Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Crescimento do Capim Tanzânia Irrigado por Diferentes Métodos de Irrigação e Utilizando Água de Elevada Salinidade1

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/iii.inovagri.2015-a041

 

downloadpdf

L. L. de P. Oliveira2, J. L. de A. Silva3, S. S. C. Praxedes4, J. F. de Medeiros3, M. J. da Silva Junior5 & F. M.  S. Bezerra6

 

Resumo: Analisou-se os efeitos do uso de água salina e do método de irrigação no crescimento do capim Tanzânia, em experimento desenvolvido em casa de vegetação da Universidade Federal Rural do Semiárido – UFERSA, localizada no município de Mossoró – RN, em delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 x 5, com quatro repetições, e os tratamentos consistiram da combinação de dois métodos de irrigação (localizada e aspersão) com cinco níveis de salinidade da água (0,5; 1,5; 2,5; 3,5; e 4,5 dS m-1).  Foram utilizadas colunas de PVC de diâmetro de 0,20 m com capacidade de 15 L, as quais foram preenchidos com um solo de textura franco-arenosa. Foram realizadas duas colheitas (cortes) e analisado as seguintes variáveis: massa fresca (MF), massa seca (MS) e porcentagem de massa seca (PMS). Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância e as variáveis que apresentaram respostas significativas foram analisadas através de teste de comparação de médias pelo teste de Tukey para as variáveis independentes qualitativas (métodos de irrigação), e análise de regressão para as quantitativas (níveis de salinidade). Pode-se verificar um comportamento linear decrescente para as variáveis altura da planta (ALT), massa fresca (MF) e massa seca (MS), quando submetidas a níveis elevados de salinidade na água de irrigação, com as respectivas médias 48,7 cm (ALT), 196,5 g/vaso (MF) e 46,6 g / vaso (MS). Apresentando valores de percentagem de matéria seca (PMS) em média 43,7 % para os níveis de salinidade estudados.

Palavras-chave: Estresse salino, Fertirrigação, Panicum maximum cv. Tanzânia.

 

Abstract: We analyzed the effects of saline water use and irrigation method in grass growth Tanzânia, in experiment carried out in a greenhouse of the Federal Rural University of the Semiárid - UFERSA, located in the municipality of Mossoró - RN, were allotted randomized in a factorial 2 x 5, with four replications, and the treatments were a combination of two methods of irrigation (sprinkler and localized) with five water salinity levels (0.5, 1.5, 2.5, 3 5, and 4.5 dS m-1). 0.20 m diameter PVC columns were used with 15 liter capacity, which were filled with a sandy loam soil texture. Two harvests were performed (cuts) and analyzed the following variables: fresh (MF), dry matter (DM) and percentage of dry matter (PMS). Data were subjected to analysis of variance and the variables that showed significant responses were analyzed by means comparison test by Tukey test for qualitative independent variables (irrigation methods), and regression analysis for quantitative (levels salinity). You can check a linear decrease in the variables plant height (ALT), fresh (MF) and dry matter (DM), when subjected to high levels of salinity in the irrigation water, with means 48.7 cm (ALT), 196.5 g / pot (MF) and 46,6 g / vessel (MS). Introducing percentage of dry matter values (PMS) averaged 43.7% for salinity levels studied.

Key words: Salt stress, Fertigation, Panicum Maximum cv. Tanzania.

 

1 Trabalho executado com recursos do INCTSal/CNPq
2 Mestranda, PPGMSA- DCAT da Universidade Federal Rural do Semiárido, Caixa Postal 137, CEP 59628-680, Mossoró, RN, E-mail: leticia_lissia@hotmail.com;
3 Mestrando, PPGESA- LEB da Escola Superior de Agricultura “Luíz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, ESALQ/USP, E-mail: jose_leoncio@usp.br;
4 Departamento de Ciências Ambientais e Tecnológicas, UFERSA, E-mail: jfmedeir@ufersa.edu.br;

 

Literatura Citada

ALENCAR, D. R.; PORTO FILHO, F. Q.; MEDEIROS, J. F. HOLANDA, J. S.; PORTO, V. C. N.; FERREIRA NETO, M. Crescimento de cultivares de melão amarelo irrigadas com água salina. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, PB, v. 7, n.2, p. 221-226, 2003. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662003000200006

AQUINO, L. A. de; BERGER, P. G. Produtividade do algodoeiro irrigado por aspersão ou gotejamento. 8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP – 2011.

CARMO FILHO, F. do; OLIVEIRA, O. F. de. Mossoró: um município do semi-árido: caracterização climática e aspecto florístico. Mossoró: ESAM, 1989. 62 p. (ColeçãoMossoroense, 672, série B).

CARMO FILHO, F. do; OLIVEIRA, O.F. de. Mossoró: um município do semiárido: caracterização climática e aspecto florístico. Mossoró: UFERSA, 1989. 62 p. (Coleção Mossoroense, 672, série B).

LACERDA, C. F. Efeitos da salinidade no desenvolvimento e composição mineral do feijão-de-corda (Vigna unguiculata (L.) Walp.) e utilização do Ca2+ como meio para minorar tais efeitos. Dissertação (Mestrado em Solos e Nutriçãode Plantas), 87f- Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010.

MAIA, C. E.; MORAIS, E. R. C.; OLIVEIRA, M. Qualidade da água para fertirrigação por gotejamento. I: região da Chapada do Apodí-RN. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v.5, p.281-292, 1998.

MEDEIROS, J. F. DE; DIAS, N. DA S.; BARROS, A. D. DE. Manejo da irrigação e tolerância do meloeiro a salinidade da água de irrigação. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v.3, p.242-247, 2003. http://dx.doi.org/10.5039/agraria.v3i3a264

OLIVEIRA, M.; MAIA, C.E. Qualidade físico-química da água para irrigação emdiferentes aqüíferos na área sedimentar do estado do Rio Grande do Norte.Campina Grande, DEAg/UFPB, v.2, n.1, p.17-21, 1998

RHOADES, J. D.; KANDIAH, A.; MASHALI, A. M. The use saline water for cropproduction.Rome: FAO, 1992. 133p. (FAO Irrigation and Drainage Paper, 48).

RICHARDS, L.A. Diagnosis and improvement of saline and alkali soils. Washington: United States Department of Agriculture, 1954. 160p. Agriculture Handbook, 60.

RODRIGUES, B. H. N.; MAGALHÃES, J. A.; CAVALCANTE, R. F.; BARROS, W. S. de. Efeito da Idade de Corte sobre o Rendimento Forrageiro do Capim-Tanzânia Irrigado nos Tabuleiros Litorâneos do Piauí. Revista Científica de Produção Animal, v.8, n.2, 2006.

SILVA, J. L. de A. Mistura de águas salinas como alternativa para a irrigação e produção de forragem no semiárido nordestino. ÁGUA: Desafios da sociedade. Prêmio Jovem Cientista 2013. Universidade Federal Rural do Semi-Árido – UFERSA. Mossoró-RN.

SOUZA, M. C.; SANTOS, D. B. DOS; SILVA NETO, M. D. da; CHAGAS, E. C. de O. Produtividade do Panicum maximum sob diferentes níveis de salinidade. Ambientalmente. Disponível em: <http://mdambiental.blogspot.com.br/2011/03/produtividade-do-panicum-maximum-sob.html>. Acesso em 28 de Outubro de 2013.