Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Percepção do Sujeito que Matou por Amor

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v22n1p21-30

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MUD/index 

downloadpdf

Luiz R. F. de Oliveira1 & Cerita Bressan2

 

Resumo: O presente estudo procura colaborar no entendimento sobre os crimes passionais, investigando as percepções de sujeitos que cometeram este tipo de crime. A violência contra a mulher interrompe milhares de vidas no Brasil e no mundo. O método de pesquisa utilizado é de caráter qualitativo, exploratório e descritivo, sendo entrevistados quatro apenados condenados por homicídio de motivação passional. Durante as entrevistas foi apresentada a lâmina nº 13 do Teste de Apercepção Temática (TAT), que serviu como estímulo para o sujeito falar sobre suas percepções acerca de sua história de vida. As entrevistas foram gravadas e transcritas com o consentimento do participante. Os dados foram agrupados em categorias temáticas para análise e interpretação. Os resultados apontaram que os principais motivos que caracterizam a percepção do sujeito sobre crime são: o controle sobre a mulher, problemas relacionados às famílias de origem, traição, autopercepção, culpa, medo do abandono e perspectivas para o futuro.

Palavras-chave: crime passional; violência; família; psicologia jurídica.

 

Abstract: This study seeks to collaborate in understanding crimes of passion by investigating the perceptions of individuals who committed such crime. Violence against women ends thousands of lives in Brazil and worldwide. The study made use of a qualitative, exploratory, and descriptive method and interviewed four inmates convicted of murder motivated by passion. During the interviews, card 13 of the Thematic Apperception Test (TAT) was shown with the aim of stimulating the subjects to talk about how they perceive their life story. With the interviewees’ consent, the interviews were recorded and later transcribed. Data were grouped into thematic categories for analysis and interpretation. Results showed that according to the subjects the main reasons for their crimes was the need to control women, issues related to their families of origin, betrayal, self-perception, guilt, fear of abandonment, and prospects for the future.

Key words: crime of passion; violence; family; forensic psychology.

 

1 Psicólogo, doutorando em Psicologia Clínica na Unisinos; professor e coordenador do curso de Psicologia da Faculdade Meridional (Imed), Passo Fundo – RS. E-mail: ronaldo@imed.edu.br.
2 Psicóloga formada pela Faculdade Meridional (Imed), Passo Fundo – RS. E-mail: cerita.bressan@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

Anton, I. L. C. (2012). A escolha do cônjuge: o entendimento sistêmico e psicodinâmico. Porto Alegre: Artmed.

Arreguy, M. E. (2012). O crime no divã: fundamentos diagnósticos em passionais violentos. Estudos de Psicanálise, 37,93-102.

Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bifano, A. H. (2003). Relacionamentos que matam: violência conjugal. In Anais do II Seminário Internacional de Educação Intercultural, Gênero e Movimentos Sociais, UFSC. Recuperado em 12 de abril de 2012, de http://www.rizoma.ufsc.br/pdfs/217-of1-st2.pdf.

Borges, L. M. (2011). Crime passional ou homicídio conjugal? Psicologia em Revista, 17(3), 433-444.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde (1997). Diretrizes e normas para pesquisa envolvendo seres humanos. Resolução CNS 196/96. Brasília- -DF. Recuperado em 23 de janeiro de 2013, de http://conselho.saude.gov.br/web_comissoes/conep/aquivos/resolucoes/resolucoes.htm.

Cesca, T. B. (2004). O papel do psicólogo jurídico na violência intrafamiliar: possíveis articulações. Psicologia e Sociedade, 16(3), 41-46. https:/doi.org/10.1590/S0102-71822004000300006

Eluf, L. N. (2003). A paixão no banco dos réus. São Paulo: Saraiva.

Gaia, L. G. (2010). Homicídios passionais: a paixão e sua motivação para o crime. Monografia, Centro Universitário Eurípides de Marília, Marília, SP, Brasil.

Levy, L., & Gomes, I. C. (2011). Relações amorosas: rupturas e elaborações. Tempo Psicanalítico, 43(1), 45-57.

Marabezzi, N. M. (2010). Direitos humanos e violência contra a mulher: um estudo de gênero sobre o homicídio passional no Código Penal Brasileiro. Dissertação de mestrado, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, SP, Brasil.

Minayo, M. C. S. (2007). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec/Abrasco.

Murray, H. A. (2005). Teste de apercepção temática. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Pires, A. M. S. (2010). Aceitação-rejeição parental percepcionada e ajustamento psicológico e acadêmico da criança. Dissertação de mestrado, Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal.

Santiago, R. A., & Coelho, M. T. A. D. (2010). O crime passional na perspectiva de infratores presos: um estudo qualitativo. Psicologia em Estudo, 15(1), 87-95. https:/doi.org/10.1590/S1413-73722010000100010

Silva, M. F., & Guzzo, R. S. L. (2007). Presidiários: percepções e sentimentos acerca de sua condição paterna. Revista Brasileira Crescimento e Desenvolvimento Humano, 17(3), 48-59.

Sophia, E., Tavares, H., & Zilberman, M. L. (2007). Amor patológico: um novo transtorno psiquiátrico? Revista Brasileira de Psiquiatria, 29(1), 55-62. https:/doi.org/10.1590/S1516-44462007000100016

Sousa, I. M. (2004). Homicídio passional: uma teoria in extremis. Dissertação de mestrado, Universidade Católica de Goiás, Goiânia, GO, Brasil.

Waiselfisz, J. J. (2011). Mapa da violência 2011. Os novos padrões da violência homicida no Brasil. São Paulo: Instituto Sangari. Recuperado em 14 de outubro de 2012, de http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2012/mapa2012_mulher.pdf.