Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Divulgando a Ciência: A Academia e o Mundo Científico pela Lente do Globo Universidade

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v37n1p121-142

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO 

downloadpdf

Luisa Massarani1 & Carla M. da Silva2

 

Resumo: Neste artigo realizamos uma análise crítica do programa televisivo Globo Universidade, veiculado pela Rede Globo de Televisão e voltado para a produção de reportagens sobre ensino e pesquisa. O objetivo é discutir as matérias relacionadas às áreas de ciência e tecnologia, investigando as estratégias adotadas para despertar vocações para a vida acadêmica e a carreira científica. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que associa dados quantitativos. Foram objeto de análise 16 programas veiculados de março a dezembro de 2011.

Palavras-chave: Divulgação da ciência. Jornalismo científico. Televisão.

 

Abstract: In this paper, we provide a critical analysis of the TV program Globo Universidade, broadcasted by Rede Globo de Televisão and focused on education and research reports. The purpose is to discuss the stories related to science and technology, investigating the strategies adopted in order to awaken vocations for academic experience and scientific career. It is a qualitative study associating quantitative data. Sixteen episodes, broadcasted from March to December 2011, were analyzed.

Key words: Science communication. Science journalism. TV.

 

1 Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz Bolsista Produtividade do CNPq 1C. Doutora em Gestão, Educação e Difusão em Biociências (UFRJ) e pós-doutora pelo Department of Science and Technology Studies da University College London. Integra o Núcleo de Estudos da Divulgação Científica do Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/ Fiocruz. Orienta estudantes de lato sensu, mestrado e doutorado em quatro cursos. É líder do Grupo de Pesquisa do CNPq Ciência, Comunicação & Sociedade. E-mail: luisa.massarani3@gmail.com. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/2675160937325484
2 Museu da Vida /Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz Graduada em Comunicação Social (UFF). Especializada em História da Arte e Arquitetura do Brasil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e em Divulgação da Ciência, da Tecnologia e da Saúde pelo Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz. 

 

Literatura Citada

ANDRADE, L. V. B. de. Ciência e comunicação na TV comercial: 14 anos do programa Globo Ciência. São Paulo: Moderna, 1999.

ANDRADE, L. V. B. Iguarias na hora do jantar: o espaço da ciência no telejornalismo diário. 2004. 266f. Tese de doutorado apresentada no Programa Educação, Gestão e Difusão em Biociências, Instituto de Bioquímica, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

DURANT, J. O que é a alfabetização científica? In: MASSARANI, L.; MOREIRA; I. de C.; TURNEY, J. Terra incógnita: a interface entre ciência e público. Rio de Janeiro: Vieira e Lent, 2005

EPSTEIN, S. The construction of lay expertise: AIDS activism and the foreign of credibility in the reform of clinical trials. Journal: Science, Technology & Human Values, vol. 20, 1995.

GLOBO UNIVERSIDADE. Memória Globo. s.d. Disponível em: <http://memoriaglobo.globo.com/Memoriaglobo/0,27723,GYN0-5273-267931,00.html>. Acesso em: 20 de novembro de 2012.

HAAG, C. O que você não quer ser quando crescer. Revisa Pesquisa Fapesp, n. 192, fev. 2012. Disponível em: <http://revistapesquisa.fapesp.br/2012/02/27/o-que-voc%C3%AA-n%C3%A3o-quer-ser-quando-crescer/>. Acesso em: 30 mar. 2015.

JURBERG, C. Ciência na TV: um erro histórico. 2001. Disponível em. <http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/103042284573857452975334647217539539042.pdf>. Acesso em: 14 de maio de 2015 .

LEWENSTEIN, B. V.; BROSSARD, D. Models of public understanding of science. Ithaca: Cornell University, 2005.

MEDEIROS, F. N. da S. et al. Ciência e tecnologia em um programa de infotainment: uma análise de conteúdo da cobertura do Fantástico. InterCom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, v. 36, p. 127-147, 2013. Disponível em: <http://portcom.intercom.org.br/revistas/index.php/revistaintercom/article/view/1671/1596> Acesso em: 28 jan. 2014.

POLINO, C. (Comp.). Los estudiantes y la ciencia: encuesta a jóvenes iberoamericanos. 18. ed. Buenos Aires: Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura, 2011.

RAMALHO, M.; POLINO, C.; MASSARANI, L. Do laboratório para o horário nobre: a cobertura de ciência no principal telejornal brasileiro. Journal of Science Communication, Trieste, v. 11, n. 2, p. A02, jun. 2012. Disponível em: <http://jcom.sissa.it/archive/11/02/Jcom1102(2012) A02/Jcom1102(2012)A02_po.pdf>. Acesso em: 20 jul. 2012.

RONDELLI, D. R. R. A ciência no picadeiro: Uma análise das reportagens sobre ciência no programa Fantástico. 2004, 147f. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Programa de Pós-graduação em Comunicação Social, Universidade Metodista de São Paulo, São Paulo.

SIQUEIRA, D. Ciência na televisão: mito, ritual e espetáculo. Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, São Paulo, v. 21, n. 2, p. 57- 69, jul.-dez. 1998.

TELEVISÃO. Brasiliana. s.d. Disponível em: <http://www.museudavida.fiocruz.br/brasiliana/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=25>. Acesso em: 10 nov. 2012.

WYNNE, B. Saberes em contexto. In: MASSARANI, L.; TURNEY, J.; MOREIRA, I. (Orgs.). Terra incógnita: a interface entre ciência e público. Rio de Janeiro: Casa da Ciência/Museu da Vida e Vieira/Lent, 2005. p. 27-39.