90% do acervo de tipos. Os professores Dr. José Lins Rolim, um dos pioneiros no estudo dos mamíferos do Pleistoceno em Pernambuco, Dr. José Augusto Costa de Almeida e Dra. Maria Somália Sales Viana também trouxeram importantes contribuições para a coleção do DGEO-CTG-UFPE. Nos últimos dez anos, o acervo de fósseis do DGEO-CTG-UFPE deu suporte para o desenvolvimento das pesquisas de cinco dissertações de mestrado e quatro teses de doutorado. A coleção possui vários exemplares fósseis para futuros estudos taxonômicos e para divulgação. A listagem do material-tipo da coleção reflete a diversidade fossilífera e as pesquisas paleontológicas realizadas nas bacias sedimentares do Nordeste do Brasil, principalmente nas bacias Pernambuco, Paraíba, Araripe e Jatobá em Pernambuco, e nas bacias Potiguar (RN) e Sergipe-Alagoas (SE). São mais de 400 fósseis incluindo holótipos e materiais referidos, com a descrição de 107 novas espécies de macrofósseis e icnofósseis, que posiciona a coleção do DGEO-CTG-UFPE entre as mais importantes em universidades brasileiras. Deste acervo, destacam-se espécies novas de Mollusca Gastropoda (42) e Bialvia (38) e Icnofósseis, com 9 icnoespécies. Equinodermata (4), Serpulidae (3), Artropoda (3), Braquiopoda (1), Mollusca Cefalopoda (2) e Scaphoda (1). Entre os vertebrados estão os mamíferos (2), peixe (1), e arcossauro (1) também estão representados no acervo de tipos.

Palavras-chave: Fósseis, bacias sedimentares do NE, invertebrados, vertebrados, icnofósseis, catálogo paleontológico.

 

Abstract: The paleontological scientific collection of the Department of Geology, Center of Technology and Geosciences of the Federal University of Pernambuco (DGEO-CTG-UFPE), includes 7,500 cataloged macrofossils of invertebrates, vertebrates, plants and trace fossils of the Paleozoic, Mesozoic and Cenozoic Era. The fossils were collected and studied by professors and students along the fifty seven years of the undergraduate course of Geology in the town of Recife. Two professors were the major contributors to the collection: the geologist Dr. Karl Beurlen, which was mainly dedicated to stratigraphy and the study of marine invertebrates, and the Dr. Geraldo da Costa Barros Muniz, an enthusiast student of trace fossils and marine invertebrates. These professors described approximately 90% of the collection types. Other professors such as Dr. José Lins Rolim, a pioneer in the study of Pleistocene mammals in Pernambuco, Dr. José Augusto Costa de Almeida and Dra. Maria Somalia Sales Viana, also made important contributions to the DGEO-CTG-UFPE fossil collection. Over the past decade, the DGEO-CTG-UFPE fossil collection supported the development of five master dissertations and four doctoral theses. The fossil collection still has several specimens for future taxonomic studies and propagate. The listing of the type materials reflects the paleontological studies and research carried out in the sedimentary basins of the Northeast of Brazil, especially in Pernambuco, Paraíba, Jatoba, and Araripe basins in the state of Pernambuco, and in the Potiguar basin, state of Rio Grande do Norte, and Sergipe-Alagoas basin, state of Sergipe. These basins comprise more than 400 fossils, including holotypes and referred materials, with the description of 107 new species of macrofossils and trace fossils. From the collection, several new species can be highlighted: Mollusca Gastropoda (42), Bialvia (38) and and of trace fossils, with 9 ichnospecies. Also are represented in the collection Equinodermata (4), Serpulidae (3), Artropoda (3), Braquiopoda (1), Mollusca Cefalopoda (2) e Scaphoda (1). Among vertebrate are mammals (2), condricthyes (1), and archosaur (1), placing the DGEO-CTG-UFPE paleontological collection among the most important of the Brazilian universities.

Key words: Fossils, sedimentary basins of NE, invertebrates, vertebrates, trace fossils, paleontologic catalog.

 

1 Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Tecnologia e Geociências, Departamento de Geologia, Av. Acadêmico Hélio Ramos s/n, Cidade Universitária, Recife, PE, 50740-530, Brasil. E-mail: alcinabarreto@gmail.com.
2 Pesquisadora Colaboradora do Departamento de Geologia da UFPE.

 

Literatura Citada

ALMEIDA, J. A.C. 2007. Icnofósseis de Macrobioerosão na Bacia da Paraíba (Cretáceo Superior-Paleógeno), Nordeste do Brasil. Tese de doutorado. UFPE. 213p.

ALVES, R. S. 2007. Os Mamíferos Pleistocênicos de Fazenda Nova, Brejo da Madre de Deus, Pernambuco. UFPE, 2007 Dissertação de Mestrado.110p.

AGOSTINHO, S. 2005.Icnofósseis da Formação Pimenteira, Devoniano da Bacia do Parnaíba, no Estado do Piauí. Tese de douotorado UFRJ- Rio de Janeiro 2005. 123p.

AGOSTINHO, S., VIANA, M. S. S., FERNANDES, A. C. S. 2004. Duas novas icnoespécies de Bifungites Desio, 1940 na Formação Pimenteira, Devoniano da Bacia do Parnaíba, Brasil. Arquivos do Museu Nacional, Rio de Janeiro 62 (4): 519-530.

BARBOSA, J. A., KELLNER, A. W. A., VIANA, M. S. S. 2008. New dyrosaurid crocodylomorph and evidences for faunal turnover at the K-P transition in Brazil. Proceedings of The Royal Society B 275: 1385-1391. http://dx.doi.org/10.1098/rspb.2008.0110

BEURLEN, K. 1964. A fauna do calcário Jandaíra da região de Mossoró (Rio Grande do Norte). Coleção Mossoroense, Rio de Janeiro, Editora Pongetti.

BEURLEN, K. 1964a As espécies dos Cassiopinae, nova subfamília dos Turritelidae, no Cretáceo do Brasil. Gabinete de Paleontologia. Arquivos de Geologia, Univ. do Recife, N 5, p 1-44.

BEURLEN, K. 1965a. Crustáceos decápodes na Formação Riachuelo (Cretáceo - Sergipe). Anais da Academia Brasileira de Ciências 37 (2): 267-272.

BEURLEN, K. 1965b. Serpulidae na Formação Riachuelo (Cretáceo, Estado de Sergipe). Anais da Academia Brasileira de Ciências 37: 265.

BEURLEN, K. 1966. Novos Equinóides no Cretáceo do Nordeste do Brasil. Anais da Academia Brasileira de Ciências 38 (3/4): 455-464.

BEURLEN, K. 1967. Geologia da região de Mossoró. Coleção Mossoroense, sér. C, 18, 173 p.Rio de Janeiro. Ed. Pongetti.

BRITO, P. M. & SERET, B. 1996. The new genus Iansan(Chondrichthyes, Rhinobatoidea) from the Early Cretaceous of Brazil and its phylogenetic relationships. Mesozoic Fishes – Systematics and Paleoecology, G. Arratia & G. Viohl (eds.). Verlag, Germany. 47-62.

CARTELLE, C. & DE IULLIS, G. 2006. Eremotherium laurillardi (Lund) (Xenarthra, Megatheriidae),the Panamerican giant ground sloth: taxonomic aspects of the ontogeny of skull and dentition. Journal of Systematic Palaeontology, 4(2):199-209. http://dx.doi.org/10.1017/S1477201905001781

GUERIN, C. & FAURE, M. 2000. La Véritable nature de Megatherium laurillardi Lund, 1842 (Mammalia, Xenarthra): um nain parmi les géants. [The real nature of Megatherium laurillardi Lund, 1842 (Mammalia, Xenarthra): a dwarf amongst giants]. [A verdadeira natureza de Megatherium laurillardi Lund,1842 (Mammalia, Xenarthra): um anão entre os gigantes]. GEOBIOS 33 (4): 475-488. http://dx.doi.org/10.1016/S0016-6995(00)80081-9

MUNIZ, G. C. B. 1978. Braquiópodes Devonianos da Formação Inajá no Estado de Pernambuco. Anais do XXX Congresso Brasileiro de Geologia 2: 975-985.

MUNIZ, G. C. B. 1979. Moluscos Devonianos da Formação Inajá no Estado de Pernambuco. Anais da Academia Brasileira de Ciências 51 (4): 651-675.

MUNIZ, G. C. B. 1980. Cochlichnus lagartensis ichnosp. nov., ichnofóssil da Formação Lagarto, Grupo Estância, no Estado de Sergipe. Anais do XXXI Congresso Brasileiro de Geologia 5: 3101-3105.

MUNIZ, G. C. B. 1982. Ichnofósseis Devonianos da Formação Longá, no estado do Piauí. Anais do XXXII Congresso Brasileiro de Geologia 4: 1305-1316.

MUNIZ, G. C. B. 1983. Cochlichnus sousensis, icnospécie da Formação Sousa, Grupo Rio do Peixe, no Estado da Paraíba. Anais do VIII Congresso Brasileiro de Paleontologia 27 (2): 239-241.

MUNIZ, G. C. B. 1984a. Um novo macrofóssil da Formação Piaçabuçu (Bacia Sergipe/Alagoas) e respectivas especulações paleoecológicas. Anais do XXXIII Congresso Brasileiro de Geologia, 2: 517-521.

MUNIZ, G. C. B. 1984b. Novos conhecimentos sobre a Icnofauna da Formação Inajá, Devoniano da Bacia de Jatobá, Pernambuco. Anais do XXXIII Congresso Brasileiro de Geologia, 33: 522-529.

MUNIZ, G. C. B. 1988. Merostomichnites piauiensis ichnosp. nov., do Devoniano do Estado do Piauí (Membro Picos, Formação Pimenteira). Estudos Pesquisas (UFPE-CTG-DGEO) 9: 49-53.

MUNIZ, G. C. B. 1993. Novos Moluscos da Formação Gramame, Cretáceo Superior, dos Estados da Paraíba e de Pernambuco, Nordeste do Brasil. Publicação Especial do Departamento de Geologia – Centro de Tecnologia – Universidade Federal de Pernambuco. Recife.

OLIVEIRA, E.V., VILLA NOVA, P., GOIN, F.J., AVILLA, L.S. 2001. A new hyladelphine masurpial (Didelphimorphia, Didelphidae) from cave deposits of northern Brazil. Zootaxa 3041: 51-62 (2011).

PENNA-NEME, L. & MUNIZ, G. C. B. 1976. Um Novo Dentalium (Mollusca-Scaphopoda), da Formação Maria Farinha, Paleoceno de Pernambuco. Anais da Academia Brasileira de Ciências 48 (3): 523-525.

PEREIRA, P.A. 2011 Aspectos Taxonômicos e Paleoecológicos dos Braquiópodes e Moluscos da Formação Inajá (Devoniano) Bacia de Jatobá, PE. UFPE. Dissertação de Mestrado 2011. 101p.

PESSOA, L.O., OLIVEIRA, E.V., SILVA, F.M. 2012. Taxonomia de mamíferos xenarthra do pleistoceno de lagoa da pedra, conceição das creoulas, salgueiro, Pernambuco. Estudos Geológicos, 22 (2):118-128.

SANTOS, R.S. 1968. A Paleoictiofauna da Fromação Santana-Euselachii, 1968 An. Acad. Brasil.Ciênc.(1968), 40 (4).

SILVA, F.M. 2009 Mamíferos do Pleistoceno Superior de Afrânio, Pernambuco, Nordeste do Brasil. UFPE. Dissertação de Mestrado, 2009. 88p.

SILVA, F. M. 2013 Tafonomia em Tanque de Fazenda Nova, Municipio de Brejo da Madre de Deus, Pernambuco, Nordeste do Brasil. UFPE, 2013. Tese de doutorado. 110p.

SILVA, M. C. 2007 Os vertebrados da Bacia Paraíba (Cretáceo e Paleoceno), Nordeste do Brasil. UFPE, Dissertação de Mestrado, 2007. 150 p.

SILVA, M. C. 2012. Paleovertebrados da Foramção Aliança, Jurássico Superior da Bacia do Jatobá, Nordeste do Brasil. Tese de doutorado, 2012, UFPE. Tese de doutorado.

SOBRAL, A.C. 2011. Os Amonóides da Bacia da Paraíba: Implicações Cronoestratigráficas, Paleoecológicas e Paleobiogeográficas. UFPE. Dissertação de Mestrado. 79p.