Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Preservação de Documentos Arquivísticos Digitаis Autênticos: Estudo do “Projeto de Extensão Eletrônico” da Universidade Estadual de Londrina

DOI: http://dx.doi.org/10.18377/2316-7300/informacaoarquivistica.v3n2p43-69

http://www.aaerj.org.br/ojs/index.php/informacaoarquivistica 

downloadpdf

Eliandro dos S. Costa1 & Lucinéia de A. Caporalli2

  

Resumo: Essa pesquisa foi desenvolvida utilizando-se dos requisitos de autenticidade e confiabilidade recomendados pelo InterPARES para as informações no documento em meio digital. Adotou-se como procedimentos metodológicos pesquisa exploratória e bibliográfica e de natureza qualitativa. Apresentaram-se conceitos e definições referente a Arquivologia no contexto de aplicação do documento arquivístico digital, mais precisamente o projeto de extensão eletrônico, no âmbito da Universidade Estadual de Londrina (UEL), aplicando os critérios do InterPARES. Analisando esse documento mediante o acesso ao Sistema UEL na interface Web, desde a fase de cadastro, tramitação até sua destinação final, buscando identificar se este documento digital possui os requisitos necessários para ser considerado autêntico e confiável. Obteve-se como resultado, que o Projeto de Extensão Eletrônico é estável com a sua forma fixa inalterável, a partir do seu cadastro no Sistema UEL, impedindo que ocorram alterações no seu conteúdo inicial, entretanto, observa-se que o documento poderia ser produzido mais próximo de atender as necessidades dos seus usuários, oferecendo uma avaliação de cada projeto pelos funcionários da PROEX, a qual estaria verificando se as informações estão registradas da forma correta para serem repassadas para a avaliação das comissões. Assim, comprova-se que o projeto de extensão eletrônico apresenta um melhor desempenho quando identificados os fatores que fornecem a autenticidade e a confiabilidade para seus usuários, transmitindo maior confiabilidade na tarefa registrada junto ao Sistema. Esse projeto pode ser observado como um projeto piloto para a aplicação nos demais módulos, processos e unidades administrativas e acadêmicas da UEL, possibilitando inúmeras pesquisas para aprimoramento da área nessa Instituição.

Palavras-Chave: arquivística, diplomática arquivística, projeto de extensão eletrônico, preservação digital, interpares.

 

Abstract: This research was performed using the authenticity and reliability requirements recommended by InterPARES to the information in the document in digital media. Exploratory and bibliographic research of a qualitative nature was adopted as methodological procedures. Concepts and definitions regarding Archival Science in the context of digital archival document application, specifically the electronic extension project at State University of Londrina (UEL), were presented by applying the InterPARES criteria. By analyzing this document through access to UEL System in interfaceWeb, from registration phase and processing to final disposal, the aim was to identify whether this digital document has the necessary requirements to be considered authentic and reliable. As a result, the Electronic Extension Project is stable, with its unalterable fixed form from its registration in the UEL system, preventing changes in its initial content. However, it is observed that the document could be produced closest to its users’ needs, offering an evaluation of each project by PROEX employees, which would verify if the information is recorded correctly in order to be passed on to the evaluation commissions. Thus, it is shown that the electronic extension project has a better performance when the factors that provide the authenticity and reliability to its users are identified, transmitting greater reliability in the task registered in the system. This project can be considered a pilot project for implementation in other modules, processes and administrative and academic units at UEL, allowing several researches to improvement of this field in this institution.

Key words: archivistic, diplomatic archivistic, electronic extension project, digital  preservation, interpares.

 

1 Bacharel em Arquivologia e Mestre em Engenharia da Produção pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Doutorando em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Docente do Departamento de Ciência da Informação na Universidade Estadual de Londrina (UEL). E-mail: eliandrocosta@gmail.com.
2 Bacharel em Arquivologia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). E-mail: lucineiacaporalli@gmail.com.

 

Literatura Citada

ARQUIVO NACIONAL. Ações internacionais. Projeto InterPARES. Disponível em: <http://www.arquivonacional.gov.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=328&sid=42 >. Acesso em: 05 Fev. 2015.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivística: objetos, princípios e rumos. São Paulo: Associação de Arquivistas de São Paulo, 2002.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

BODÊ, Ernesto Carlos. Preservação de documentos digitais: o papel dos formatos de arquivo. 2008. Dissertação de Mestrado (Pós Graduação em Ciência da Informação), Universidade de Brasília, Brasília. Disponível em: < http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4529>. Acesso em: 05 Fev. 2015.

BRASIL. Lei nº 8.159, de 08 de Janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, 8 jan. 1991.

BRASIL. Lei nº 6.546, de 04 de Julho de 1978. Dispõe sobre a regulamentação das profissões de Arquivista e de Técnico de Arquivo, e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, 4 jul. 1978.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino; DA SILVA, Roberto. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. Publicações técnicas, n. 51. Disponível em: <http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/Media/publicacoes/dicionrio_de_terminologia_arquivstica.pdf >. Acesso em: 05 Fev. 2015.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Câmara técnica de documentos eletrônicos. Modelo de Requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão Arquivística de Documentos - e-ARQ Brasil: versão 1.1, Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, dez. 2011. Disponível em:<http://www.documentoseletronicos.arquivonacional.gov.br/media/e-arq-brasil2011-corrigido.pdf>. Acesso em: 05 Fev. 2015.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Câmara técnica de documentos eletrônicos. Diretrizes para a presunção de autenticidade de documentos arquivísticos digitais. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, dez. 2012. Disponível em:<http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/media/diretrizes_presuncao_autenticidade_publicada.pdf>. Acesso em: 05 Fev. 2015.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Carta para a preservação do patrimônio arquivístico digital. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. Disponível em: <http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/media/carta.pdf>. Acesso em: 05 Fev. 2015.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Resolução n. 25 de 27 de abril de 2007. Dispõe sobre a adoção do Modelo de Requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão Arquivística de Documentos - eARQ Brasil pelos órgãos e entidades integrantes do Sistema Nacional de Arquivos - SINAR. Diário Oficial da União, Brasília, 27 de abril de 2007.

DURANTI, Luciana. (Coord.). InterPARES Project: International Research on Permanent Authentic Records in Electronic Systems. Disponível em: <http://www.interpares.org>. Acesso em: 05 Fev. 2015.

FERREIRA, Miguel. Introdução a preservação digital: conceitos, estratégias e actuais consensos. ed. electrónica. Guimarães, Portugal: Escola de Engenharia da Universidade do Minho, 2006. Disponível em: < http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/5820/1/livro.pdf>. Acesso em: 05 Fev. 2015.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas da pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

INNARELLI, Humberto Celeste. Preservação digital: a influência da gestão dos documentos digitais na preservação da informação e da cultura. Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 8, n. 2, p. 72-87, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://www.brapci.ufpr.br/download.php?dd0=15590>. Acesso em: 05 Fev. 2015.

PAES, Marilena Leite. Arquivo teoria e prática. 3. ed. rev. ampl. - Rio de Janeiro: FGV, 2006.

POZZEBON, Marlei; FREITAS, Henrique M. R. de. Pela Aplicabilidade - com um maior Rigor Científico dos Estudos de Caso em Sistemas de Informação. RAC, v.2, n.2, p.143-170, maio/ago. 1998. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rac/v2n2/v2n2a09.pdf>. Acesso em: 15 Fev. 2015.

ROCHA, Claudia Lacombe. Projeto InterPARES: Entrevista com Luciana Duranti. Ponto de Acesso, América do Norte, 3, mar. 2009. Disponível em: <http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/3316/2425>. Acesso em: 15 Fev. 2015.

RODRIGUES, William Costa. Metodologia Científica. Paracambi: Faetec/IST, 2007. Disponível em: <http://professor.ucg.br/SiteDocente/admin/arquivosUpload/3922/material/Willian%20Costa%20Rodrigues_metodologia_cientifica.pdf>. Acesso em: 15 Fev. 2015.

RONCAGLIO, Cynthia; SZVARÇA, Décio Roberto; BOJANOSKI, Silvana de Fátima. Arquivos, gestão de documentos e informação. Enc. BIBLI: R. Eletr. Bibl. Ci. Inf., Florianópolis, n. esp., 2º sem. 2004. Disponível em: <http://repositorio.bce.unb.br/bitstream/10482/913/1/ARTIGO_ArquivoGestaoDocumentosInformacao.pdf>. Acesso em: 15 Fev. 2015.

RONDINELLI, Rosely Curi. Gerenciamento arquivístico de documentos eletrônicos: uma abordagem teórica da diplomática arquivística contemporânea. 4. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

ROUSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Dom Quixote, 1998.

SALVADOR, Ângelo Domingos. Métodos e técnicas de pesquisa bibliográfica. 11. ed. Porto Alegre: Sulina, 1986.

SANTOS, Vanderlei Batista dos. Gestão de documentos eletrônicos: uma visão arquivística. 2. ed. Brasília: Abarq, 2005.

SILVA, Fábio R. Pinheiro da. InterPARES 3 Project. Estudos de Caso da UNICAMP no âmbito do InterPARES 3. III Fórum de Informação em Saúde. Campinas: Arquivo Central/SIARQ-UNICAMP. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/IIIfis/pdf/InterPares_Parte2.pdf>. Acesso em: 20 Fev. 2015.

STRAUSS, Anselm; CORBIN, Juliet. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA. Sistema de Arquivos da Universidade Estadual de Londrina. Disponível em: <http://www.uel.br/sauel/portal>. Acesso em: 20 Fev. 2015.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA. Pró-Reitoria de Extensão. Disponível em: <http://www.uel.br/proex/?novoportal=true>. Acesso em: 20 Fev. 2015.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA. Resolução n. 1295 de 24 de novembro de 1988. Aprova política de Extensão da Universidade Estadual de Londrina. Disponível em: <http://www.uel.br/proex/?content=legisla.html>. Acesso em: 20 Fev. 2015.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA. Sistema de Gestão de Projetos (SGP) - Manual do Usuário. Versão 2.0. Disponível em: < https://www.sistemasweb.uel.br/system/prj/gp/arquivos/manual_usuario_v2.pdf>. Acesso em: 20 Fev. 2015.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA. Resolução CEPE n. 274 de 01 de novembro de 2005. Estabelece normas e procedimentos específicos para projetos de Pesquisa em Ensino de Graduação, Pesquisa, Extensão e Integrados. Disponível em: <http://www.uel.br/comites/cepesh/res_2742005.htm>. Acesso em: 20 Fev. 2015.

VALENTIM, Marta Lígia Pomim (org.). Estudos avançados em arquivologia. Marília: Cultura Acadêmica (Unesp), 2012. Disponível em: < http://www.marilia.unesp.br/Home/Publicacoes/estudos_avancados_arquivologia.pdf >. Acesso em: 20 Fev. 2015.

VIEIRA. Sebastiana Batista. Técnicas de arquivo e controle de documentos. Rio de Janeiro: Temas & Idéias, 2001.