Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Efeito da Embebição e dos Níveis de Salinidade da Água de Irrigação na Germinação de Amburana cearensis

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/iii.inovagri.2015-a008

 

downloadpdf

B. de A. Araújo1, M. E. S. Silva1, K. da F1. Silva1, F. J. C. Moreira2, M. L.S. Mesquita1 & M. F. Aragão1

 

Resumo: A Amburacearensis pertence á Família Fabaceae, é uma planta popularmente conhecida por imburana-de-cheiro, cumaru e cerejeira. Embora considerada nativa do sertão nordestino, a ocorrência de A.cearensis pode ser observada em praticamente toda a América do sul (do Peru á Argentina). As sementes servem como aromatizantes e repelentes de insetos para roupas e estantes, podendo ser utilizadas na fabricação de um pó fino, designado rapé-de-imburana, empregado para induzir espirros no tratamento de congestão nasal por acúmulo de secreção. A que estão relacionados ás atividade antinoceptiva, antiinflamatória e relaxante muscular. Em vista da escassez de estudos sobre a espécie e a sua importância para o Bioma Caatinga o presente trabalho teve como objetivo avaliar a emergência e o desenvolvimento de plantas de Imburana Cearensis em função da embebição e de níveis de salinidade da água de irrigação. O experimento foi conduzido em Telado Agrícola e Laboratório de Fitossanidade e Sementes, no Instituto Federal do Ceará- Campus Sobral de dezembro de 2014 á janeiro de 2015. Foram analisadas as variáveis, percentagem de germinação (%G), Índice de velocidade (IVG), tempo médio (TMG), número de folhas (NF), diâmetro do caule (DC), comprimento da raiz (CR), peso seco da parte aérea (PSPA) e peso seco das raízes (PSR). Os dados coletados foram tabulados no programa Excel®, sendo posteriormente submetidos análise de variância, no programa Assitat®;quando significativas, as médias comparadas pelo teste de Tukey e regressão, respectivamente para variáveis qualitativas e qualitativas. Os resultados mostraram significância em relação à salinidade para todas as variáveis analisadas, sendo que não foi observada significância para a embebição nem para a interação. A germinação de imburana é negativamente influenciada pela salinidade, a partir de 4,5 dSm-1, que afetou todas as variáveis analisadas, prejudicando a germinação e o desenvolvimento inicial.Enquanto a embebição não interferiu na germinação das sementes.

Palavras-chave: Imburana; Fabaceae; vigor; desenvolvimento inicial.

 

Abstract: The cearensis Amburana belongs to the Fabaceae family, is a plant popularly known by imburana-of-smell, tonka bean and cherry. Although it is considered native of Northeastern, the occurrence of A.cearensis can be observed in almost all of South America (Peru to Argentina) .The seeds are used as insect repellents and flavoring for clothes and shelves and can be used in the manufacture of a fine powder, called snuff-imburana used to induce sneezing in treating nasal congestion by accumulation of secretion. Ace antinoceptiva that are related to the anti-inflammatory and muscle relaxant activity. Given the lack of studies on the species and its importance for the Caatinga Biome, the aim of this study was to evaluate the germination and development of Imburana wood cearensis plant depending on the levels of immersion and irrigation water salinity. The experiment was conducted in a greenhouse of agricultural plant and Health and Seed Laboratory in Ceará- Federal Institute Campus Sobral in December 2014 to January 2015. The variables, germination percentage (% G), speed index (GSI) , the mean time (GMT), number of leaves (NF), stem diameter (DC), root length (CR), dry weight of shoots (PSPA) and dry mass of roots (PSR) .The data were tabulated in Excel, and then subjected to analysis of variance in Assitat® program and when significant were compared by Tukey test and regression, respectively for qualitative and qualitative variables. The results showed significant differences in relation to salinity for all variables, and were not observed significance for immersion or for interaction. Germination of imburana is negatively influenced by the salinity of 4.5 DSM-1, which affected all variables, affecting germination and development initial. While o immersion did not interfere with seed germination.

Key Words: Imburana wood; Fabaceae; force; early development.

 

1 Instituto Federal do Ceará (IFCE) - Campus Sobral -, E-mail: bia10_pcj@hotmail.com ; (IC) Iniciação científica
2 (PQ) Pesquisador

 

Literatura Citada

AYERS, R. S.; WESTCOT, D. W. A qualidade da água na agricultura. Campina Grande: UFPB, 218p. (Tradução).1991.

BENITEZ, L. C. Tolerância à salinidade avaliada em genótipos de arroz, cultivados ex vitro e in vitro. Pelotas - RS, 2008. 110p. Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas. LAUCHI, A.; EPSTEIN, E. Mechanism of salt tolerance for plants. Califórnia Agriculture, Oakland, v. 38, n.10, p.12 – 20. 1984.

BENINCASA, M. M. P. Análise de crescimento de plantas: noções básicas. Jaboticabal: FUNEP, 42 p.2003.

CASTRO, R.; REED, G. P; FERREIRA, M. S. de L.; AMARAL, A. O. M. do. Caatinga: umbioma brasileiro desprotegido. In: Anais do VI Congresso de Ecologia do Brasil.Fortaleza:Editora UFC, 2003.

CARVALHO, M. De C.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência e tecnologia e produção. 4. Ed. Jabaticabal; SP. Funep. 588p. 2000.

FAO. 2000. Global network on integrated soil management for sustainable use of salt-affected soils. 2000. Disponível em: http://www.fao.org/ag/AGL/agll/spush/intro.htm. Acesso em 10 de maio de 2002.

FIGLIOLIA, M. B., OLIVEIRA, E. C. & PIÑA-RODRIGUES, F. C. M. Análise de sementes. In: AGUIAR, I. B., PIÑA-RODRIGUES, F. C. M. & FIGLIOLIA, M.B (Coord.). Sementes florestais tropicais. Brasília: ABRATES, p. 137-174. 1993.

LORENZI, H; MATOS, F. J. A. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas. São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora Ltda, 512p. 2002.

MAGALHÃES, A. C. N. Análise quantitativa do crescimento. In: FERRI, M. G. (Coord.). Fisiologia vegetal 1. São Paulo: EPU/Ed. da Universidade de São Paulo, v.1, cap. 8, p.331-350.1979.

MAIA, G. N. Caatinga: árvores e arbustos e suas utilidades. São Paulo: Leitura e Arte, 2004.

SHANNON, M.C. The effects of salinity on cellular and biochemical processes associated with salt tolerance in tropical plants. In Proceedings in plant stress in the tropical environment (T.L. Davenport & H.M. Harrington, eds.). University of Florida, Kailu Kona, p.56-63. 1992.

YAMNISH, O. KETAL. Difernt gowhmediu anfertilzar efcts onpayedlings rowth. Revista Brlei Fruticla, Jaboticl, v.26n04 Disponível em:<http://www.scielobr/scielo.ph?scrit=_aex&pid=S01-294503&lng=ermiso>. Aceso em: 15 jan. 2015