Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Logística do Açúcar e do Etanol entre Usinas Paulistas e o Porto de Santos: Um Estudo Comparativo entre Agentes Comerciais

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/1679-5350/rau.v10n2p101-126

http://www.raunimep.com.br/ojs/index.php/regen/index

downloadpdf

Priscila R. Janotti1, Isabel C. Rodrigues2, Andréia M. Rodrigues3 & Marcelo G. Rebelato4

 

Resumo: A partir dos anos de 1990 inicia-se a abertura comercial brasileira e a desregulamentação de diversos setores. Tem início o fim dos subsídios ao setor sucroalcooleiro, gerando mudanças estratégicas na produção e distribuição de seus produtos e nessa nova dinâmica, as empresas comerciais, as usinas de açúcar e etanol e os agentes logísticos tornam-se atores centrais e estratégicos para o alcance de vantagens competitivas internacionais. Frente a esse contexto, o presente artigo relata uma comparação entre diferentes agentes comerciais das estruturas de logística referentes à armazenagem e à distribuição física de açúcar e etanol destinados à exportação no trecho compreendido entre as usinas paulistas até o Porto de Santos. Trata-se de um trabalho de cunho qualitativo, baseado em estudo de caso. Os resultados serviram para a descrição dos processos e comparação das relações envolvidas nas cadeias logísticas de aproximadamente 50% das usinas existentes no Estado de São Paulo. Entre as principais constatações do estudo estão que dos três agentes comerciais pesquisados, dois deles possuem estrutura e atuação logística com elevada semelhança, principalmente no que se refere ao transporte e ao armazenamento do açúcar. Constatou-se também que a estrutura logística do açúcar, na maioria dos quesitos, não pode ser aplicada ao etanol pelas especificidades físicas e químicas do produto, o que leva também a maior uniformização da atuação logística no transporte do etanol entre os agentes estudados.

Palavras-chave: armazenagem; distribuição física; exportação de açúcar e etanol.

 

Abstract: From the year 1990 begins the Brazilian trade liberalization and deregulation of various industries. In this period begins the termination of subsidies for sugar and ethanol sector, generating strategic change in the production and distribution of its products. In this new dynamic, the commercial companies, the sugar and ethanol mills and the logistics agents become central actors to achieve strategic and competitive advantage internationally. In this context, this paper develops a comparison of logistics structures among different sales agents regarding the storage and physical distribution of ethanol and sugar for export in the stretch from the plants in State of Sao Paulo to the Port of Santos. This is a work of a qualitative nature, based on case study. The paper describes the processes and compares the relations involved in the logistics chains of approximately 50% of existing plants in the State of Sao Paulo. As a result of the study, it appears that two of the officers surveyed have business structure and logistics operations with high similarity, especially with regard to transport and storage of sugar. We also conclude that the logistics of the sugar in most of the questions cannot be applied to ethanol because of the physical and chemical properties, resulting in greater uniformity of performance in transport logistics of ethanol among the agents studied.

Key words: storage, physical distribution, export of sugar and ethanol.

 

1 (UNESP) pri_janotti@yahoo.com.br.
2 (Fatec – Jaboticabal) isabelrodrigues2@yahoo.com.br.
3 (UNESP) andreiamarize@fcav.unesp.br.
4 (UNESP) mgiroto@fcav.unesp.br.

 

Literatura Citada

ABAGRP. Transporte: desafio ao crescimento do agronegócio brasileiro. Associação Brasileira do Agronegócio. Ribeirão Preto, 2003.

ALVES, M. R. A. A liga do açúcar: integração da cadeia produtiva do açúcar à rede de suprimentos da indústria de alimentos. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. São Paulo: USP, 2001.

BALLOU, R. H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos/logística empresarial. São Paulo: Atlas, 2004.

BALLOU, R. H. Logística Empresarial: transporte, administração de materiais e distribuição física. São Paulo: Editora Atlas, 2008.

BARROS, L. A global view of industrial logistics. Revista Gestão & Produção, v. 4, n. 2, 1997.

BERTO, R. M. V. S.; NAKANO, D. N. Métodos de pesquisa na Engenharia de Produção. In: Anais do XVIII ENEGEP. Niterói: UFF, 1998.

BOWERSOX, D. J.; CLOSS, D. J.; COOPER, M. B. Gestão logística de cadeia de suprimentos. Porto Alegre: Bookman, 2006.

CARDOSO, R. Ganhos no Transporte de Combustíveis. Valor Setorial Logística. Publicação do Jornal Valor Econômico. Abril, 2011.

CNA. Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil. Disponível em: <http://www.cna.org.br/site/noticia.php?n=3326>. Acesso em: 01 nov. 2009.

CODESP. Companhia de Docas do Estado de São Paulo. Disponível em: http://www.portodesantos.com.br/releases/arquivo2/0241.html. Acesso em: 20 agost. 2009.

CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento. Disponível em: <http://www.conab.gov.br/conabweb/geotecnologia/html_geosafras/usinasacucaralcool.html> . Acesso em: 26 abr. 2009.

COSTA, B. P. C. Aspectos logísticos do escoamento do açúcar paulista: trecho usina – porto de Santos. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de São Carlos. São Carlos: UFSCar, 2007.

FIGUEIREDO, K. F.; FLEURY, P. F.; WANKE, P. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos: planejamento do fluxo de produtos e dos recursos. São Paulo: Editora Atlas, 2003.

FLEURY, P. F.; RIBEIRO, A. A indústria de prestadores de serviços logísticos no Brasil: caracterizando os principais operadores. In: Anais do XXVII Encontro Anual da ANPAD. Campinas: ENANPAD, 2001. CD-ROM.

FLEURY, P. F.; WANKE, P.; FIGUEIREDO, K. F. Logística empresarial: a perspectiva brasileira. São Paulo: Atlas, 2000.

IANNONI, A. P.; MORABITO, R. Logística Agroindustrial. In: BATALHA, M. O. (Coord.) Gestão agroindustrial. São Paulo: Atlas, 2007.

LUNA, M. M. M. Operadores logísticos. In: NOVAES, A. G. (Ed.). Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. 3. ed.

NAKANO, D.N.; FLEURY, A. Métodos de pesquisa em Engenharia de Produção. In: Anais do XVI Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Piracicaba, 1996.

NOVAES, A. G. Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição: estratégia, operação e avaliação. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. 3. ed.

ROBLES, L. T. A prestação de serviços de logística integrada na indústria automobilística no Brasil: em busca de alianças estratégicas. Tese (Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo. São Paulo: USP, 2001.

ROSEMBLOOM, B. Marketing Channels: a management view. Orlando (FL): The Dryden Press, 1999.

STERN, L. W.; EL-ANSARY A. I. COUGHLAN, A. T. Marketing channels. Englewood Cliffs: Prentice – Hall, 1996. 5. ed.

VASCONCELLOS, T. C.; MARINS, F. A. S.; MUNIZ JUNIOR, J. Implantação do método activity based costing na logística interna de uma empresa química. Revista Gestão & Produção, vol. 15, n. 2, 2008.

VIEIRA, G. B. B. Transporte Internacional de Cargas. São Paulo: Aduaneiras, 2001. WANKE, P. Impactos da sofisticação logística de empresas industriais nas motivações para terceirização. Revista Gestão & Produção, v. 11, n. 3, 2004.

WESTBROOK, R. Action Research: a new paradigm for research in production and operations management. International Journal of Production and Operations Management, v.15, n.12, p.6-20, 1995.

ZANÃO, A. G. Caracterização da infra-estrutura de armazenagem de etanol no Brasil e análise de sua concentração na região Centro-Sul, Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo. Piracicaba: USP, 2009.