Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Avaliação Qualitativa de Nascentes com Diferentes Coberturas do Solo e Conservação da Vegetação em seu Entorno no Córrego Pimenta

DOI: http://dx.doi.org/10.18188/1983-1471/sap.v14n1p53-59

http://e-revista.unioeste.br/index.php/scientiaagraria/index 

downloadpdf

Caio V. F. Marmontel1 & Valdemir A. Rodrigues2

 

Resumo: As nascentes perdem a capacidade quantitativa e qualitativa da água, quando alteradas por ações antrópicas. O objetivo desta pesquisa foi realizar a avaliação qualitativa de quatro nascentes, visando avaliar os impactos positivos e negativos no seu entorno no córrego Pimenta, bem como o enquadramento de cada nascente na Resolução CONAMA 357/05. Para a caracterização física das nascentes e do seu entorno foram classificadas em preservada, perturbada ou degradada, além dos impactos ambientais positivos e negativos. As amostragens de águas superficiais foram efetuadas no período de um ano, com dez parâmetros físico-químicos monitorados. A nascente um (N1) está preservada e apresenta cobertura de mata ciliar. A nascente dois (N2) tem cobertura de mata ciliar e se encontra em estado de perturbação. A nascente três (N3) possui cobertura de bambuzal e floresta natural e está degradada. A nascente quatro (N4) tem cobertura de pastagem e se encontra em degradação. O enquadramento dos parâmetros físico-químicos teve a N1 dentro dos padrões para a classe II, a N2 se enquadrou para a classe III, a N3 e N4 não apresentaram valores ao permitido na classe II e III. As nascentes com vegetação ciliar preservada e perturbada apresentaram todos os impactos positivos, enquanto as nascentes degradadas apresentaram a maioria dos impactos negativos. A presença de vegetação ciliar nas nascentes preservada e perturbada auxiliou na proteção qualitativa dos recursos hídricos quando comparadas as nascentes degradadas.

Palavras-chave: controle químico, Glycine max, produtividade, Sclerotinia sclerotiorum.

 

Abstract: The sources lose their qualitative and quantitative capacity of water, when it is changed by human actions. The objective of this research was to evaluate qualitatively four water sources and the positive and negative impacts on their surroundings in creek Pimenta, as well as the framing of each source in CONAMA Resolution 357/05. For the physical characterization of the sources and their surroundings, they were classified as preserved, disturbed or degraded, beyond the positive and negative environmental impacts. Sampling of surface water were made in the period of one year, with ten physicochemical parameters monitored. The first source (N1) it is preserved and presents coverage of riparian forest. The source two (N2) has coverage of riparian forest and is in a state of disturbance. The source three (N3) has coverage of bamboo forest and natural forest and it is degraded. The source four (N4) has pasture cover and is in degradation. The adjust of physico-chemical parameters had the N1 within the standards for Class II, the N2 is adjusting for Class III, N3 and N4 did not show the values allowed in class II and III. The sources preserved and disturbed with riparian vegetation had all positive impacts, while degraded sources have the most negative impacts. The presence of riparian vegetation in disturbed and preserved sources auxiliary in qualitative protection of water resources compared the degraded sources.

Key words: environmental impacts, source preserved, source disturbed, source degraded, riparian vegetation

 

1 Mestre em Ciências Florestais, Departamento de Ciências Florestais, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rua Dr. José Barbosa de Barros 1780, CEP 18610-307, Botucatu, SP. E-mail: caioo_marmontel@hotmail.com. *Autor para correspondência
2 Professor Doutor Assistente, Departamento de Ciências Florestais, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rua José Barbosa de Barros 1780, CEP 18610-307, Botucatu, SP. E-mail: valdemirrodrigues@fca.unesp.br.

 

Literatura Citada

APHA. Standard Methods: for the examination of water and waste water. 18th ed. Washington-DC: American Public Health Association/American Water Works Association/Water Environmental Federation, 1992. 1354 p.

ARCOVA, F.C.S.; CICCO, V. Qualidade da água de microbacia com diferentes usos do solo na região de Cunha, Estado de São Paulo. Scientia Forestalis, Piracicaba, n.56, p.125-134, 1999. 

BALBINOT, R.; OLIVEIRA, N.K.; VANZETTO, S.C.; PEDROSO, K.; VALERIO, A.F. O papel da floresta no ciclo hidrológico em bacias hidrográficas. Ambiência, Guarapuava, PR, v.4, n.1, p.131-149, 2008.

BERTONI, J.; PASTANA, F.I.; LOMBARDI NETO, F.; BENATTI JUNIOR, R. Conclusões gerais das pesquisas sobre conservação do solo no Instituto Agronômico. Campinas: Instituto Agronômico, 1986. 57 p. (Circular, 20).

BRAGA, R.A.P. Avaliação dos instrumentos de Políticas Públicas na Conservação Integrada de Florestas e Águas, com Estudo de Caso na Bacia do Corumbataí – SP. 2005. 313 f. Tese (Doutorado em Engenharia/Hidráulica e Saneamento)–Escola de Engenharia de São Carlos,Universidade de São Paulo, São Carlos, 2005.

BRASIL. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Revoga a Lei nº 4.771 de 15 de setembro de 1965, que dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. Diário Oficial da União, Brasília, DF, v.149, n.102, p.1-8, 28 maio 2012. Seção 1.

CIIAGRO - CENTRO INTEGRADO DE INFORMAÇÕES AGROMETEOROLÓGICAS. Monitoramento climático. São Paulo: IAC/APTA/SAB. Disponível em: < http://www.ciiagro.sp.gov.br/ciiagroonline/Listagens/MonClim/LMClimLocal.asp>. Acesso em: 14 ago. 2013.

DEAN, W. A ferro e fogo. São Paulo: Schwarez, 1996. 484 p.

DONADIO, N.M.M.; GALBIATTI, J.A.; PAULA, R.C. Qualidade da água de nascentes com diferentes usos do solo na bacia hidrográfica do córrego Rico, São Paulo, Brasil. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v.25, n.1, p.115-125, 2005.

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Sistema brasileiro de classificação de solos. 2. ed. Brasília: Embrapa. 2006. 306 p.

FIGUEIREDO, R.O. Processos hidrológicos e biogeoquímicos em bacias hidrográficas sob uso agrícola e agroflorestal na Amazônia brasileira. In: PORRO, R. (Ed.). Alternativa agroflorestal na Amazônia em transformação. Brasilia-DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2009. p.478-500.

KÖPPEN, W. Climatologia: com um estúdio de los climas de la tierra. México: Fondo de Cultura Econômica, 1948. 479 p.

LIMA, D.A.S. Influência da mata ciliar na qualidade da água na bacia do Ribeirão Lajeado-TO. 2010. 92 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia/Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental)– Instituto de Pesquisas Hidráulicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

LIMA, W.P.; ZAKIA, M.J.B. Hidrologia de matas ciliares. In: RODRIGUES, R.R.; LEITÃO FILHO, H.F. (Orgs.) Matas ciliares: conservação e recuperação. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2003. p.33-43.

MERTEN, G.H.; MINELLA, J.P. Qualidade da água em bacias hidrográficas rurais: um desafio atual para a sobrevivência futura. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, Porto Alegre, v.3, n.4, 2002.

PINTO, L.V.A. Caracterização física da bacia do ribeirão Santa Cruz, Lavras, MG, e propostas de recuperação de suas nascentes. 2003. 165 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal/Manejo Ambiental)–Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2003.

PINTO, L.V.A.; ROMA, T.N.; BALIEIRO, K.R.C. Avaliação qualitativa da água de nascentes com diferentes usos do solo em seu entorno. Cerne, Lavras, v.18, n.3, 2012.

RODRIGUES, V.A. Morfometria e mata ciliar da microbacia hidrográfica. In: RODRIGUES, V. A.; STARZYNSKI, R. (Orgs.). Workshop em Manejo de Bacias Hidrográficas. Botucatu: FEPAF/FCA/DRN, 2004, p. 7.

RODRIGUES, V.A. Recuperação de nascentes em microbacias da cuesta de Botucatu. In: RODRIGUES, V. A.; BUCCI, L. A. (Orgs.). Manejo de microbacias hidrográficas: experiências nacionais e internacionais. Botucatu: FEPAF, 2006, 5p.

SIMÕES, L.B. Integração entre um modelo de simulação hidrológica e sistema de informação geográfica na delimitação de zonas tampão ripárias. 2001. 168 f. Tese (Doutorado em Agronomia/Energia na Agricultura) Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista, Botucatu, 2001.