Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Uso de Água Residuária de Origem Doméstica no Cultivo do Girassol no Assentamento Milagres, Apodi-RN

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/F.G.B.Costa-DC-000000002

 downloadpdf

COSTA, Fabrícia Gratyelli Bezerra

 

Resumo: A inadequação dos sistemas de esgotamento sanitário consiste na principal causa da poluição ambiental e dos problemas de saúde humana, principalmente nas áreas rurais do semiárido. O presente trabalho objetivou analisar os efeitos da água residuária de origem doméstica no sistema produtivo da cultura do girassol. Para tal, foi montada uma área experimental de 744 m2 no assentamento Milagres em Apodi-RN dotada de sistema primário para tratamento da água residuária e de sistema de irrigação por gotejamento. O girassol, cultivar H 251, foi plantado em Cambissolo no espaçamento de 1,0 m entre fileiras de plantas por 0,30 m entre plantas. Cada parcela ocupou uma área de 12,5 m2 e na condução do experimento foram utilizadas 25 parcelas. Os tratamentos utilizados foram T1 - 100% de aplicação água residuária (ARP) e 0% de água de abastecimento (AA), T2 - 75% de ARP e 25% de AA, T3 - 50% de ARP e 50% de AA, T4 - 25% de ARP e 75% de AA e T5 - 0% de ARP e 100% de AA. Somente o tratamento T5 recebeu adubação de fundação, os demais não receberam adubação química. Para análise do desempenho dos sistemas de irrigação por gotejamento utilizou-se um esquema de parcelas subdivididas tendo nas parcelas os tratamentos e nas subparcelas os tempos de avaliação (0, 48 e 91 horas). Na análise das características químicas do solo foi utilizado o esquema de parcelas subsubdivididas tendo nas parcelas os tratamentos, nas subparcelas as profundidades de amostragem (0 a 0,20 m; 0,20 a 0,40 m; e 0,40 a 0,60 m) e nas subsubparcelas os períodos de avaliação (0, 22, 44 e 66 dias após o transplantio). Para a produtividade do girassol, teor de óleo e contaminação microbiológica dos grãos foram analisados somente os efeitos dos tratamentos. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados com cinco repetições. Os dados foram submetidos à análise de variância e de regressão e testes de média. Durante o período experimental determinaram-se as características físico-químicas e microbiológicas da água residuária e da água de abastecimento. Os resultados indicaram que a água residuária doméstica tratada no decanto digestor apresentou remoções médias superiores a 80% das características turbidez, coliformes totais e termotolerantes, Demanda Bioquímica de Oxigênio, Demanda Química de Oxigênio, óleos e graxas e nitrato. Os maiores níveis de entupimento de gotejadores foram constatados nos tratamentos T1 e T2. Ocorreu elevado aumento do sódio e redução do pH no solo das parcelas sob o tratamento T1 nas profundidades de 0,10, 0,30 e 0,50 m, após 66 dias de irrigação. Não houve incremento dos micronutrientes cobre, manganês, ferro e zinco no solo pela aplicação da água residuária de origem doméstica. O tratamento T3 acarretou valores de altura de planta e diâmetro de capítulo superior aos dos demais tratamentos. Em relação à produtividade não houve diferença estatística entre os tratamentos, entretanto o tratamento T1 proporcionou a menor produtividade. Após 180 dias de armazenamento dos grãos de girassol não foi detectada a presença de coliformes termotolerantes. Em geral, o tratamento T3 é o mais recomendado para a produção de girassol no semiárido em função dos menores níveis de entupimento de emissores e dos bons indicadores biométricos (altura de planta e diâmetro de capítulo).

Palavras-chave: sustentabilidade, tratamento de resíduos, agricultura familiar

 

Abstract: The inadequacy of sewage systems is the main cause of environmental pollution and human health problems, especially in rural semiarid. The present study aimed to analyze the effects of domestic wastewater in the production system of sunflower. So, mounted an experimental area of 744 m2 on Milagres rural community in Apodi-RN consisting of primary system for treating domestic wastewater and drip irrigation system. The sunflower cultivar H 251 was planted in Cambisol with spacing of 1.0 m between rows of plants per 0.30 m between plants. Each plot occupied an area of 12.5 m2 and on experiment were used 25 plots. The treatments were T1 - 100% of wastewater application (ARP) and 0% water supply (AA), T2 - 75% of ARP and 25% of AA, T3 - 50% of ARP and 50% of AA, T4 - 25% de ARP and 75% of AA and T5 - 0% of ARP and 100% of AA. Only the T5 treatment received fertilization foundation, the other received no chemical fertilization. To analyze the performance of drip irrigation systems used a split-plot scheme with the treatments on plots and the evaluation times on subplots (0, 48 and 91 hours). In the analysis of soil chemical characteristics was used split split plot scheme with the treatments on plots, the sampling depths on subplots (0 to 0.20 m, 0.20 to 0.40 m and 0.40 to 0, 60 m) and the evaluation periods on subsubplots (0, 22, 44 and 66 days after transplanting). For the productivity of sunflower, oil content and microbiological contamination of grains were analyzed only the effects of treatments. The experimental design was a randomized block with five replications. The information were subjected to analysis of variance and regression and average tests. During the experimental period were determined physico-chemical and microbiological characteristics of the wastewater and water supply. The results indicated that the treated domestic wastewater presented removals averages over 80% of turbidity, total and fecal coliforms, biochemical oxygen demand, chemical oxygen demand, oil and grease and nitrate. The highest levels of clogging of drippers were found in T1 and T2. There was a high increase in sodium and lowering the pH of the soil plots under treatment T1 at depths of 0.10, 0.30 and 0.50 m, after 66 days of irrigation. There was no increase in micronutrients copper, manganese, iron and zinc in soil by application of domestic wastewater. The T3 treatment resulted values of plant height and head diameter superior to the other treatments. In relation to productivity no statistical difference between the treatments, however the treatment T1 gave the lowest yield. After 180 days of storage of sunflower grains was not detected the presence of coliform organisms. In general, the T3 is the most recommended for the production of sunflower in semiarid due to lower levels of emitter clogging and good biometric indicators (plant height and diameter).

Key words: sustainability, waste treatment, family agriculture

 

Literatura Citada

ACOSTA, J. F. Consumo hídrico da cultura do girassol irrigada na região da chapada do Apodi. 2009. 57f. Dissertação (Mestrado em Meterorologia) - Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande-PB, 2009.

ALCÂNTARA, M. A. K.; AQUINO NETO, V.; CAMARGO, O. A. Mineralização do nitrogênio em solos tratados com lodos de curtume. Pesquisa Agropecuária Brasileira. Brasília, v.42, n.4, p.548-555, 2007.

ALLEN, R. G.; PEREIRA, L. S.; RAES, D.; SMITH, M. Evapotranspiracíon del cultivo, Guías para la determinación de los requerimientos de agua de los cultivos. Roma: FAO, 2006. 298p.

ALMEIDA, O. A. Qualidade da água de irrigação. 1. ed. Cruz das Almas: EMBRAPA, 2010. 234p.

ALVES, W. W. A.; AZEVEDO, C. A. V.; NETO, J. D.; LIMA, V. L. A. Área foliar do algodoeiro irrigado com água residuária adubado com nitrogênio e fósforo. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, Mossoró, v.4, n.1, p.41-46, 2009.

ASAE EP 405. Design and installation of microirrigation systems. ASAE Standards, St. Joseph, p. 900-905, 2003.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7229. Projeto, construção e operação de sistemas de tanques sépticos. Rio de Janeiro: ABNT, 1993, 15p.

AYERS, R. S.; WESTCOT, D. W. A qualidade da água na agricultura. Traduzida por GHEYI, H. R.; MEDEIROS, J. F.; DAMACENO, F. A. V. Campina Grande: UFPB, 1999. 153 p. (Estudos FAO 29, 1999).

AZEVEDO, L. P.; OLIVEIRA, E. L. Efeitos da aplicação de efluente de tratamento de esgoto na fertilidade do solo e produtividade de pepino sob irrigação subsuperficial. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v.25, n.1, p.253-263, 2005.

BATISTA, R. O.; COSTA, F. G. B.; LOPES, H. S. S.; COELHO, D. C. L.; COSTA PAIVA, M. R. F. Efeito das características do esgoto doméstico na uniformidade de aplicação de sistemas de irrigação por gotejamento. Revista Caatinga, Mossoró, v.24, p.137-144, 2011a.

BATISTA, R. O.; SOARES, A. A.; MOREIRA, D. A.; FEITOSA, A. P.; BEZERRA, J. M. Influência de diferentes qualidades de esgoto doméstico na vazão de gotejadores. Revista Caatinga, Mossoró, v.24, p.128-134, 2011b.

BATISTA, R. O.; SOARES, A. A.; SOUZA, J. A. R.; OLIVEIRA BATISTA, R. Modelos empíricos da irrigação localizada com esgoto sanitário tratado. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v.16, n.3, p.369-377, 2008.

BATISTA, R. O; SOARES, A. A.; MATOS, A. T.; MANTOVANI, E. C.; EUCLIDES, R. M. A. Suscetibilidade ao entupimento de gotejadores mediante a aplicação de esgoto sanitário tratado. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v.14, n.2, p.81-87, 2006.

BAUMGARTNER, D.; SAMPAIO, S. C.; SILVA, T. R.; TEO, C. R. T. A.; VILAS BOAS, M. A. Reúso de águas residuárias da piscicultura e da suinocultura na irrigação da cultura da alface. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v.27, n.1, p.152-163, 2007.

BERNARDI, C. C. Reuso de água para irrigação. 2003. 52f. Dissertação (Mestrado) Universidade de Brasília, Brasília. 2003.

BERNARDO, S.; SOARES, A. A.; MANTOVANI, E. C. Manual de irrigação. 8. ed. Viçosa: UFV, 2008. 596 p.

BILIBIO, C.; CARVALHO, J. A.; MARTINS, M.; REZENDE, F. C.; FREITAS, E. A; GOMES, L. A. A. L. Desenvolvimento vegetativo e produtivo da berinjela submetida a diferentes tensões de água no solo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.14, n.7, p.730-735, 2010.

BISCARO, G. A.; MACHADO, J. R.; TOSTA, M. S.; MENDONÇA, V.; SORATTO, R. P.; CARVALHO, L. A. Adubação nitrogenada em cobertura no girassol irrigado nas condições de Cassilandia - MS. Ciência e Agrotecnológica, Lavras, v.32, n.5, p. 1366-1373, 2008.

BORKERT, C. M.; PAVAN, M. A.; BATAGLIA, O. C. Disponibilidade e avaliação de elementos catiônicos: ferro e manganês. In: PEREIRA, M. E.; CRUZ, M. C. P.; RAIJ, B. VAN; ABREU, C. A. Micronutrientes e elementos tóxicos na agricultura. Anais... Jaboticabal: CNPq/FAPESP/POTAFOS, 2001. p.151-185.

BRASIL (2011). Resolução nº 430, de 13 de maio de 2011. Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes, complementa e altera a Resolução no 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA. Brasília, 2011. Disponível em:<http://antigo.semace.ce.gov.br/integracao/biblioteca/legislacao/conteudo_legislacao.asp?cd=95>. Acesso em: 03 jun. 2012.

BRASIL (2007). Lei Nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico; altera as Leis nos 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei no 6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências. Brasília, 2007. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11445.htm>. Acesso em: 04 de janeiro de 2012.

BRASIL (2005). Resolução nº 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes. Brasília, 2005. Disponível em: <http://www.siam.mg.gov.br/sla/download.pdf?idNorma=2747>. Acesso em: 31 maio. 2012.

CALEGARI, A.; ALCÂNTARA, P. B.; MIYASAKA, S. AMADO, T. J. C. Caracterização dos principais espécies de adubo verde. In: CALEGARI, A.; MONDARDO, A.; BULISANI, E. A.; WILDNER, L. P.; COSTA, M. B. B.; ALCÂNTARA, P. B.; MIYASAKA, S.; AMADO, T. J. C. Adubação verde no sul do Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: AS-PTA, 1993. 344p.

CAPRA, A.; SCICOLONE, B. Water quality and distribution uniformity in drip/trickle irrigation systems. Journal of Agricultural Engineering Research, London, v.70, n.4, p.355-365, 1998. doi

CARVALHO, D. B.; PISSAIA, A. Cobertura nitrogenada em girassol sob plantio direto na palha. Scientia Agrária, Piracicaba, v.1, n.1-2, p. 41-45, 2002.

CASTIGLIONI, V. B. R. Cultivo do girassol. Londrina: Embrapa-CNPSo, 1992. 4 p. (Circular Técnico, n. 13).

CASTRO, C.; CASTIGLIONI, V. B. R.; BALLA, A. A cultura do girassol: tecnologia de produção. Londrina: Embrapa-CNPSo, 1996, 20 p. (Documentos, n.67).

CAVALCANTE JUNIOR, E. G. Produção e necessidade hídrica da cultura do girassol irrigado na chapada do Apodi. 2011. 61f. Dissertação (Mestrado em Irrigação e Drenagem) - Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró-RN, 2011.

CEARÁ (2002). PORTARIA N°154, DE 22 DE JULHO DE 2002. Dispõe sobre padrões e condições para lançamento de efluentes líquidos gerados por fontes poluidoras. Disponível em: <http://www.semace.ce.gov.br/biblioteca/legislacao/conteudo_legislacao.asp?cd=95>. Acesso em: 28 jun. 2012.

CHERNICHARO, C. A. L.; FLORENCIO, L.; BASTOS, R. K. X.; PIVELI, R. P.; VON SPERLING, M; MONTEGGIA, L. O. Tratamento de esgotos e produção de efluentes adequados a diversas modalidades de reúso da água. In: FLORENCIO, L.; BASTOS, R. K. X.; AISSE, M. M. (Coord.). Tratamento e utilização de esgotos sanitários. Rio de Janeiro: ABEAS, 2006, cap. 3, p.63-110. (Projeto PROSAB).

COMISSÃO DE FERTILIDADE DO SOLO DO ESTADO DE MINAS GERAIS - CFSEMG. Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais - 5ª aproximação. Viçosa-MG: 1999. 359p.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO – CONAB. Comparativo de área, produtividade e produção safras 2008/09 e 2009/2010. Disponível em:<http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/9819336a8f>. Acesso em: 15 out. 2012a.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO – CONAB. Dados de produção, produtividade e área plantada com girassol. Disponível em: <http://www.conab.gov.br/>. Acesso em: 28 jun. 2012b.

COSTA, F. X. ; LIMA, V. L. A.; BELTRÃO, N. E. M.; AZEVEDO, C. A. V.; SOARES, F. A. L.; ALVA, I. D. M. Efeitos residuais da aplicação de biossólidos e da irrigação com água residuária no crescimento do milho. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.13, n.6, p.687-693, 2009.

DALTRO FILHO, J. Saneamento ambiental: doença, saúde e o saneamento da água. São Cristóvão: Editora UFS, Fundação Oviêdo Teixeira, 2004. 332p.

DELFELIPO, B. V., RIBEIRO, A. C. Análise química do solo (metodologia). Viçosa, MG: UFV, Imp. Univ., 1981. 17p. (Boletim de Extensão, n. 29).

DENÍCULI, W.; BERNARDO, S.; THIÁBAUT, J. T. L.; SEDYAMA, G. C. Uniformidade de distribuição de água, em condições de campo num sistema de irrigação por gotejamento. Revista Ceres, Viçosa, v. 27, n. 50. 155-162p.

DUARTE, A. S. Reuso de água residuária tratada na irrigação da cultura do pimentão (Capsicum annun L.). 2006. 187f. Dissertação (Mestrado) Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba. 2006.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 2. ed. Rio de Janeiro: EMBRAPA, 2006. 412p.

EMPRESA NACIONAL DE PESQUÍSA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA. Tecnologia de produção do girassol: cultivo do girassol. Londrina: Embrapa CNPSo, 2003. 12p.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA. Manual de métodos de análise de solo. 2. ed. Rio de Janeiro: Centro Nacional de Pesquisa de Solos, 1997. 212 p.

ERTHAL, V. J. T.; FERREIRA, P. A.; MATOS, A. T.;PEREIRA, O. G. Alterações físicas e químicas de um Argissolo pela aplicação de água residuária de bovinocultura. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.14, n.5, p.467-477, 2010.

FAGUNDES, M. H. Sementes de Girassol: alguns comentários. FGV. Preços agropecuários. Disponível em: <http://www.fgvdados.fgv.br/>. Acesso em: 2 ago. 2012.

FAGUNDES, J. D.; SANTIAGO, G.; MELLO, A. M.; BELLÉ, R. A.; STRECK, N. A. Crescimento, desenvolvimento e retardamento da senescência foliar em girassol de vaso (Helianthus annuus L.): fontes e doses de nitrogênio. Ciência Rural, Santa Maria, v.37, n.4, p. 987-993, 2007. doi

FEIGIN, A.; RAVINA, I.; SHALHEVET, J. Sources, treatment, processes and uses of sewage effluent. In: Irrigation with treated sewage effluent. (Eds.) Berlin: Springer-Verlag, Cap.2, p.3-33. 1991.

FERREIRA, A. S.; CAMARGO, F. A. O.; TEDESCO, M. J.; BISSANI, C. A. Alterações de atributos químicos e biológicos de solo e rendimento de milho e soja pela utilização de resíduos de curtume e carbonífero. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v.27, n.4, p. 755-763. 2003.

FONSECA, A. F.; HERPIN, U.; PAULA, A. M.; VICTÓRIA, R.; MELFI, A. J. Agricultural use of treated sewage effluents: agronomic and environmental implications and perspectives for Brazil. Scientia Agricola, Piracicaba, v.64, n.2, p.194‑209, 2007.

FONSECA, A. F. Disponibilidade de nitrogênio, alterações nas características químicas do solo e do milho pela aplicação de efluente de esgoto tratado. 2001. 110f. Dissertação (Mestrado), Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba. 2001.

FREITAS C. A. S.; SILVA, A. R. A.; BEZERRA, F. M. L.; ANDRADE, R. R.; MOTA, F. S. B; AQUINO, B. F. Crescimento da cultura do girassol irrigado com diferentes tipos de água e adubação nitrogenada. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.16, n.10, p.1031-1039, 2012.

FREITAS, W. S.; OLIVEIRA, R. A.; CECON, P. R.; PINTO, F. A.; GALVÃO, J. C. C. Efeito da aplicação de água residuária de suinocultura em solo cultivado com milho. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v.13, n.2, p.95-102, 2005.

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - FUNASA. Manual de implementação de consórcios públicos de saneamento. Brasília, 2008. Disponível em: <http://www.funasa.gov.br/internet/arquivos/biblioteca/eng/eng_manualCapacitacao.pdf>. Acesso em: 04 jan. 2012.

GLOAGUEN, T. V.; FORTI, M. C.; LUCAS, Y.; MONTES, C. R.; GONÇALVES, R. A. B.; HERPIN, U.; MELFI, A. J. Soil solution chemistry of a Brazilian Oxisol irrigated with treated sewage effluent. Agricultural Water Management, Amsterdam, v.88, n.1-3, p.119-131, 2007. doi

HESPANHOL, I. Potencial de reuso de água no Brasil: Agricultura, indústria, municípios, recarga de aqüíferos. Bahia Análise & Dados, Salvador, v.13, n. ESPECIAL, p.411-437. 2003.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção Agrícola Municipal. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br>. Acesso em 15 out. 2012.

JORDÃO, E. P.; PESSOA, C. A. Tratamento de esgotos domésticos. 4. ed. Rio de Janeiro: ABES, 2005.

KOURAA, A.; FETHI, F.; LAHLOU, A.; OUAZZANII N. Reuse of urban wastewater by combined stabilization pond system en Benslimane (Marocco). Urban Water, London, v.4, n.4, p.373-378, 2002. doi

LAZARATO, J.; ROESSING A.C.; MELLO H.C. O agronegócio do girassol no mundo e no Brasil. In : LEITE, R.M.V.B. de C.; BRIGHENTI, A.M.; CASTRO, C. (Eds). Girassol no Brasil. Londrina: Embrapa CNPSo, 2005. p. 15-42

LEAL, R. M. P.; FIRME, L. P.; MONTES, C. R.; MELFI, A. J.; PIEDADE, S. M. S. Soil exchangeable cátions, sugarcane production and nutrient uptake after wastewater irrigation. Scientia Agricola, Jaboticabal, v.66, n.2, p.242‑249, 2009.

LEITE, R. M. V. B. C.; CASTRO, C.; BRIGHENTI, A. M.; OLIVEIRA, F. A.; CARVALHO, C. G. P.; OLIVEIRA, A. C. B. Indicações para o cultivo de girassol nos Estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Roraima. Londrina: Embrapa CNPSo, 2007. 4p. (Comunicado Técnico, n. 78).

LIMA, V. C.; LIMA, J. M. J. C.; EDUARDO, B. J. F. P.; CERRI, C. C. Conteúdo de carbono e biomassa microbiana em agroecossistemas: Comparação entre métodos de preparo do solo. Revista do Setor deCiências Agrárias, Curitiba, v.1391, n.2, p.297-302,1994.

Lo MONACO, P. A.; MATOS, A. T.; MARTINEZ, H. E. P.; FERREIRA, P. A.; RAMOS, M. M. Características químicas do solo após a fertirrigação do cafeeiro com águas residuárias da lavagem e descascamento de seus frutos. Irriga, Botucatu, v.14, n.3, p.348-364, 2009.

LOBO, T. F.; GRASSI FILHO, H. Sewage sludge on the development and nutricion of sunflower plants. Journal of Soil Science and Plant Nutricion, Temuco, v.9, n.3, p.245-255, 2009.

LOBO, T. F.; GRASSI FILHO, H. Níveis de lodo de esgoto na produtividade do girassol. Revista de la Ciencia del Suelo y Nutrición Vegetal, Temuco, v.7, n.3, p.16-25, 2007.

LOBO, T. F.; GRASSI FILHO, H.; SA, R. O.; BARBOSA L. Manejo da adubação nitrogenada na cultura do girassol avaliando os parâmetros de produtividade e qualidade de óleo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE PLANTAS OLEAGINOSAS, ÓLEOS, GORDURAS E BIODISEL, 3., 2006, Lavras. Anais... Lavras: UFLA, 2006.

LOPES, H. S. S.; MEDEIROS, M. G.; SILVA, J. R.; MEDEIROS JÚNIOR, F. A.; SANTOS, M. N.; BATISTA, R. O. Biomassa microbiana e matéria orgânica em solo de Caatinga, cultivado com melão na Chapada do Apodi, Ceará. Revista Ceres, Viçosa, v. 59, n.4, p. 565-570, 2012.

LOPES, P. V. L.; MARTINS, M. C.; TAMAI, M. A.; OLIVEIRA, A. C. B.; CARVALHO, C. G. P. Produtividade de genótipos de girassol em diferentes épocas de semeadura no oeste da Bahia. Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. 4p. (Comunicado Técnico, n. 208)

LUCENA, A. M. A.; GUERRA, H. O. C.; CHAVES, L. H. G.; COSTA, F. X. Influência da natureza do substrato e da água de irrigação no crescimento de mudas de flamboyant (Delonix regia). Revista Caatinga, Mossoró, v.20, n.3, p.112-120, 2007.

MATOS, A. T. Disposição de águas residuárias no solo. Viçosa, MG: AEAGRI, 2007. 140 p. (Caderno didático n. 38).

MATOS, A. T.; PINTO, A. B. PEREIRA, O. G. BARROS, F. M. Alteração de atributos químicos no solo de rampas utilizadas no tratamento de águas residuárias. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.9, n.3. p.406-412, 2005.

MEDEIROS, S. S.; SOARES, F. A. L; GHEYI, R. H.; FERNANDES, P. D. Uso de água residuária de origem urbana no cultivo de gérberas: efeito nos componentes de produção. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v.27, n.2, p.569-578, 2007.

MEDEIROS, S. S.; SOARES, A. A.; FERREIRA, P. A.; MATOS, A. T.; SOUZA, J. A. A. Utilização de água residuária de origem doméstica na agricultura: Estudo das alterações químicas do solo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.9, n.4, p.603-612, 2005. doi

MENDONÇA, E. S.; ROWELL, D. L. Dinâmica do alumínio e de diferentes frações orgânicas de um Latossolo argiloso sobre cerrado e soja. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v.18, p.295-303, 1994.

MERRIAM, J. L.; KELLER, J. Farm irrigation system evaluation: a guide for management. Logan: Utah State University, 271 p. 1978.

MINISTÉRIO DAS CIDADES. Estudo sobre as deficiências de acesso e a probabilidade de cumprimento das metas de desenvolvimento do milênio nos serviços de saneamento básico no brasil. São Paulo: 2008. 181p.

MINISTÉRIO DA SAÚDE (2005). PORTARIA Nº 518, DE 25 DE MARÇO DE 2004. Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.meioambiente.ufrn.br/conteudo/dma/projetos/portaria51804.pdf>. Acesso em: 28 mai. 2012.

MIRANDA, F. R.; LIMA, R. N.; CRISÓSTOMO, L. A.; SANTANA, M. G. S. Reuse of inland low-salinity shrimp farm effluent for melon irrigation. Aquacultural Engineering, Amsterdam, v.39, n.1, p.1-5, 2008. doi

MOURA, F. N.; BATISTA, R. O.; SILVA, J. B. A.; FEITOSA, A. P.; COSTA, M. S. Desempenho de sistema para tratamento e aproveitamento de esgoto doméstico em áreas rurais do semiárido brasileiro. Engenharia Ambiental, Espírito Santo do Pinhal, v.8, n.1, p.264-276, 2011.

NAKAYAMA, F. S.; BOMAN, B. J.; PITTS, D. Maintenance. In: LAMM, F. R.; AYARS, J. E.; NAKAYAMA, F. S. (Eds.). Microirrigation for crop production: Design, Operation, and Management. Amsterdam: Elsevier, 2006, cap. 11, p. 389 - 430.

NOBRE, R. G. Crescimento do girassol irrigado com água residuária e adubação orgânica. Revista DAE, São Paulo, v.4, n.1, p.50-60, 2009.

NOBRE, R. G.; ANDRADE, L. O.; SOARES, F. A. L.; GHEYI, H. R.; FIGUEIREDO, G. R. G.; SILVA, L. A. Vigor do girassol (Helianthus annuus L.) sob diferentes qualidades de água. Educação Agrícola Superior, Botucatu, v.23, n.1, p.58-60, 2008.

OLIVEIRA, M. F.; CASTIGLIONI, V. B. R.; CARVALHO, C. G. P. Melhoramento do Girassol. In: LEITE, R. M. V. B. C.; BRIGHENTI, A. M.; CASTRO, C. (Ed.). Girassol no Brasil. Londrina: EMBRAPA, 2005. cap. 11, p. 269-297.

PARESCHI, C. P. Caracterização da fauna de Rotifera em área alagada construída para tratamento de esgoto. Piracicaba: 2004. 180f. Dissertação (Mestrado) - Escola de Engenharia de São Paulo, Piracicaba, 2004.

PEREIRA, B. F. F. Alterações químicas no sistema solo-planta irrigado com efluente de esgoto tratado no cultivo dos citros. 2009. 163 p. Tese (Doutorado em Ciências/Solos e Nutrição de Plantas) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2009.

PEREIRA, V. C.; AMABILE, R. F.; CARVALHO, C. G. P.; BARBOSA, F. S.; RIBEIRO JÚNIOR, W. Q. Girassol em safrinha no Cerrado do Distrito Federal: desempenho de genótipos em 2006. In: SIMPÓSIO NACIONAL CERRADO, 9.; SIMPÓSIO INTERNACIONAL SAVANAS TROPICAIS, 2., 2008, Brasília, DF. Desafios e estratégias para o equilíbrio entre sociedade, agronegócio e recursos naturais: Anais... Planaltina: Embrapa Cerrados, 2008. (CD-ROM).

PESCOD, M. D. Wastewater treatment and use in agriculture. Rome: FAO, 1992. 125p. (FAO, Irrigation and drainage paper, n. 47).

PIVELI, R. P.; MELFI, A. J.; MONTES, C. R.; GOMES, T. M. Uma reflexão sobre a qualidade e uso de esgoto tratado por lagoas de estabilização na agricultura: caso de Lins/SP. Revista DAE, São Paulo, v.177, n.1, p.63‑70, 2008. doi

QUAGGIO, J. A. Acidez e calagem em solos tropicais. Campinas: Instituto Agronômico de Campinas, 2000. 111p.

QUEIROGA, F. M. Resposta da cultura do girassol a doses de potássio, magnésio, boro, zinco, cobre e a fontes de nitrogênio. 2011. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, 2011.

R DEVELOPMENT CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. ISBN 3-900051-07-0, 2010. URL http://www.R-project.org.

RAIJ, B. van. Métodos de diagnose de fósforo no solo em uso no Brasil. In: YAMADA, T.; ABDALLA, S. R. S. (Eds.) Fósforo na agricultura brasileira. Piracicaba: Potafos, 2004. p.563-588.

RAIJ, B. van.; ANDRADE, H. C.; QUAGGIO, J. A.; FURLANI, A. M. C. Recomendações de adubação e calagem para o Estado de São Paulo. 2. ed. Instituto Agronômico e Fundação IAC, Campinas. 1996. 285 p.

RAIJ, B. van. Avaliação da fertilidade do solo. Piracicaba: Instituto Internacional da Potassa, 1981. 343p.

REINALDO, G. P. B.; BATISTA, R. O.; SILVA, P. C. M.; LEMOS FILHO, L. C. A.; FERREIRA NETO, M. SANTOS, D. B. Desempenho de sistema decanto-digestor com filtro biológico seguido por alagado construído e reator solar no tratamento de esgoto doméstico. Ambi-Agua, Taubaté, v. 7, n. 2, p. 62-74, 2012.

REIS, L. B.; FADIGAS, E. A. A.; CARVALHO, C. E. Energia, recursos naturais e a prática do desenvolvimento sustentável. Barueri: Manole. 2005. 41p.

RICCI, A. B.; PADOVANI, V. C. R.; PAULA JÚNIOR, D. R. Uso de lodo de esgoto estabilizado em um solo decapitado. I – Atributos físicos e revegetação. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v.34, n.2 p.535-542, 2010.

RICE, E. W.; BAIRD, R. B.; CLESCERI, A. D. Standard methods for the examination of water and wastewater. 22. ed. Washington: APHA, AWWA, WPCR, 2012. 1496p.

RIBEIRO JÚNIOR, J. I.; MELO, A. L. P. Guia prático para utilização do SAEG. Viçosa-MG: UFV, 2008. 288p.

RIBEIRO, A. C.; GUIMARÃES, P. T. G.; ALVAREZ, V. H. Recomendações para uso de corretivo e fertilizantes de Minas Gerais – 5a Aproximação. Viçosa: CFSEMG, 1999. 359p.

RIBEIRO, M. C. F.; FELIZARDO A. R; SANTOS, A. C.; SILVA, J. O.; PEIXOTO, M. F. S. P.; PAZ, V. P. S. Crescimento e produtividade da mamoneira irrigada com diferentes diluições de esgoto doméstico tratado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.16, n.6, p.639-646, 2011.

SAMENI, A. M.; MAFTOUN, M.; HOJJATTI, S. M.; SHEIBANY, B. Effect of fertlizer-N and herbicides on the growth and N content of sunflower. Agronomy Journal, Madison, v.68, n.1, p. 285-288, 1976. doi

SANTOS, M. S.; LIMA, V. L. A.; BELTRÃO, N. E. M.; BARROS, H. M. M.; SAMPAIO, M. V.; MARTINS, E. S. C. S. Produção de gergelim sob irrigação com água residuária tratada e adubação com torta de mamona. Tecnologia & Ciência Agropecuária, João Pessoa, v.4, n.1, p. 31-35. 2010.

SANTOS, S. S; SOARES A. A.; MATOS, A. T.; MANTOVANI, E. C.; BATISTA, R. O. Efeitos da aplicação localizada de esgoto sanitário tratado nas características químicas do solo. Engenharia na Agricultura, v.14 n.1, 32-38. 2006.

SECCO, R. C. Fitodisponibilidade de zinco, cobre, cromo e níquel de lodo de esgoto (nviro soil) e de dejetos de suínos aplicados superficialmente a latossolo vermelho sob plantio direto. 2007. 155 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007.

SILVA, F. C. Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes. 2.ed. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2009. 627p.

SILVA, F. F.; FREITAS, P. S. L.; BERTONHA, A.; REZENDE, R.; GONÇALVES, A. C. A.; DALLACORT, R. Impacto da aplicação de efluente maturado de fecularia de mandioca em solo e na cultura do sorgo. Acta Scientiarum: Agronomy, Maringá, v.26, n.4, p.421-427, 2004.

SILVA, F. C.; BOARETTO, A. E.; BERTON, R. S.; ZOTELLI, H. B.; BERNARDES, C. A. Efeito de lodo de esgoto na fertilidade de um Argissolo Vermelho-Amarelo cultivado com cana-de-açúcar. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.36, n.5, p.831-840, 2001. doi

SIMONETE, M. A.; KIEHL, J. C.; ANDRADE, C. A.; TEIXEIRA, C. F. A. Efeito do lodo de esgoto em um Argissolo e no crescimento e nutrição de milho. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.38, n.10, p.1187-1195, 2003. doi

SMIDERLE, O. J.; GIANLUPPI, D.; GIANLUPPI, V. Adubação nitrogenada, espaçamento e época de semeadura de girassol nos Cerrados de Roraima. In: EMBRAPA. Resultados de pesquisa da EMBRAPA Soja-2001: girassol e trigo. Anais... Londrina: EMBRAP CNPSo, p.33-39, 2002. (Embrapa Soja. Documentos, 218).

SMIDERLE, O. J. Orientações para cultivo do girassol em área de cerrado de Roraima. Boa Vista: EMBRAPA Roraima, 2009. 13p. (Circular Técnico, n. 5).

SOUZA, J. T.; LEITE, V. D.; LUNA, J. G. Desempenho da cultura do arroz irrigado com esgotos sanitários previamente tratados. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.5, n.1, p.107-110, 2001.

SOUSA, J. T.; VAN HAANDEL, A. C.; CAVALCANTI, P. F. F.; FIGUEIREDO, A. M. F. Tratamento de esgoto para uso na agricultura do semiárido nordestino. Revista Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v.10, n.3, p.260-265, 2005.

SOUZA, J. A. R. Desempenho de microaspersores operando com água residuária de avicultura e bovinocultura. 2005. 79f. Dissertação (Mestrado) Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2005.

SOUZA, R. M.; NOBRE, R. G.; GHEYI, H. R.; DIAS, N. D.; SOARES, F. A. LM. Utilização de água residuária e de adubação orgânica no cultivo do girassol. Revista Caatinga, Mossoró, v.23, n.2, p.125-133, 2010.

STEER, B.T.;HOCKING, P.J.; KORTT, A.A.; ROXBURG, CM.. Nitrogen nutrition of sunflower (Helianthus annus L.): Yield components, the timing of their establishment and seed characteristics in response to nitrogen supply. Field Crops research, v.9 p.219-236. 1984. doi

STEVENSON, F. J.; ARDAKANI, M. S. Organic matter reactions involving micronutrients in soils. In: MORTVEDT, J. J.; GIORDANO, P. M.; LINSDSAY, W. L. (Eds). Micronutrients in agriculture. Madison, Soil Science of America, p.79-114. 1972.

VAN DER HOEK, W.; HASSAN, U.M.; ENSINK, J.H.J.; FEENSTRA, S.; RASCHIDSALLY, L.; MUNIR, S.; ASLAM, R.; ALIM, N.; HUSSAIN, R.; MATSUNO, Y. Urban wastewater: a valuable resource for agriculture. A case study from Horoonabad, Pakistan. Colombo, Sri Lanka: International Water Management Institute, 2002. 29 p.

VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 3.ed. Belo Horizonte: UFMG, 2011. 452p. (Princípios do tratamento biológico de águas residuárias, 1).

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Guidelines for the safe use of wastewater, excreta and greywater. Genebra: World Health Organization, 2006. 196p. (Volume 2: wastewater use in agriculture).