Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Juventudes, Educação e Ciberespaço: A Relação dos Jovens com as Informações que Circulam nas Redes Sociais

DOI: http://dx.doi.org/10.18247/1983-2664/educaonline.v7n2p55-69

http://www.latec.ufrj.br/revistas/index.php?journal=educaonline 

downloadpdf

Juliana G. de Macedo1 & Dilton R. do Couto Junior2

 

Resumo: O ciberespaço torna possível ao ser humano interagir com outros internautas a partir de uma linguagem que abarca o uso de imagens, textos e sons. A comunicação, antes restrita às interações face a face, vem ocorrendo dentro das dinâmicas ciberculturais da rede mundial de computadores. Nesse sentido, o ciberespaço vem se tornando a espinha dorsal da comunicação global interativa, redimensionando as formas de ensinar e aprender na contemporaneidade. É nesse contexto que a discussão apresentada no texto se situa. O nosso objetivo foi analisar as contribuições do ciberespaço, mais especificamente os sites de redes sociais da internet, na reconfiguração das formas com as quais os jovens se apropriam das informações digitais, buscando as implicações disto no campo educacional. Para isso, a discussão teórica é fundamentada em autores dos campos da educação e comunicação, como Manuel Castells, Pierre Lévy, André Lemos e Edméa Santos. Concluímos que seria interessante que professores criassem, com os estudantes, possibilidades de aprender e ensinar com as informações que circulam nas redes sociais da internet, na tentativa de promover processos educacionais à luz das dinâmicas ciberculturais.

Palavras-chave: Juventudes, ciberespaço, redes sociais, educação.

 

Abstract: Cyberspace makes it possible for the human being to interact with other Internet users from a language that embraces the use of images, texts and sounds. The communication, that was once restricted to face-to-face interactions, has been occurring within the cybercultural dynamics of the World Wide Web. In this regard, cyberspace is becoming the backbone of the global interactive communication, reshaping forms of teaching and learning in the contemporary. It is in this context that the discussion presented in this text takes place. Our objective was to analyze the contributions of cyberspace, more specifically the social networking websites, in the reconfiguration of the forms in which young people appropriate themselves with digital information, seeking its implications in the educational field. The theoretical discussion is based on authors from the fields of education and communication, such as Manuel Castells, Pierre Lévy, André Lemos and Edméa Santos. We concluded that it would be interesting if teachers create, with the students, opportunities to learn and teach with the information that is circulating in the social networking websites, in an attempt to promote educational processes in light of the cybercultural dynamics.

Key words: Youth, cyberspace, social networks, education.

 

1 Formada em Pedagogia pela Universidade Veiga de Almeida (UVA) e Mestrado pelo Programa de Pós- Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (ProPEd/UERJ). Implementadora e supervisora do Campus EAD da Faculdade Gama e Souza. E-mail: profjmacedo@gmail.com
2 Formado em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com especialização em Educação Infantil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/Rio) e Mestrado pelo Programa de Pós- Graduação em Educação da UERJ (ProPEd/UERJ). Atualmente vem desenvolvendo sua pesquisa de Doutorado no referido programa, atuando como tutor à distância no CEDERJ, no curso de Pedagogia da UERJ. E-mail: junnior_2003@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

ABRAMO, Helena Wendel. Considerações sobre a tematização social da juventude no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 5-6, p. 25-36, 1997.

ALVES, Nilda. Tecer conhecimento em rede. In: ALVES, Nilda; GARCIA, Regina Leite (Orgs.). O sentido da escola. Rio de Janeiro: DP&A, 2008. p. 91-99.

AZEVEDO, Daniela Medeiros; GARBIN, Elisabete Maria; MORO, Marília Bervian. Culturasjuvenis contemporâneas em pauta: possibilidades da pesquisa em educação. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO – ESCOLA: ESPAÇO DE SOCIABILIDADE E CULTURA DE PAZ, 13., 2012, Novo Hamburgo. Anais.... Novo Hamburgo: FEEVALE, 2012. p. 1-13.

CARRANO, Paulo César Rodrigues. Juventude e cidades educadoras. Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

CARRANO, Paulo César Rodrigues. Juventudes: as identidades são múltiplas. Movimento: revista da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense, n. 1, p. 11-27, maio 2000.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: a era de informação: economia, sociedade e cultura, v. 1. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

CASTELLS, Manuel; CARDOSO, Gustavo (Orgs.). A sociedade em rede: do conhecimento à acção política. Conferência promovida pelo Presidente da República. Lisboa: Imprensa Nacional; Casa da Moeda, 2006.

DAYRELL, Juarez. O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 40-52, 2003.

GARBIN, Elisabete Maria; SEVERO, Rita Cristine Basso. Juventudes plurais na escola: (des)ordenando tempos e espaços na contemporaneidade. In: SEMINÁRIO BRASILEIRO DE ESTUDOS CULTURAIS E EDUCAÇÃO, 5.; SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS CULTURAIS E EDUCAÇÃO, 2., 2013, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: ULBRA/UFRGS, 2013. p. 1-13.

JOBIM E SOUZA, Solange. O olho e a câmera: desafios para a educação na época da interatividade virtual. Revista Advir, Rio de Janeiro, n. 15, p. 75-81, set. 2002.

LEMOS, André. Aspectos da cibercultura: vida social nas redes telemáticas. In: PRADO, José Luiz Aidar (Org.). Crítica das práticas midiáticas: da sociedade de massa às ciberculturas. São Paulo: Hacker, 2002. p. 112-129.

LEMOS, André. Os sentidos da tecnologia: cibercultura e ciberdemocracia. In: LEMOS, André; LÉVY, Pierre. O futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia planetária. São Paulo: Paulus, 2010. p. 21-31.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

PELLANDA. Eduardo Campos. Pensando em rede. In: PELLANDA, Nize Maria Campos; PELLANDA, Eduardo Campos (Orgs.). Ciberespaço: um hipertexto com Pierre Lévy. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2000.

RECUERO, Raquel. Atos de ameaça à face e à conversação em redes sociais da internet. In: PRIMO, Alex (Org.). Interações em rede. Porto Alegre: Editora Sulina, 2013. p. 51- 69.

SANTAELLA, Lucia. A crítica das mídias na entrada do século 21. In: PRADO, José Luiz Aidar (Org.). Crítica das práticas midiáticas: da sociedade de massa às ciberculturas. São Paulo: Hacker Editores, 2002. p. 44-56.

SANTAELLA, Lucia. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus, 2004.

SANTOS, Edméa Oliveira. Educação online para além da EAD: um fenômeno da cibercultura. In: SILVA, Marco; PESCE, Lucila; ZUIN, Antonio (Orgs.). Educação online: cenário, formação e questões didático-metodológicos. Rio de Janeiro: Wak, 2010. p. 29-48.

SILVA, Marco. Sala de aula interativa. 2. ed. Rio de Janeiro: Quartet, 2001.

SILVEIRA, Henrique Flávio Rodrigues. Motivações e fatores críticos de sucesso para o planejamento de sistemas interorganizacionais na sociedade da informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 32, n. 2, p. 107-124, maio/ago. 2003.

SODRÉ. Muniz. Reinventando a cultura: a comunicação e seus produtos. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.