Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Qualidade de Vida no Trabalho - QVT dos Professores de Ensino Técnico Federal: Os Fatores Biopsicossociais e Organizacionais de Satisfação

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/1679-5350/rau.v11n2p143-173

http://www.raunimep.com.br/ojs/index.php/regen/index

downloadpdf

Rodrigo R. de Oliveira1, Iris B. da Silva2, Dagmar S. P. de Castro3 & Ana C. L. França4

 

Resumo: No cenário atual em que há exigências contínuas de evolução do conhecimento, e dos avanços tecnológicos, a educação tecnológica é um assunto que merece destaque, pois é através dela que uma grande parcela dos trabalhadores são formados para atuar no mercado de trabalho cada vez mais qualificado e competitivo. Um dos projetos estratégicos, mais importantes na área de ensino no país, é o dos Institutos Federais. Até 2014, os Institutos Federais contarão com 562 unidades de campi em todo país. Houve crescimento significativo do quadro funcional: no ano de 2002 contava com 8.999 professores, atualmente conta com 30.201 e deverá chegar a um total de 52.481. Isso mostra um crescimento de 583,18%. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi analisar o grau de satisfação dos professores dos Institutos Federais com a QVT, diante dos impactos de sua expansão no Brasil. Esta pesquisa caracteriza-se como mista (qualitativa e quantitativa), exploratória, descritiva, estudo de campo (entrevistas) e avaliação (survey). Com relação ao instrumento, foi utilizado o Protocolo Biopsicossocial e organizacional - BPSO-96, de Limongi-França. Foram realizadas 18 entrevistas com professores de cinco campi e 43 questionários respondidos por e-mail. Entre os cinco domínios avaliados, constatou-se que o domínio social foi o que apresentou maior satisfação (6,819). Destaca-se que a variável que apresentou a maior média na pesquisa foi a relação professor-aluno (8,233). Os achados demonstram a necessidade de alinhamento quanto a política de gestão de benefícios e apoio familiar e comunitários no grupo pesquisado, e revelam comprometimento e coleguismo entre os professores, o que refletem positivamente na qualidade da relação ensino-aprendizagem neste cenário.

Palavras-chave: professor de educação profissional e tecnológica, qualidade de vida no trabalho, institutos federais, protocolo BPSO.

 

Abstract: In the current scenario where there are requirements for continuous evolution of knowledge and technological advances, technology education is an issue that deserves attention, for it is through her that a large proportion of workers are trained to work in the labor market increasingly skilled and competitive. One of the strategic projects, the most important in the area of education in the country, is the Federal Institutes. By 2014, the Federal Institutes will have 562 units campuses across the country. There was significant growth in the workforce: in 2002 had 8,999 teachers, now has 30,201 and is expected to reach a total of 52,481. This shows an increase of 583.18%. In this context, the aim of this study was to analyze the degree of satisfaction of teachers of Federal Institutes with QWL, on the impacts of its expansion in Brazil. This research is characterized as mixed (qualitative and quantitative), exploratory, descriptive field study (interviews) and evaluation (survey). With respect to the instrument, using the Protocol Biopsychosocial and organizational - BPSO-96 of Limongi-France. 18 interviews were conducted with teachers from five campuses and 43 completed questionnaires by email. Among the five domains assessed, it was found that social dominance was presented the lowest level of satisfaction (3.193), while the psychological domain showed the greatest satisfaction (6,819). It is noteworthy that the variable that had the highest average in the survey was the teacher-student relationship (8,233). The findings demonstrate the need for alignment as the management policy benefits and family support and community group researched and show commitment and collegiality among teachers, which reflects positively on the quality of teachinglearning relationship in this scenario.

Key words: teacher education and professional technology, quality of work life, federal institutes, protocol BPSO.

 

1 (Instituto Federal de São Paulo campus Registro) rodrigo.oliveira@ifsp.edu.br
2 (Universidade de São Paulo campus São Carlos) ibs@sc.usp.br
3 (Universidade Metodista de Piracicaba) dscastro@unimep.com
4 (Universidade de São Paulo) climongi@usp.br

 

Literatura Citada

BAGTASOS, M. R. Quality of work life: a review of literature. DLSU Business & Economics Review, v. 20, n. 2, p. 1-8, 2011.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Gestão Pública. Boletim Estatístico de Pessoal. V. 17, n. 207 fev. 2013. Brasília, 2013 180p. Disponível em: <http://www.servidor.gov.br/publicacao/boletim_estatistico/bol_estatistico_13/Bol201_Jan2013.pdf> Acesso em: 12 jun. 2013.

CALDAS, L. A Formação e a capacitação de trabalhadores da EPT. In: PACHECO, E. (Org.) Institutos Federais uma revolução da educação profissional e tecnológica. São Paulo: Moderna, 2011. p. 33-45. GAROTTI, M. A Qualidade na educação. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA, 6., 2009, São Luís. Anais...São Luís, 2009.

LEEMIS, L. M.; TRIVEDI, K. S. A comparison of approximate interval estimators for the bernoulli parameter. The American Statistician. Alexandria, v. 50, n. 1, p. 63-68, Feb.1996.

LIMONGI-FRANÇA, A. C. Qualidade de vida no trabalho – QVT: conceitos e práticas nas empresas da sociedade pós-industrial. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

LIMONGI-FRANÇA, A. C. Saúde com qualidade de vida organizacional e pessoal de onde vem e para onde vai este caminho de sustentabilidade? In: MARRAS, J. P. (Org.) Gestão estratégica de pessoas: conceitos e tendências. São Paulo: Saraiva, 2010. p. 227-250.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MIGUEL, P. A. C.; LEE HO, L. Levantamento tipo survey. In: MIGUEL, P. A. C. (Org.) Metodologia de pesquisa em engenharia de produção e gestão de operações. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier: 2012. cap. 5, 75-130.

MORETTIN, L. G. Estatística básica: probabilidade e inferência. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009. 376 p.

OLIVEIRA, R. R. et al. Qualidade de Vida no Trabalho: estudo com docentes de um Instituto Federal em Relação a Educação Profissional de Jovens e Adultos. In:___ ALMEIDA, I. B. P.; SANTOS, S. S. (Org.) Educação Tecnológica: reflexões, teorias e práticas. Jundiaí: Paco Editorial, p. 185-202, 2012.

PACHECO, E. M.; SILVA, C. J. R. Institutos Federais: um futuro por amar. In: SILVA, C. J. R. (Org.) Institutos Federais Lei 11.892, de 19/11/2008: comentários e reflexões. Natal: IFRN, 2009. p. 7-11.

SELL TIZ, C. Métodos de pesquisa nas relações sociais. São Paulo: EPU, 1960.

SGANZERLA. S. S. A. Relatório e proposta de programa para grupos corporativos: atividade física na promoção da saúde e qualidade de vida. In:___ VILARTA, R.; GUTIERREZ, G. L. (Org.) Qualidade de vida em proposta de intervenção corporativa. Campinas: IPES Editorial, cap. 27, p. 211-218, 2007.

SOARES, A. S. A educação profissional e o professor: fazeres e saberes necessários. In. SEMINÁRIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA – SENEPT, 1., 2008, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: CEFET-MG, 2008.

STEFANO, S. R. et al. Satisfação da Qualidade de Vida no Trabalho com Relação aos Fatores Biopsicossociais e Organizacionais: Um Estudo Comparativo entre Docentes das Universidades Pública e Privada. Revista Gerenciais, São Paulo, v. 5, p. 35-44, 2006.

STEPHEN, A.; DHANAPAL, D. Quality of Work Life in Small Scale Industrial Units: Employers and Employees Perspectives. European Journal of Social Sciences, Mahé, v. 28, n. 2, p. 262-271, 2012.

WALTON, R. Criteria For Quality Life. In DAVIS, L. A. B. The Quality of working life: problems, prospects and state of the art. New York: The Free Press, 1975.